Os efeitos dos royalties da mineração sobre a promoção do desenvolvimento econômico dos municípios baianos: uma análise para o período entre 2009 e 2011 por meio da abordagem DEA

  • Jéssica da Silva Cerqueira Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).
  • Adriano Alves de Rezende Professor do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz - DCEC/UESC
  • Carlos Eduardo Ribeiro Santos Professor do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz - DCEC/UESC

Resumo

Resumo

 

Desde 2007, o setor mineral na Bahia vem elevando sua atividade e aumentando a arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) ou royalties da mineração. Assim, com este trabalho visou-se demonstrar o efeito da CFEM sobre o desenvolvimento dos municípios baianos, particularmente sobre a educação, por meio da Análise Envoltória de Dados – Data Envelopment Analysis (DEA). Com o objetivo de demonstrar o investimento eficiente dos recursos advindos da CFEM utilizaram-se como amostra 93 municípios, no período de 2009 a 2011. Foram coletados dados do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) e do Ministério de Minas e Energia. Constatou-se que a alocação eficiente da CFEM não se relaciona diretamente com seu volume. Dos municípios analisados, cinco apresentaram eficiência em sua alocação. Quanto à sua eficiência sobre educação, percebeu-se que estes são mais bem percebidos em municípios pequenos. Conclui-se que a mineração gera empregos direta e indiretamente e tende a fomentar o desenvolvimento dos municípios baianos mediante a CFEM.

Palavras-chave: Bahia. CFEM. Desenvolvimento econômico. Eficiência. IFDM.

 

Abstract

 

Since 2007, the mining sector in Bahia has increased its activity and increased the collection of the Financial Compensation for Mineral Exploration (FCME), or mining royalties. Thus, this paper aimed to demonstrate the effect of FCME on the development in the municipalities of Bahia, particularly on education, through Data Envelopment Analysis (DEA). In order to demonstrate the efficient investment of resources coming from the FCME 93 municipalities were used as sample in the period between 2009 and 2011. Data were collected from the Municipal Development Firjan Index (MDFI) and the Ministry of Mines and Energy. It was found that the efficient allocation of FCME is not directly related to its volume. From the municipalities analyzed, five had efficiency in their allocation. Regarding their the efficiency on education, it was realized that these are best perceived in small municipalities. It was concluded that mining generates direct and indirect jobs and tends to foster development in the municipalities through FCME.

Keywords: Bahia. FCME. Economic development. Efficiency. MDFI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica da Silva Cerqueira, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Economista pela Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

MBA Executivo em Consultoria e Planejamento Empresarial, pela Universidade Cândido Mendes.

Aluna especial do Programa de Pós-Graduação em Economia Regional e Políticas Públicas - PERPP/UESC

Adriano Alves de Rezende, Professor do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz - DCEC/UESC

Mestre em Economia pela Universidade Federal de Viçosa - PPGE/UFV

Especialista em Gestão de Negócios e Empreedimentos pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Economista pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Carlos Eduardo Ribeiro Santos, Professor do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz - DCEC/UESC
Economista pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura, Memória e Região (Políticas Públicas de Desenvolvimento Regional) pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Referências

ADLER, N., F., L; SINUANY-STERN, Z. Review of ranking methods in the data envelopment analysis context, European Journal of Operational Research: v.140, p.249-265. 2002.

ALI, A.I. Streamlined computation for Data Envelopment Analysis, European. Journal of Operational Research: v.64, p.61-67. 1993.

ÂNGULO MEZA, L. et al. Seleção de Variáveis em DEA aplicada a uma análise do mercado de energia elétrica. Investigação Operacional. Lisboa: n.27, p.21-36, 2007.

ANGULO-MEZA, L.; LINS, M. P. E. Review of Methods for Increasing Discrimination in Data Envelopment Analysis. Annals of Operations Research: v.116, p.225-242, 2002.

ANGULO MEZA, L. et al. ISYDS – Integrated System for Decision Support (SIAD – Sistema Integrado de Apoio à Decisão): A Software Package for Data Envelopment Analysis Model. Pesquisa Operacional: v.25, n.3, p.493-503, 2005.

BRASIL, Lei n 12.858, de 9 setembro de 2013. Dispõe sobre a destinação para as áreas de educação e saúde de parcela da participação no resultado ou da compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural; altera a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. DF, n. 175, p.1, set. 2013. Seção 1.

BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasilia, DF: Senado Federal, 1988.

