Centralidade do trabalho na perspectiva de mulheres em diferentes faixas etárias

  • Patrícia Moreira da Rocha Amaral de Souza Instituto Coppead de Administração/UFRJ
  • Ana Luiza Szuchmacher Verissimo Lopes Instituto Coppead de Administração/UFRJ
  • Adriana Victoria Garibaldi Hilal Instituto Coppead de Administração/UFRJ

Resumo

No presente estudo descreve-se a centralidade do trabalho na perspectiva de mulheres brasileiras, com nível superior, de diferentes faixas etárias (20 a 29 anos, 30 a 39 anos, acima de 40 anos) e que trabalham em empresas privadas na Cidade do Rio de Janeiro. Este é um estudo qualitativo em que se utilizou a análise de conteúdo como método de pesquisa e teve-se como principal fonte de dados a entrevista em profundidade. A análise foi realizada em torno da dimensão centralidade do trabalho, que consiste na importância absoluta (valor atribuído ao trabalho dentro da vida do indivíduo) e relativa (valor atribuído a ele se comparado a outras esferas da vida, como família, amigos, lazer e religião, entre outras) do trabalho na vida de uma pessoa (MOW, 1987). Na pesquisa identificou-se que o trabalho remunerado é uma atividade central e importante na vida das entrevistadas. No entanto, verificou-se também que a relação afetiva e temporal com o trabalho passa por mudanças ao longo do tempo. À medida que as entrevistadas vão adquirindo maior maturidade e experiência, elas repensam suas prioridades e procuram, efetivamente, em maior ou menor medida, conciliar o trabalho com outras esferas de suas vidas. A maternidade parece contribuir significativamente para que desejem estabelecer novas dinâmicas cotidianas, podendo participar ativamente da criação de seus filhos e da rotina familiar.

Palavras-chave: Centralidade do trabalho. Trabalhadoras. Empresas privadas. Diferentes faixas etárias. Pesquisa qualitativa.

 

Abstract

 

This study aimed to describe and analyze the centrality of work in the perspective of Brazilian women with higher education, from different age groups (20 to 29 years, 30 to 39 years, over 40 years), and working in private companies in the City of Rio de Janeiro. This is a qualitative study, and used content analysis as research method and in-depth interview as a primary source of data. The analysis was performed around the dimension centrality of work, which is the absolute importance (relevance assigned to work within the life of the individual) and the relative importance (relevance assigned to it compared to other spheres of life such as family, friends, leisure and religion, among others) of work in a person's life (MOW, 1987). The research identified that paid work is a central and important activity in the lives of the interviewees. However, it also found that the emotional and temporal relationship with the work changes over time. As the respondents acquire greater maturity and experience, they rethink their priorities, and effectively seek, at greater or lesser extent, to reconcile work with other spheres of their lives. Motherhood seems to contribute significantly to wishing to establish new daily dynamics and be able to actively participate in the upbringing of their children and family routine.

Keywords: Centrality of work. Private organizations. Women workers. Age distribution. Qualitative analysis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Moreira da Rocha Amaral de Souza, Instituto Coppead de Administração/UFRJ
Mestre em Administração pelo Instituto Coppead de Administração/UFRJ
Ana Luiza Szuchmacher Verissimo Lopes, Instituto Coppead de Administração/UFRJ

Doutora em Administração pelo Instituto Coppead de Administração/UFRJ

Adriana Victoria Garibaldi Hilal, Instituto Coppead de Administração/UFRJ
Doutora em Administração pelo Instituto Coppead de Administração/UFRJ

Referências

ALBORNOZ, S. O que é trabalho - São Paulo: Brasiliense, 4ª ed., 102 p., 1986.

ARAÚJO, R. R.; SACHUK, M. I. Os sentidos do trabalho e suas implicações na formação dos indivíduos inseridos nas organizações contemporâneas. REGE: Revista de Gestão, v.14, n.1, p.53-66, 2007.

BASTOS, A. V. B.; PINHO, A. P. M.; COSTA, C. A. Significado do Trabalho - Um Estudo entre Trabalhadores Inseridos em Organizações Formais. RAE - Revista de Administração de Empresas, v.35, n.6, nov/dez 1995.

BORGES, L. DE O.; ALVES FILHO, A. A mensuração da motivação e do significado do trabalho. Estudos de Psicologia, v.6, n.2, p.177-194, 2001.

BORGES, L. DE O.; TAMAYO, A. A Estrutura Cognitiva do Trabalho. Revista Psicologia, Organizações e Trabalho, v.1, n.2, p.11-44, 2001.

BROWN, A., KITCHELL M., O’NEILL T., LOCKLIEAR J., VOSLER A., KUBEK D., et al. Identifying meaning and perceived level of satisfaction within the context of work. Work, v.16, n.3, p.219, 2001.

BRUSCHINI, C.; PUPPIN, A. B. Trabalho de Mulheres Executivas no Brasil no Final do Século XX. Cadernos de Pesquisa, v.34, n.121, p.105-138, jan/abr 2004.

CASTELLS, M. O Poder da Identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CODA, R.; FONSECA, G.F. Em busca do significado do trabalho: Relato de um estudo qualitativo entre executivos. Revista Brasileira de Gestão de Negócios – FECAP, São Paulo-SP, n.14, p.7-18, abr. 2004.

CODO, W. O Fazer e a Consciência. In: LANE, S. T. M.; CODO, W. (Org.). Psicologia Social: o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense, 1984.

