Impacto da cirurgia oncológica de cabeça e pescoço na função pulmonar e o efeito do uso do cicloergômetro para membros superiores na troca gasosa no período pós-operatório desses pacientes

  • Andiara de Miranda Zanella UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
  • Viviane Zotti UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
  • Antuani Rafael Baptistella UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
  • Geovana Téo Zamprogna UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
  • Eduardo Linden Júnior UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC

Resumo

O câncer de cabeça e pescoço compreende tumores malignos do trato aerodigestivo superior, e nos pacientes com indicação cirúrgica, as complicações pulmonares no pós-operatório apresentam significativa causa de morbidade e mortalidade. Objetivou-se avaliar o impacto da cirurgia de ressecção de tumores de cabeça e pescoço na mecânica respiratória, função pulmonar, e comparar a eficácia do uso do cicloergômetro em relação à fisioterapia convencional na capacidade funcional, troca gasosa e a mecânica respiratória no período pós-operatório imediato. Trata-se de um ensaio clínico aleatório de caráter experimental, realizado com pacientes candidatos à cirurgia oncológica de cabeça e pescoço. Os dados demográficos e clínicos foram coletados no prontuário, a mecânica respiratória, a função pulmonar e a troca gasosa foram mensuradas através de cirtometria, manovacuômetria, espirometria e gasometria arterial nos períodos pré e pós-operatório imediato. Os pacientes foram aleatorizados em grupo controle (GC), que recebeu tratamento fisioterapêutico convencional, e grupo intervenção (GI), que realizou terapia com cicloergômetro para membros superiores e inferiores. Ambos os grupos realizaram oito sessões durante quatro dias de internação, após esse período a mecânica respiratória e troca gasosa foram reavaliadas. Houve maior prevalência do sexo masculino (63,2%), e a média de idade foi de 58,6 (± 13,2); o tempo médio de internação foi de 8,3 ± 10,7 dias, não apresentando correlação com a presença de comorbidades (p= 0,291). No período pós-operatório observou-se diminuição significativa da Pressão Expiratória máxima (PEmax) (p=0,001), da VEF1 (p=0,011) e do Escore de Cuello (p= 0,002). Ao comparar o GI com o GC, foi observada melhora significativa nos níveis de PO2 arterial no GI (p= 0,043). A cirurgia oncológica de cabeça e pescoço promove impacto na mecânica respiratória e função pulmonar dos pacientes, e a implementação de um protocolo de tratamento com o uso do cicloergômetro pode melhorar a capacidade de troca gasosa em comparação à fisioterapia convencional nesses pacientes.

Palavras-chave: Fisioterapia. Neoplasias de cabeça e pescoço. Complicações pós-operatórias. Cirurgia. Cicloergômetro.

Biografia do Autor

Andiara de Miranda Zanella, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC

Graduada em Fisioterapia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina, Joaçaba-SC; Residente em Atenção ao Câncer – Universidade de Passo Fundo.

Área das Ciências da Vida.

Viviane Zotti, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC

Graduada em Fisioterapia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina, Joaçaba-SC; 

Área das Ciências da Vida.

Antuani Rafael Baptistella, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
Doutor em Oncologia; Mestre em Biociências; Professor no Curso de Fisioterapia da Universidade do Oeste de Santa Catarina de Joaçaba.
Geovana Téo Zamprogna, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
Mestre em Biociências e Saúde; Professora no Curso de Fisioterapia da Universidade do Oeste de Santa Catarina
Eduardo Linden Júnior, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC
Mestre em Ciências da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Especialista Profissional em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional  (ABRAFITO/COFFITO); Professor no Curso de Fisioterapia da Universidade do Oeste de Santa Catarina
Publicado
08-05-2018
Como Citar
Zanella, A. de M., Zotti, V., Baptistella, A. R., Zamprogna, G. T., & Linden Júnior, E. (2018). Impacto da cirurgia oncológica de cabeça e pescoço na função pulmonar e o efeito do uso do cicloergômetro para membros superiores na troca gasosa no período pós-operatório desses pacientes. Fisioterapia Em Ação - Anais eletrônicos, 14. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/fisioterapiaemacao/article/view/16931
Edição
Seção
Resumos