Acessibilidade em ambiente público: mapeamento de barreiras arquitetônicas de uma cidade do Meio-oeste catarinense

  • Aline Degenhardt Ferraz
  • Isabel Frasson
  • Eduardo Linden Junior
  • Adarly Kroth
  • Chrystianne Barros Saretto
  • Maria Esther Duran Traverso

Resumo

Acessibilidade é uma condição pela qual pessoas com algum tipo de deficiência possam usufruir dos recursos no âmbito social, com a ausência de barreiras arquitetônicas. Neste estudo teve-se como objetivo identificar, descrever e mapear as barreiras arquitetônicas de acesso aos serviços públicos oferecidos no Fórum, Universidade e Escola de Educação Básica de uma cidade do Meio-Oeste catarinense. É uma pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem quantitativa, em que para a coleta de dados foi utilizado um formulário tipo check-list, baseado no protocolo da pesquisa de Aragão (2004) e a avaliação dos resultados foi fundamentada na norma NBR 9050 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (2004). Foi observado, mediante os resultados, que as condições de acesso às avenidas e elementos urbanos em um quarteirão próximo às instituições não atenderam à norma. Ainda, há obstáculos tanto no acesso ao interior do prédio quanto na circulação vertical, e somente em uma edificação o acesso para o seu interior está condizente com a norma. Conclui-se que os locais públicos estão em processo de adaptação para torná-los mais acessíveis às Pessoas com Deficiência Física (PDF).

Palavras-chave: Pessoas com deficiência. Barreiras arquitetônicas. Equidade no acesso. Estruturas de acesso.

Referências

ARAGÃO, Antônia Eliana de Araújo. Acessibilidade da pessoa portadora de deficiente físico aos serviços hospitalares: Avaliação das barreiras arquitetônicas. 2004. 104f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem)–Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2004.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.

BRASIL. Decreto-Lei n. 10.098, 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 dez. 2000.

BRASIL. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jun. 2013.

IBGE. Censo 2010. População Santa Catarina. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/tabelas_pdf/total_populacao_santa_catarina.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2014.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Amostra pessoas com deficiência. Disponível em: <http://cod.ibge.gov.br/8BNE>. Acesso em: 01 abr. 2014.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Videira. Disponível em: <http://cod.ibge.gov.br/2G6>. Acesso em: 01 abr. 2014.

Publicado
08-05-2018
Como Citar
Ferraz, A. D., Frasson, I., Linden Junior, E., Kroth, A., Saretto, C. B., & Traverso, M. E. D. (2018). Acessibilidade em ambiente público: mapeamento de barreiras arquitetônicas de uma cidade do Meio-oeste catarinense. Fisioterapia Em Ação - Anais eletrônicos, 21-30. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/fisioterapiaemacao/article/view/16915
Edição
Seção
Artigos