Identidade, arte e gestão em prol do empreendedorismo cultural: sarau empreendedor como tecnologia social

  • Israel Marques Campos CIAGS/UFBA
  • Eduardo Davel Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia

Resumo

Resumo

 

A capacitação de jovens artistas em empreendedores culturais, especialmente no contexto de comunidades periféricas, é uma importante ação para o desenvolvimento tanto dos jovens quanto de territórios potencialmente criativos. No entanto, o empreendedorismo cultural não aparece com frequência no currículo das escolas e as pedagogias de ensino-aprendizagem nem sempre atraem o interesse das novas gerações. Carece-se de pesquisas e propostas práticas sobre o ensino do empreendedorismo cultural nesse contexto. Neste artigo propõe-se uma tecnologia social – “sarau empreendedor”, voltada para um saber prático que possa ser mobilizado em comunidades para fomentar e desenvolver as forças empreendedoras locais no campo da cultura e das artes. O empreendedorismo cultural inclui atividades constituídas a partir da identidade territorial, da coletividade e dos seus impactos socioculturais positivos. Os resultados desta pesquisa contribuem para as pesquisas em ensino-aprendizagem do empreendedorismo cultural, ao proporem uma tecnologia social com potencial de impacto prático no desenvolvimento dos territórios criativos.

Palavras-chave: Empreendedorismo cultural. Sarau empreendedor. Pedagogia artística. Identidade territorial. Tecnologia social.

 

Abstract

 

The education of young artists into cultural entrepreneurs, especially in the context of peripheral communities, is an important action for the development of both young people and potentially creative territories. However, the issue of cultural entrepreneurship does not appear in the curriculum of schools and the prevalent teaching pedagogies are not always attractive to young interests. We lack research and practical proposals on cultural entrepreneurship teaching in such a context. This article proposes a social technology – “entrepreneurial gathering”, oriented to a practical knowledge that may be mobilized by communities in order to promote and develop local entrepreneurial forces in the field of culture and arts. Cultural entrepreneurship includes activities shaped from territorial identity, collectivity and its positive sociocultural impacts. The research results contribute to studies on teaching cultural entrepreneurship as it proposes a social technology with potential for practice-based impact in the development of creative territories. 

Keywords: Cultural entrepreneurship. Entrepreneurial gathering. Artistic pedagogy. Cultural identity. Social technology.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Davel, Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia
Professor na Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia. Ph.D. em administração pela École des hautes études commerciales de Montreal. Editor da RIGS - Revista interdisciplinar de gestão social, publicada pelo CIAGS - Centro interdisciplinar de gestão social da UFBA.

Referências

ALMEIDA, Maria; PAIS, José. Criatividade e Profissionalização. Jovens, Subjetividades e Horizontes Profissionais. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2013.

ANDERSON, Alistair R. Paradox in the periphery: an entrepreneurial reconstruction? Entrepreneurship & Regional Development, v. 12, n. 2, p. 91-109, 2000.

BARTHOLO, Roberto; SANSOLO, Davis; BURSZTYN, Ivan. (Org.) Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009.

BELO, Fábio; SCODELER, Kátia. A importância do brincar em Winnicott e Schiller. Tempo psicanálise, v.45, n.1, p.91-101, 2013.

BONDÍA, Jorge L. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, v. 19, p. 20-18, 2002.

BRANDÃO, Carlos A. A busca da utopia do planejamento regional. Revista Paranaense de Desenvolvimento. Curitiba, n.120, p.17-37, 2011.

CALAS, Marta B.; SMIRCICH, Linda; BOURNE, Kristina A. Extending the boundaries: reframing "entrepreneurship as social change" through feminist perspectives. Academy of Management Review, v. 34, n. 3, p. 552-569, 2009.

CASAQUI, Vander. A construção do papel do empreendedor social: mundos possíveis, discurso e o espírito do capitalismo. Galáxia, v.29, p.44-56, 2015.

CASAQUI, Vander. A transformação social nos discursos da cena empreendedora social brasileira: processos comunicacionais e regimes de convocação na mídia digital. Universitas Humanística. v.81, p.205-226, 2016.

COLBARI, A. D. L. A análise de conteúdo e a pesquisa empírica qualitativa. In: MOULIN DE SOUZA, E. (Ed.). Metodologias e analíticas qualitativas em pesquisa organizacional. Vitória: EDUFES, 2014.

DAGNINO, R. Tecnologia social: contribuições conceituais e metodológicas. Campina Grande, Florianópolis: Editora da Universidade Estadual da Paraíba - EDUEPB e Editora Insular, 2014.

DANDRIDGE, Thomas C. Ceremony as an integration of work and play, Organization Studies, v.7, n.2, p.159-170, 1986.

DAVEL, E.; CORÁ, M. A. J. Empreendedorismo cultural: cultura como recurso retórico, processo de criação e de consumo simbólico. Políticas Culturais em Revista, v. 9, n. 1, p. 363-397, 2016.