CORREIA, J. S. S. A Bahia é um dos estados mais estudados geologicamente falando do Brasil. In: Mineração na Bahia. Salvador: p.02. 2011. Disponível em: <http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&ved=0CCMQFjAB&url=http%3A%2F%2Fwww.redeaplmineral.org.br%2Fbiblioteca%2Festudos-e-pesquisas%2FCADERNO%2520BAHIA%2520MINERACaO.pdf&ei=nucdVL6eLsOSsQTBp4GoCA&usg=AFQjCNE6vF3hywE9aWqKs2MEj6zW7Uy5jQ&bvm=bv.75775273,d.cWc>. Acesso em: 1 set. 2014.

DALSON FILHO, F. et al. O que fazer e o que não fazer com a regressão: pressupostos e aplicações do modelo linear de Mínimos Quadrados Ordinários (MQO). Revista Política Hoje: v.20, n.1, p.44-99, 2011.

DANIEL, L. P. et. al. Eficiência na oferta de serviços públicos de saúde nos municípios do estado do Mato Grosso. Dissertação (Mestrado em Economia). Programa de Pós-graduação em Economia (PPGE). Universidade Federal de Viçosa, 82f. Viçosa, 2011.

DAVIDSON, R.; MacKINNON, J. G. Estimation and Inference in Econometrics. Oxford University Press, 1993.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL. DNPM. Mineração no Semiárido Brasileiro. 2009. Disponível em: <http://www.dnpm.gov.br/conteudo.asp?IDSecao=68&IDPagina=1232>. Acesso em 30/ago/2014.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL. DNPM. Arrecadação da CFEM 2013. 2013. Disponível em: <http://www.dnpm.gov.br/mostra_arquivo.asp?IDBancoArquivoArquivo=8633>. Acesso em 8/mar/2014.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL. DNPM. Sobre a CFEM. 2014. Disponível em: <http://www.dnpm.gov.br/conteudo.asp?IDSecao=60>. Acesso em 6/mar/2014.

EMILIANO, P. C. Fundamentos e Aplicação dos Critérios de Informação: Akaike e Bayesiano. 2009. 92f. Dissertação (Mestrado em Estatística e Experimentação Agropecuária). Faculdade de Ciências Exatas, Universidade Federal de Lavras, 2009.

ENRÍQUEZ, M. A. R. S. da. Maldição ou Dádiva? Os dilemas do desenvolvimento sustentável a partir de uma base mineira. 2007.449 f. Tese (Doutorado em

Desenvolvimento Sustentável). Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília. Brasília, 2007. Disponível em: <http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2836>. Acesso em 7/mar/2014.

ERVILHA, G. T; ALVES, F. F; GOMES, A.P. Desenvolvimento municipal e eficiência dos gastos públicos na Bahia: uma análise do IFDM a partir da metodologia DEA. Bahia Análise e Dados. Salvador, v.23. n.3. p.553-585. jul./set. 2013. Disponível em: <http://www.sei.ba.gov.br/images/publicacoes/download/agua/nordeste.pdf>. Acesso em 26/out/2014.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Firjan. Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – IFDM. Disponível em: <http://www.firjan.com.br/ifdm/>. Acesso em: 18 dez. 2015.

FERNANDES, S. M. de; SANTOS, A. L. M. Contribuição dos recursos minerais e petrolíferos ao desenvolvimento econômico dos municípios baianos. Bahia Análise e Dados. Salvador. v.24. n.9. p.127-140, jan./mar., 2014.

FERREIRA, C. M. C.; GOMES, A. P., Introdução à Análise Envoltória de Dados: Teoria, Modelos e Aplicações. Viçosa-MG: Editora UFV, 2009.

GOMES, E. G. et al. Fronteira DEA difusa na avaliação de eficiência em agricultura, Investigação Operacional, v.26, n.1, p. 65-88, 2006.

GOMES, E. G. Modelos de análise de envoltória de dados com ganhos de soma zero. Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção), Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

GUJARATI, D. Econometria básica. Rio de Janeiro: Elsevier, 812p, 2006.

HILL, R. C.; GRIFFITHS, W. E.; JUDGE, G. G. Econometria. São Paulo: Saraiva, 471p., 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Área Territorial Brasileira. 2014a. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/cartografia/default_territ_area.shtm. Acesso em 5 mar. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Estados – Bahia. 2014b. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=ba. Acesso em: 27 nov. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Classificação Nacional de Atividades Econômicas. Cnae. Disponível em: <http://www.cnae.ibge.gov.br/secao.asp?codsecao=B&TabelaBusca=CNAE_200@CNAE%202.0>. Acesso em: 8 dez. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO. Ibram. Industria da mineração. Ano VI, n.41, p.3, fev/2011. Disponível em: <http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00001260.pdf>. Acesso em: 27 fev. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO. Ibram. Informações e análises da economia mineral brasileira. 2. ed., p.9, 2012. Disponível em: < http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00004430.pdf>. Acesso em 5/mar/2014.

INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO. Insa. População Total Residente. Disponível em:<http://www.insa.gov.br/censosab/index.php?option=com_content&view=article&id=97&Itemid=96>. Acesso em 28 ago. 2016.

LETA, F.R. et al. Métodos de melhora de ordenação em DEA aplicados à avaliação estática de tornos mecânicos. Investigação Operacional, v.25, n.2, p.229-242, 2005.

LINS, M. E.; LOBO, M. S. C.; SILVA, A. C. M.; FISZMAN, R.; RIBEIRO, V. J. P. O uso da Análise Envoltória de Dados (DEA) para a avaliação de hospitais universitários brasileiros. Rio de Janeiro: Ciência e Saúde Coletiva, v.12, n.4, p.985-998, 2007.

MADDALA, G. S.Introdução à Econometria. Rio de Janeiro: LTC, 345p. 2003.

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Sistema e Administração tributária – Uma visão Geral. Brasília: 2002. Disponível em: <http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/estudotributarios/estatisticas/20SistemaAdministracaoTributaria.pdf>. Acesso em 15/abr/2014.

MONTEIRO, M. A. de. Amazônia: mineração, tributação e desenvolvimento regional. Novos Cadernos NAEA. v.7, n.2, p.159-186, dez/2004. Disponível em: <http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/ncn/article/view/45/40>. Acesso em 6/mar/2014.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. MME. (2013). Marco Regulatório da Mineração. 2013. Disponível em: http://www.mme.gov.br/mme/menu/Novo_Marco_da_Mineracao.html. Acesso em 5/mar/2014.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. MME. (2011). Relatório Técnico 09: Análise Comparativa de Royalties. 2009. Disponível em: . Acesso em 30/ago/2014.

NETTO, W. D.; MEZA, L. Â. Análise dos Cursos de Pós-Graduação da CAPES utilizando modelos de Análise Envoltória de Dados – DEA. 076. Simpósio de Pesquisa Operacional e Logística da Marinha (SPOLM), Rio de Janeiro: ago/2009.

NOGUEIRA, L. C. B; RAMOS, F. S. Uma proposta de distribuição dos royalties do petróleo introduzindo critérios de eficiência: uma abordagem DEA. TD. n.18. João Pessoa: UFPB/PIMES, 2013. 17p. Disponível em: <http://www.ccsa.ufpb.br/ppge/arquivos/ensaios/TD18_2013.pdf>. Acesso em 20/jul/2014.

REZENDE, A. A.; CORRÊA, C. R.; DANIEL. L. P. Os impactos da política de inovação tecnológica nas universidades federais: uma análise das instituições mineiras. Revista de Economia e Administração: São Paulo, v.12, n.1. p.100-131, 2013.

REZENDE, A. C. Bahia vira novo pólo de mineração do Brasil. 2011. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/bahia-vira-novo-polo-de-mineracao-do-brasil>. Acesso em 29/mar/2013.

RODRIGUES, A. C. M; SILVEIRA, S. F. de. R. Análise da eficiência socioeconômica dos municípios mineradores da região central de minas gerais. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. São Paulo: Anais..., XXXIII, 2009. Disponível em: <http://www.anpad.org.br/diversos/trabalhos/EnANPAD/enanpad_2009/APS/2009_APS2300.pdf>. Acesso em 8/mar/2014.

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. SDE. A Bahia em números. 2014. Disponível em: http://www.sde.ba.gov.br/Pagina.aspx?pagina=abahiaemnumeros >. Acesso em: 29 ago. 2016.

SOARES, M. J.C.C. et al. Curso de Análise de Envoltória de Dados. In: XXXVII SBPO - Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional. Gramado: 2005. Disponível em: http://www.uff.br/decisao/sbpo2005_curso.pdf. Acesso em 27/out/2014.

Publicado
30-08-2017
Como Citar
Cerqueira, J. da S., de Rezende, A. A., & Santos, C. E. R. (2017). Os efeitos dos royalties da mineração sobre a promoção do desenvolvimento econômico dos municípios baianos: uma análise para o período entre 2009 e 2011 por meio da abordagem DEA. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 16(2), 603-632. https://doi.org/10.18593/race.v16i2.12556