Dinâmica da inflação e política monetária no Brasil: uma leitura pós-keynesiana com uso da metodologia de Vetores Autorregressivos (VARs)

  • Larissa Naves de Deus Universidade Federal de Uberlândia.

Resumo

Resumo: Muitos países, a partir da década de 1990, passaram a utilizar o Regime de Metas de Inflação (RMI) como regime de política monetária, inclusive o Brasil, que o adotou em 1999. Entretanto, há inúmeras críticas ao modo de funcionamento desse regime, além da análise das consequências de seu uso à dinâmica macroeconômica dos países. No contexto do RMI, consideram-se os desvios do produto de seu nível natural à causa do aumento generalizado dos preços, e, assim, utiliza-se a taxa de juros como instrumento de política monetária. Neste trabalho, seguindo-se uma perspectiva pós-keynesiana, que tece críticas a esse regime, inclusive ao considerar que a inflação é um fenômeno multicausado, teve-se como objetivo investigar empiricamente quais são as variáveis explicativas das causas da inflação brasileira no período pós-RMI, especificamente, de 2003 a 2016. Assim, objetiva-se, inclusive, debater se a política monetária baseada nesse regime é condizente com o funcionamento de economias monetárias. Para tanto, além da revisão bibliográfica como método de procedimento, em que se busca apresentar as diferenças teóricas do chamado Novo Consenso Macroeconômico, que dá sustentação ao RMI, e a escola pós-keynesiana, neste trabalho utiliza-se a metodologia econométrica de Vetores Autorregressivos (VARs), que permite analisar inter-relações entre múltiplas variáveis, de modo a se auferirem as variáveis relevantes na explicação da dinâmica de preços no Brasil no período recente. Os resultados encontrados apontam que os fatores do lado da oferta da economia explicam em boa medida a dinâmica inflacionária brasileira no período analisado, indicando, assim, a fragilidade em se utilizar apenas a taxa de juros como instrumento de política monetária.

Palavras-chave: Regime de Metas de Inflação. Pós-keynesianos. Inflação.

 

Inflation dynamics and monetary policy in Brazil: a post-keynesian reading using the Self-Regressive Vector (VAR)

 

Abstract: Many countries started to use the Inflation Target Regime (RMI) as a monetary policy regime, including Brazil, which adopted it in 1999. However, there are innumerable criticisms of the way this regime operates, besides the analysis of the consequences of its use to the macroeconomic dynamics of the countries. In the context of the RMI, the deviations of the product from its natural level are taken as the cause of the generalized increase of prices, and thus, the interest rate is used as a monetary policy instrument. This work, following a post-keynesian perspective, which criticizes this regime, including considering that inflation is a multi-caused phenomenon, aims to investigate empirically what are the explanatory variables of the causes of brazilian inflation in the post-RMI period, specifically from 2003 to 2016. Thus, it is also intended to discuss whether the monetary policy based on this regime is consistent with the operation of monetary economies. For this, in addition to the bibliographic review as a procedure method, which seeks to present the theoretical differences of the so-called New Macroeconomic Consensus, which gives support to the RMI, and the post-keynesian school, this work uses the econometric methodology of Autoregressive Vectors (VAR), which allows analyzing interrelations between multiple variables, in order to obtain the relevant variables in the explanation of the price dynamics in Brazil in the recent period. The results show that the factors on the supply side of the economy largely explain the brazilian inflationary dynamics in the period analyzed, thus indicating the fragility of using only the interest rate as a monetary policy instrument.

Keywords: Inflation Target Regime. Post-keynesians. Inflation.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Naves de Deus, Universidade Federal de Uberlândia.
Doutoranda em Economia pelo Programa de Pós-graduação em Economia da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

ARESTIS, P.; SAWYER, M. Moving from Inflation Targeting to prices and incomes policy. Panoeconomicus, v. 1, i. 1, p. 1-17, 2013.

ARESTIS, P.; SAWYER, M. The nature and role of monetary policywhen money is endogenous. The Levy Economics Institute of Bard College Working Paper, n. 374, mar. 2003.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Economia e Finanças. Séries Temporais. Disponível em: <http://www4.bcb.gov.br/?SERIESTEMP>. Acesso em: jun. 2016.

BRASIL. Decreto-Lei n. 3.088, de 21 de junho de 1999. Estabelece a sistemática de “metas para a inflação” como diretriz para fixação do regime de política monetária e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 jun. 1999.

