Práticas em saúde mental na atenção primária à saúde

  • Ester Lavratti Pereira UNOESC
  • Mariana Toniato UNOESC
  • Maurício Lanzini UFFS
  • Ray Costa Brito UNOESC
  • Ana Paula Pereira UNOESC - Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

A Reforma Psiquiátrica revolucionou o eixo da saúde mental, buscando consolidar práticas em saúde que visassem à melhoria da abordagem no atendimento aos portadores de transtornos mentais no contexto da Atenção Primária à Saúde (APS). Teve-se como objetivo a identificação de quais são as práticas de saúde mental na APS, assim como verificar se há preparo profissional da equipe multidisciplinar para realizar as práticas de saúde mental na APS e identificar a importância da inclusão social do doente mental. Realizou-se um levantamento de dados nacionais e internacionais por meio da revisão de publicações da área da saúde em bases de dados científicos, como CAPES, PubMed, OMS, Scielo, EBSCO e Google acadêmico, com os seguintes descritores: profissionais, prática, saúde mental, preparo, inclusão social do doente mental, trabalho e saúde mental. Foram utilizados 13 artigos publicados entre 2005 e 2016. O Sistema Único de Saúde (SUS) dispõe de diversas diretrizes que fundamentam as práticas de saúde a serem exercidas na APS. Entretanto, barreiras são encontradas quando a teoria deve ser posta em prática. As práticas em saúde mental trouxeram um olhar mais social e humanizado acerca do cuidado aos portadores de transtornos mentais. Nesse sentido, embora avanços sociais tenham sido conquistados com a idealização de tais práticas, sua aplicação ainda é um desafio para a saúde brasileira.

Palavras-chave: Saúde mental. Atenção primária. Práticas.

Biografia do Autor

Ana Paula Pereira, UNOESC - Universidade do Oeste de Santa Catarina
Mestre em Biociências e Saúde (2016), Especialista em Comportamento Humano nas Organizações (2007), Especialista em Gestão de RH (2001), Graduada em Psicologia (1999) pela Universidade do Oeste de Santa Catarina. Atualmente professora no Ensino Superior e Assessora da Coordenação do Curso de Medicina da UNOESC - Campus Joaçaba. Também atua como Psicóloga Consultora nas áreas de Psicologia Organizacional e do Trabalho em Empresas Públicas e Privadas. Experiência na área de Psicologia, com ênfase em Saúde do Trabalhador, Clima Organizacional, Recrutamento e Seleção de Pessoal, Treinamento e Desenvolvimento, Avaliação Psicológica, atuando principalmente nos seguintes temas: Comportamento humano, gestão de pessoas, clima organizacional, cultura organizacional, acompanhamento psicológico, avaliação psicológica, saúde e desenvolvimento.

Referências

BARONI, Daiana Paula Milani; FONTANA, Lívia Maria. Ações em saúde mental na atenção primária no município de Florianópolis, Santa Catarina. Revista Mental, Barbacena, n. 12, p. 15-37, 2009. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v7n12/v7n12a02.pdf>. Acesso em: 14 set. 2017

CAMPOS, Rosana Onocko; FIGUEIREDO, Mariana Dorsa. Saúde Mental na atenção básica à saúde de Campinas, SP: uma rede ou um emaranhado? Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 136, 2009. Disponível em: <http://www.redalyc.org/pdf/630/63014114.pdf>. Acesso em: 04 out. 2017.

CAMURI, Danilo; DIMENSTEIN, Magda. Processos de Trabalho em Saúde: práticas de cuidado em saúde mental na estratégia saúde da família. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 4, p. 803-813, 2010. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/sausoc/article/view/29704/31579>. Acesso em: 14 set. 2017.

CORREIA, Valmir Rycheta; BARROS, Sônia; COLVERO, Luciana de Almeida. Saúde Mental na Atenção Básica: prática da equipe de saúde da família. RevEscEnferm, v. 45, n. 6, p. 1501-1506, 2011.

FIGUEIREDO, Marina Dorsa; CAMPOS, Rosana Onocko. Saúde Mental na atenção básica à saúde de Campinas, SP: uma rede ou um emaranhado? Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, n. 1, p. 129-138, 2007. Disponível em: <https://www.scielosp.org/article/csc/2009.v14n1/129-138/>. Acesso em: 14 set. 2017.

FRATESCHI, Mara Soares; CARDOSO, Cármen Lúcia. Práticas em saúde mental na atenção primária à saúde. Psico, Porto Alegre, v. 47, n. 2, p. 159-168, 2016.

MACIEL, Silvana C. et al. Exclusão social do doente mental: discursos e representações no contexto da reforma psiquiátrica. Psico-USF (Impr.), Itatiba, v. 13, n. 1, jan./jun. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-82712008000100014&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 14 set. 2017.

MINISTÉRIO DA SAÚDE; SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. Brasília, DF: OPAS, 2005. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf>. Acesso em: 14 set. 2017.

RODRIGUES, Rúbia Cristina; MARINHO, Tanimar Pereira Coelho; AMORIM, Patrícia. Reforma Psiquiátrica e inclusão social pelo trabalho. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, jun. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232010000700073>. Acesso em: 14 set. 2017.

SALLES, Mariana Moraes; BARROS, Sônia. Inclusão social de pessoas com transtornos mentais: a construção de redes sociais na vida cotidiana. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 7, jul. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-82712008000100014&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 13 set. 2017.

Publicado
14-11-2018
Como Citar
Pereira, E. L., Toniato, M., Lanzini, M., Brito, R. C., & Pereira, A. P. (2018). Práticas em saúde mental na atenção primária à saúde. Pesquisa Em Psicologia - Anais eletrônicos, 147-154. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/pp_ae/article/view/19011