As possibilidades da Psicologia Escolar em uma universidade da terceira idade: atividade prática acadêmica

  • Jaqueline Fabbi UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Ana Luiza Toaldo Nardi UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • André Marcos Spiecker Gasparin UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Bruna Lunardi Belegante UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Aline Bogoni Costa UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA

Resumo

No presente trabalho apresentam-se compreensões construídas por graduandos da quinta fase do Curso de Psicologia, no componente curricular Psicologia Escolar, a partir de observações e entrevistas realizadas com idosos participantes de uma Universidade da Terceira Idade. A proposta da atividade ora descrita foi a inserção nesse campo de atuação profissional, possibilitando aos graduandos a prática de elaboração de diagnóstico e a formulação de possibilidades de estratégias de intervenção. Realizaram-se cinco momentos de observações das aulas e entrevistas com coordenadores do projeto. A partir dessas compreensões, explicadas com embasamento teórico acerca da educação de adultos, acredita-se ser possível criar estratégias para qualificar a forma de ensino-aprendizagem de cada instituição.

Palavras-chave: Psicólogo escolar. Educação. Terceira idade.

Referências

BATISTONI, Samila Sathler Tavares et al. Metodologias e Estratégias Pedagógicas utilizadas por Educadores de uma Universidade Aberta à Terceira Idade. 2015. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/45741>. Acesso em: 18 maio 2017.

COSTA, Aline Bogoni; SOARES, Dulce Helena Penna. Orientação psicológica para a aposentadoria. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 97-108, dez. 2009. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext& pid=S1984-66572009000200009&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 12 ago. 2017.

FERNANDES, Priscila Matos. O idoso e a assistência familiar: uma abordagem da família cuidadora economicamente dependente do idoso. Revista Novo Enfoque 7.7, 2008. Disponível em: <http://www.castelobranco.br/sistema/ novoenfoque/edicao/artigos/7>. Acesso em: 30 maio 2017.

LOURAU, René. René Lourau na UERJ: Análise Institucional e Práticas de Pesquisa. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 1993.

BRASIL. Lei n. 12.796, de 04 de abril de 2013. Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 04 abr. 2013. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivi l_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm>. Acesso em: 18 maio 2017.

RABELO, Dóris Firmino; NERI, Anita Liberalesso. Intervenções psicossociais com grupos de idosos. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 16, n. 4, dez. 2013. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/ 20022>. Acesso em: 20 maio 2017.

REIS, Alexandra; PETERSSON, Karl Magnus; FAÍSCA, Luís. Neuroplasticidade – Os efeitos de aprendizagens específicas no cérebro humano. 2009. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Alexandra_Reis/publication/50809628_Neuroplasticidade_Os_efeitos_de_aprendizagens_especificas_no_cerebro_humano/links/57222add08aee491cb32e0a9.pdf>. Acesso em: 18 maio 2017.

RESENDE, Márcia Colamarco Ferreira; DIAS, Elizabeth Costa. Cuidadores de idosos: um novo/velho trabalho. Physis, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 785-800, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010373312008000400010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 23 jul. 2017.

RIBEIRO, Olga Oliveira Passos. Ergomotricidade: dialógica entre ergonomia e psicomotricidade formando vínculos no posto de trabalho. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PSICOMOTRICIDADE. VÍNCULOS EM PSICOMOTRICIDADE: O REAL E O VIRTUAL, 12., 2013, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Psicomotricidade, 2013. Disponível em: <http://www.academia.edu/9484094/Trabalhos_Cient%C3%ADficos_ Temas_ Livres_-Setembro_2013_-pag._1-144_1_XII_Congresso_Brasileiro_de_Psicomotric idade>. Acesso em: 30 maio 2017.

SARTRE, Jean-Paul; LÉVY, Beny. A Esperança Agora. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

SCORALICK-LEMPKE, N. N.; BARBOSA, A. J. G. Educação e envelhecimento: Contribuições da perspectiva life-span. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 29, n. 1, p. 647-655, 2012.

SCORTEGAGNA, Paola Andressa; OLIVEIRA; Rita de Cássia da Silva. Educação: integração, inserção e reconhecimento social para o idoso. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 13, n. 1, jun. 2010. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/4858> Acesso em: 20 maio 2017.

SILVA, Cátia Andrade et al. Vivendo após a morte de amigos: história oral de idosos. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v16n1/a12v16n1>. Acesso em: 22 maio 2017.

TEIXEIRA SILVA, Patrícia Andreia. Competências cognitivas gerais e independência funcional em adultos dos 60 aos 75 anos de idade. 2015. Disponível em: <https://repositorio.utad.pt/handle/10348/6632>. Acesso em: 18 maio 2017.

UNOESC. UNITI, UMIC e UMIX. Disponível em: <http://www.unoesc.edu.br/ portal/uniti-umic>. Acesso em: 12 ago. 2017.

Publicado
14-11-2018
Como Citar
Fabbi, J., Nardi, A. L. T., Gasparin, A. M. S., Belegante, B. L., & Costa, A. B. (2018). As possibilidades da Psicologia Escolar em uma universidade da terceira idade: atividade prática acadêmica. Pesquisa Em Psicologia - Anais eletrônicos, 33-42. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/pp_ae/article/view/19172