DAVEL, E.; SANTOS, F. P.; DANTAS, M. Identidade Cultural de Territórios como Política de Gestão. Anais do XL Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2016.

DOLABELA, Fernando. Pedagogia do Empreendedorismo. São Paulo: Editora Cultura. 2003.

DUARTE JUNIOR, João F. Porque a arte-educação? Campinas: Papirus, 2008.

FERREIRA, Fabio Economia Criativa. In: BOULLOSA, Rosana (Org.). Dicionário para a Formação em Gestão Social. Salvador: Editora CIAGS/UFBA, p.51-53. 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GUARINELLO, N. Festa, trabalho e cotidiano. In: JANCSO, I.; KANTOR, I. (Org.). Festa: cultura e sociabilidade na América Portuguesa, volume II. São Paulo: Edusp/Fapesb/Imprensa Oficial, 2001.

HALL, Stuart. Identidade Cultural Na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora. 2006.

HENRY, Colette; BRUIN, Anne D. (Eds.) Entrepreneurship and the creative economy: process, practice and policy. Cheltenham: Edward Elgared, 2011.

HJORTH, Daniel. Creating space for play/invention: concepts of space and organizational entrepreneurship. Entrepreneurship & Regional Development, n.16, n.5, p.413-432, 2004.

HJORTH, Daniel. Public entrepreneurship: desiring social change, creating sociality. Entrepreneurship & Regional Development, v. 25, n. 1-2, p. 34-51, 2013.

HJORTH, Daniel. Public entrepreneurship: desiring social change, creating sociality. Entrepreneurship & Regional Development, n.25, n.1, p.34-51, 2013.

LINDQVIST, K. Artist entrepreneurs. In: SCHERDIN, M. e ZANDER, I. (Ed.). Art entrepreneurship. Cheltenham: Edward Elgar Publishing, 2011.

LIVINGSTONE, D. Exploring the icebergs of adult learning. Canadian Journal for the Study of Adult Education, v.3, n.2, p.49-72, 1999.

LOUNSBURY, Michael; GLYNN, Mary A. Cultural Entrepreneurship: Stories, Legitimacy, and the Acquisition of Resources. Strategic Management Journal, n.22, n.6/7, p.545-564, 2001.

MAINEMELIS, Charalampus; RONSON, Sarah. Ideas are born in fields of play: towards a theory of play and creativity in organizational settings. Research in Organizational Behavior, v.27, p.81-131, 2006.

MALO, Marie. RODRIGUES, Andréa L. Estruturas de governança e empreendedorismo coletivo: o caso dos doutores da alegria. Revista de Administração Contemporânea, v.10, p.29-50, 2006.

PEÇANHA, Erica de N. É tudo nosso! Produção cultural na periferia paulistana. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, São Paulo, USP, 2012.

REIS, Ana C. (Org.). Economia criativa como estratégia de desenvolvimento: uma visão dos países em desenvolvimento. São Paulo: Itaú Cultural. 2008.

RENTSCHLER, R. Painting equality: female artists as cultural entrepreneurial marketers. Equal Opportunities International, v. 26, n. 7, p. 665-677, 2007.

RINDOVA, Violina; BARRY, Daved; KETCHEN, David J. Entrepreneuring as emancipation. Academy of Management Review, v. 34, n. 3, p. 477-491, 2009

RODRIGUES, I.; BARBIERI, J. C. A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia apropriada como estratégia de desenvolvimento sustentável. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 6, p. 1069-1094, 2008.

SALAZAR, L. Música Ltda: o negócio da música para empreendedores. Recife: Sebrae, 2015.

SCHMIDT, Carla M.; TOMIO, Marialva; ALVES, Josmary K.D.; ROSSI, Flaviane. O empreendedorismo coletivo no contexto do turismo rural sustentável: uma experiência do Sul do Brasil. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, v. 14, n. 5, p. 1161-1174, 2016.

SCOTT, M. Cultural entrepreneurs, cultural entrepreneurship. Poetics, v.40, p.237-255, 2012

STEYAERT, Chris; HJORTH, Daniel (Ed.). Entrepreneurship as social change. Cheltenham: Edward Elgar, 2006.

SWEDBERG, Richard. Entrepreneurship: The Social Science View. Oxford: Oxford University Press, 2000.

TENNINA, Letícia. Saraus das periferias de São Paulo: poesia entre tragos, silêncios e aplausos. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n.1, p.11-28, 2013.

WINNICOTT, Donald W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

Publicado
30-08-2017
Como Citar
Campos, I. M., & Davel, E. (2017). Identidade, arte e gestão em prol do empreendedorismo cultural: sarau empreendedor como tecnologia social. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 16(2), 783-808. https://doi.org/10.18593/race.v16i2.13270
Seção
Trabalhos técnicos