A importância da avaliação psicológica em docentes

  • Chancarlyne Vivian Unoesc
  • Lisandra Antunes de Oliveira

Resumo

A avaliação psicológica (AP) aponta para a complexidade do ser humano e de seus fenômenos psicológicos. Com esse intuito, neste estudo teve-se como objetivo analisar a importância da avaliação psicológica em professores na prática docente, uma vez que esses profissionais representam uma categoria que está exposta a muitos desafios e vulnerabilidades. Trata-se de um estudo de caso qualiquantitativo, realizado por meio de entrevista semiestruturada e aplicação da Escala de Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho (EVENT). Após análise, os resultados foram organizados em quatro categorias: as vulnerabilidades na atividade laboral; os desafios de ser professor; o profissional camaleão: estratégias, habilidades e capacidades do docente; e as tonalidades da docência, que discorrem sobre os principais aspectos percebidos no trabalho de professores de uma escola pública. Para isso, foram utilizados instrumentos da avaliação psicológica para identificar fragilidades e potencialidades de suas práticas, com o propósito de posteriormente traçar estratégias para melhorias e resolutividades de situações que estão presentes no contexto escolar. Entende-se que é fundamental a inserção da avaliação psicológica nesse cenário, a fim de proporcionar a construção de um espaço singular nas relações humanas, em que cada docente seja percebido na sua integralidade, oportunizando para os profissionais e a sociedade uma educação com mais qualidade e maiores avanços.

Palavras-chave: Avaliação psicológica. Docente. Trabalho.

Biografia do Autor

Chancarlyne Vivian, Unoesc

Psicóloga

Especialista em Avaliação Piscológica

Mestranda em Ciências da Saúde

 

Referências

ALCHIERI, João Carlos; CRUZ, Roberto Moraes. Avaliação Psicológica: conceito, métodos e instrumentos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

ANASTASI, Anne; URBINA, Susana. Testagem psicológica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo; ALVES, Lenoir Pessate. Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Ed. Univille, 2015.

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSICOLOGIA. Dicionário de Psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BENVENUTTI, Dilva Bertoldi. Avaliação nos Processos de Aprendizagem. Curitiba: Ed. Prismas, 2017.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Avaliação Psicológica: Diretrizes na Regulamentação da Profissão. Brasília, DF, 2010.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Cartilha Avaliação Psicológica. Brasília, DF, 2013. Disponível em: <http://satepsi.cfp.org.br/docs/cartilha.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2017.

CORTEZ, Pedro Afonso et al. A saúde docente no trabalho: apontamentos a partir da literatura recente. Caderno de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, 2017.

DEJOURS, Christophe. Psicodinâmica do Trabalho: Casos Clínicos. Porto Alegre: Dublinense, 2017. 142 p.

FRANCESCHINI, Vanessa Lima Caldeira; RIBEIRO, Paula Miranda; GOMES, Marília Miranda Fortes. Porta de Entrada ou Porta de Saída? Fracasso Escolar no Ensino Médio Segundo Estudantes e Coordenadores(as) de Escolas em Ribeirão das Neves, MG. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, 2017.

LANCMAN, Selma; SZNELWAR, Laerte Idal (Org.). Christophe Dejours: Da Psicopatologia à Psicodinâmica do Trabalho. 3. ed. rev. e ampl. Tradução Franck Soudant. Rio de Janeiro: Fio Cruz, 2011. 512 p.

LEITE, Andrea Ferreira; NOGUEIRA, Júlia Aparecida Devidé. Fatores condicionantes de saúde relacionados ao trabalho de professores universitários da área da saúde: uma revisão integrativa. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 42, 2017.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Cientificidade, Generalização e Divulgação de Estudos Qualitativos. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, p. 16-17, 2017.

MORENO, Bernardo Jimenez et sl. Avaliação do Burnout em Professores. Comparação de Instrumentos: CBP-R e MBI-ED. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 7, n. 1, p. 1-16, 2002.

PASQUALI, Luiz. Psicometria Teoria dos Testes na Psicologia e na Educação. Petrópolis: Vozes, 2017.

PEREIRA, Érico Felden et al. O trabalho docente e a qualidade de vida dos professores na educação básica. Revista de Salud Pública, Bogotá, v. 16, n. 2, p. 221-231, 2014.

PEREIRA, Marcelo Ricardo. De que hoje padecem os professores da Educação Básica? Educar em Revista, Curitiba, n. 64, p. 71-87, 2017.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo. Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, 2002.

PRIMI, Ricardo. Avaliação psicológica no Brasil: fundamentos, situação atual e direções para o futuro. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, DF, v. 26, p. 25-35, 2010.

PRIMI, Ricardo; NUNES, Carlos Henrique Sancineto da Silva. O Satepsi: desafios e propostas de aprimoramento. In Conselho Federal de Psicologia. Avaliação psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão, Brasília, DF, p. 129- 148, 2010.

ROGERS, Carl Ransom. Tornar-se Pessoa. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

ROGERS, Carl Ransom. Um jeito de ser. São Paulo: EPU, 1983.

SANTOS, Seille Garcia. A Entrevista em Avaliação Psicológica. Revista Especialize Online, Goiânia, v. 1, n. 8, 2014.

SEIXAS, Rita Helena Moreira; CALABRÓ, Luciana; SOUSA, Diogo Onofre. A Formação de professores e os desafios de ensinar Ciências. Revista Thema, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 289-303, 2017.

SISTO, Fermino Fernandes et al. Escala d Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho – EVENT. São Paulo: Vetor, 2012.

SOUZA, Kellcia Rezende; KERBAUY, Maria Teresa Miceli. Abordagem Quati-Qualitativa: Superação da Dicotomia Quantitativa-Qualitativa na Pesquisa em Educação. Educação e Filosofia, v. 31, n. 61, 2017.

YIN, Robert K. Estudo de Caso. Planejamento e Métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Publicado
14-11-2018
Como Citar
Vivian, C., & Oliveira, L. A. de. (2018). A importância da avaliação psicológica em docentes. Pesquisa Em Psicologia - Anais eletrônicos, 19-32. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/pp_ae/article/view/19209