DE CARVALHO NETO, A. M.; TANURE, B.; ANDRADE, J. Executivas: Carreira, Maternidade, Amores e Preconceitos. RAE – Revista de Administração Eletrônica, v.9, n.1, p1-23, jan/jun 2010.

DEDECCA, C. S. Flexibilidade e regulação de um mercado de trabalho precário: A experiência brasileira. In: GUIMARÃES, N. A.; HIRATA, H.; SUGITA, K. (Org.). Trabalho flexível, empregos precários? Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

DRUCKER, P.F. Tecnologia, gerência e sociedade: As transformações da empresa na sociedade tecnológica. Petrópolis: Vozes, 1971.

FONSECA, M. S. Um Estudo sobre o Significado do Trabalho para Servidores Públicos na Faixa Etária dos 50 Anos de Idade. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto COPPEAD de Administração, orientadora: Prof. Úrsula Wetzel, Rio de Janeiro, 2009.

FRANÇA, A. L.; SCHIMANSKI, E. Mulher, trabalho e família: uma análise sobre a dupla jornada feminina e seus reflexos no âmbito familiar. Revista Emancipação, v.9, n.1, p.65-78, 2009.

FREITAS, H.; JANISSEK, R. Análise Léxica e Análise de Conteúdo: Técnicas complementares, sequenciais e recorrentes para exploração de dados qualitativos. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 176p., 2000.

GOMES, A. F. O Outro no Trabalho: Mulher e Gestão. Revista de Gestão USP, São Paulo, v.12, n.3, p.1-9, jul/set 2005.

GOULART, P. M. Trabajar en el nuevo capitalismo: cultura y experiencia del trabajo en el Brasil Contemporáneo. Tese de Doutorado, Faculdade de Psicologia, Universidade Autônoma de Barcelona, Barcelona. 2006.

JAIME, P. Para além das pink collars – Gênero, trabalho e família nas narrativas de mulheres executivas. Revista de Ciências Sociais (Civitas), v.11, n.1, p.135-155, jan/abr 2011.

JYOTHI, V. S.; JYOTHI, P. Assessing Work-Life Balance: Form Emotional Intelligence and role Efficacy of Career Women. Advances in Management, v.5, n.6, p.35-43, Jun2012.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

MELO, K. S.; APARICIO, I.; OLIVEIRA, P. C.; CALVOSA, M. V. D. Desenvolvimento de Carreira: O Papel da Mulher nas Organizações. Revista Cadernos de Administração, ano 2, v.1, n.3, jan/jun 2009.

MORIN, E. M. Os Sentidos do Trabalho. RAE - Revista de Administração de Empresas, v.41, n.3, p. 8-19, jul/set 2001.

MORIN, E. M.; TONELLI, M. J.; PLIOPAS, A. L. O trabalho e seus sentidos. Psicologia & Sociedade, v.19, n.especial, p.47-56, 2007.

MORSE, N. C.; WEISS, R. S. The Function and Meaning of Work and the Job. American Sociological Review, v.20, n.2, p.191-198, 1955.

MOW. Meaning of Work International Research Team. The meaning of working. London: Academic Press, 1987.

OLIVEIRA, A. R.; GAIO, L. E.; BONACIM, C. A. G. Relações de Gênero e ascensão feminina no ambiente Organizacional: um ensaio teórico. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), v.2, n.1, p.80-97, jan/abr 2009.

PEIRÓ, J. M.; PRIETO, F. A. Tratado de psicología del trabajo: volumen II aspectos psicosociales del trabajo. Madrid : Editorial Síntesis, 284p., 2006.

PROBST, E. R. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Instituto Catarinense de Pós-Graduação, 2006.

SANTOS, G. S. Significados Atribuídos ao Trabalho: Uma Análise Comparativa entre Professores do Ensino Superior em Diferentes Regimes de Trabalho. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade FUMEC (Fundação Mineira de Educação e Cultura), FACE – Faculdade de Ciências Empresariais, orientadora: Prof. Zélia Miranda Kilimnik, Belo Horizonte – MG, 2010.

TEYKAL, C. M; ROCHA-COUTINHO, M. L. O homem atual e a inserção da mulher no mercado de trabalho. PSICO, v.38, n.3, p.262-268, set/dez 2007.

TOLFO, S. R., PICCININI, V. Sentidos e significados do trabalho: explorando conceitos, variáveis e estudos empíricos brasileiros. Psicologia & Sociedade, v.19, Edição Especial, n.1, p. 38-46, 2007.

TONATI, A. V. Gestão Feminina – Um Diferencial de Liderança Mito ou Nova Realidade. VII Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 2011.

VÁZQUEZ-CARRASCO, R.; LÓPEZ-PÉREZ, M. E.; CENTENO, E. A qualitative approach to the challenges for women in management: are they really starting in the 21st century? Quality and Quantity, v.46, n.5, p.1337-1357, 2012.

VECCHIO, R. P. The Function and meaning of Work and the job: Morse And Weiss (1955) Revisited. Academy of Management Journal, v. 23, n.2, p.361-367, jun 1980.

VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo, Editora Atlas, 6ª ed., 96p., 2005.

VILELA, E. C. Significado do Trabalho e Escolha Acadêmico-Profissional: Um Estudo com Universitários Primeiranistas. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Rio Grande no Norte, orientadora: Prof. Lívia de Oliveira Borges, Natal, 2003.

Publicado
23-03-2017
Como Citar
de Souza, P. M. da R. A., Lopes, A. L. S. V., & Garibaldi Hilal, A. V. (2017). Centralidade do trabalho na perspectiva de mulheres em diferentes faixas etárias. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 16(1), 9-36. https://doi.org/10.18593/race.v16i1.10547