BUENO, R. de L. da. S. Econometria de Séries Temporais. São Paulo: Cengage Learning Edições Ltda., 2008.

CARRARA, A. F.; CORREA, A. L. O Regime de Metas de Inflação no Brasil: uma análise empírica do IPCA. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, set./dez. 2012.

CARVALHO, F. C. et al. Economia Monetária e Financeira: teoria e política. Rio de Janeiro: Campus, 2007.

CARVALHO, F. C. O retorno de Keynes. Novos Estudos – CEBRAP, São Paulo, n. 83, 2009.

CARVALHO, F. C. Políticas econômicas para economias monetárias. In: LIMA, G. T.; SICSÚ, J.; DE PAULA, L. F. (Org.). Macroeconomia Moderna: Keynes e a Economia Contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1999.

CARVALHO, F. C. Sobre a centralidade da teoria da preferência pela liquidez na macroeconomia pós-keynesiana. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 42-47, 1996.

CARVALHO, F. C. Temas de política monetária Keynesiana. Ensaios FEE, v. 15, n. 1, p. 33-61, Porto Alegre, 1994.

EVIEWS 8.0. Quantitative Micro Software, California. Copyright © 2012.

FREITAS, M. C. P. Banco Central Independente e coordenação de políticas macroeconômicas: lições para o Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, v. 15, n. 2, p. 269-293, 2006.

GUJARATI, D. Econometria Básica. 4. ed. São Paulo: Makron Books, 2006.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. IPEA-DATA. Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br>. Acesso em: jun. 2016.

KEYNES, J. M. A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

KEYNES, J. M. A Treatise on Money: the Pure Theory of Money – The Collected Writings of John Maynard Keynes. Londres: MacMillan: Royal Economic Society, 1971.

LIBÂNIO, G. A. Temas de política monetária: uma perspectiva pós-keynesiana. Textos para discussão, Belo Horizonte: UFMG: Cedeplar, n. 29, 2004.

MENDONÇA, H. F. Metas para a Taxa de Câmbio, Agregados Monetários e Inflação. Revista de Economia Política, v. 22, n. 1(85), jan./mar. 2002.

MODENESI, A. M. Regimes Monetários: Teoria e a Experiência do Real. Barueri: Manole, 2005.

MOREIRA, R. R. Revisitando as críticas pós-keynesianas à Nova Síntese Neoclássica: questões de política monetária. Análise Econômica, Porto Alegre, v. 30, n. 57, 2012.

OREIRO, J. L.; NEVES, J. L. O regime de metas de inflação: uma abordagem teórica. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 29, n. 1, p. 101-132, 2008.

SARAIVA, P. J.; DE PAULA, L. F. Crítica Pós-Keynesiana à Revisão do Novo Consenso Macroeconômico. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA, 7., 2014, São Paulo. Anais... São Paulo, 2014.

SICSÚ, J. A negação da ineficácia da política monetária: a alternativa de Keynes e dos pós-keynesianos. Análise Econômica, Porto Alegre, v. 15, n. 28, p. 80-107, 1997.

SICSÚ, J. Políticas não monetárias de controle da inflação: uma proposta pós-keynesiana. Análise Econômica, Porto Alegre, v. 21, n. 39, 2003.

SILVA, G. J. C.; TERRA, F. H. B; VIANA, A. P. C. Uma Leitura Pós-Keynesiana da Dinâmica de Preços e da Política Monetária no Brasil Pós-Meta de Inflação: Uma Análise por Vetores Autoregressivos. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA, 7., 2014, São Paulo. Anais... São Paulo, 2014.

SUMMA, R. F.; MACRINI, L. Os determinantes da inflação brasileira recente: estimações utilizando redes neurais. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 279-296, 2014.

TERRA, F. H. B. Uma interpretação pós-keynesiana do Regime de Metas de Inflação: poderia a Autoridade Monetária ser capturada pelo sistema bancário? In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 18., 2013, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, 2013.

Publicado
23-04-2018
Como Citar
Deus, L. N. de. (2018). Dinâmica da inflação e política monetária no Brasil: uma leitura pós-keynesiana com uso da metodologia de Vetores Autorregressivos (VARs). RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 17(1), 283-312. https://doi.org/10.18593/race.v17i1.13027