Sobrecarga dos cuidadores informais de pacientes oncológicos de trato respiratório

  • Gezièl Badia
  • Camile Miotelli
  • Eduardo Linden Junior
  • Adarly Kroth
  • Chrystianne Barros Saretto
  • Maria Esther Duran Traverso

Resumo

O cuidador é toda a pessoa que assume como função a assistência a outra pessoa que, por razões topologicamente diferenciadas, foi atingida por uma incapacidade, de grau variável, não lhe permitindo cumprir, sem ajuda do outro, todos os aspectos necessários à sua existência enquanto ser humano. Diante disso, o tema de pesquisa foi avaliar a sobrecarga dos cuidadores informais de pacientes oncológicos de um hospital universitário de referência no tratamento de câncer, no ano 2017. Foram avaliadas as variáveis quantitativas de nove pacientes oncológicos e seus cuidadores informais atendidos em hospital universitário de referência em tratamento oncológico no Meio-Oeste do Estado de Santa Catarina. Para a coleta de dados aplicou-se o questionário sociodemográfico, socioeconômico. Na avaliação do desempenho funcional foi utilizada a Escala Kamofsky, e para avaliar a sobrecarga dos cuidadores informais utilizou-se o questionário de Avaliação da Sobrecarga Informal (QASCI). Observou-se no resultado da pesquisa que dos cuidadores informais, 78% (n=9) eram do sexo feminino, 78% (n=9) vivem com companheiros e 78% (n=9) possuem filhos. Quanto à escolaridade prevaleceu o Fundamental completo e o Fundamental incompleto, correspondendo a 45% (n=9). Dos analisados, 67% (n=9) não apresentavam uma profissão ativa e 45% (n=9) fazem parte da classe social C2, conforme o corte da ABEP. De acordo com a correlação entre a sobrecarga QASCI e o Kamofsky houve correlação negativa, mas não significativa (p>0,05). Apesar da pequena amostra deste estudo (n=9), obtiveram-se resultados satisfatórios, pois a maioria dos cuidadores informais investigados apresenta baixo escore para sobrecarga e os pacientes apresentam uma boa funcionalidade. Foi evidenciada na literatura escassez de estudos referentes à sobrecarga dos cuidadores informais de pacientes oncológicos, o que levou a uma limitação de comparações com o presente estudo, diante disso, sugerem-se novos estudos comparando os métodos desse estudo.

Palavras-chave: Cuidadores. Quimioterapia. Neoplasia. Capacidade funcional. 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE PESQUISA. Questionário Sócio Econômico. 2015. Disponível em: <http://www.abep.org/ >. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Guia prático do cuidador. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2008. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_cuidador.pdf>. Acesso em: 30 set. 2017.

CABRAL, Cláudia da Rocha et al. Avaliação da mortalidade e qualidade de vida dois anos após a alta do CTI: dados preliminares de uma coorte prospectiva. Revista Bras Ter Intensiva, Rio Grande do Sul, v. 21, n. 1, p. 18-24, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbti/v21n1/v21n1a03.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017.

CALDAS, C. P. O idoso em processo de demência: o impacto na família. In: MINAYO, M. C. S.; and COIMBRA JUNIOR, C. E. A. (Org.). Antropologia, saúde e envelhecimento. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2002. Disponível em: <http://books.scielo.org/id/d2frp/pdf/minayo-9788575413043-05.pdf>. Acesso em: 09 out. 2017.

CARVALHO, Maria Irene Lopes de. Entre os cuidados e os cuidadores: o feminino na configuração da política de cuidados às pessoas idosas. Campus Social - Revista Lusófona de Ciências Sociais, n. 3-4, p. 269-280, jun. 2009. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/campussocial/article/viewFile/239/148>. Acesso em: 10 mar. 2017.

COVINSKY Kenneth et al. The impact of serious illness on patients' families. Support Investigators. Study to Understand Prognoses and Preferences for Outcomes and Risks of Treatment. Jama, v. 272, i. 23, p. 1839-1844, Dec. 1994. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7990218>. Acesso em: 10 out. 2017.

CRUZ, Dídia Carolina Miranda et al. As vivências do cuidador informal do idoso dependente. Revista de Enfermagem Referência, Série III, n. 2, p. 127-136, dez. 2010. Disponível em: <http://www.index-f.com/referencia/2010pdf/32-127.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

EMANUEL, Ezekiel Jonathan et al. Assistance from family members, friends, paid givers, and volunteers in the care of terminally patients. 1999. Disponível em: <http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJM199909233411306#t=article>. Acesso em: 10 out. 2017.

FELGAR, Julia Antonieta Simões. Uma expressão da linguagem numérica. In: KARSCH, U. M. S. (Org.). Envelhecimento com dependência: revelando cuidadores. São Paulo: Educ., 2004.

GILLIGAN, Carol. In a different voice. Cambridge: Harvard University Press, 1982.

GONÇALVES, Luciana de Oliveira. Cuidadores primários familiares dos idosos atendidos na Clínica Escola de Fisioterapia da Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI. 2002. 105 p. Dissertação (Mestrado)–Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/82797/188223.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 15 set. 2017.

GONÇALVES, Lucia Hisako Takase. Perfil da família cuidadora de idoso doente/fragilizado do contexto sociocultural de Florianópolis, SC. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 15, n. 4, p. 570-577, out./dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n4/v15n4a04.pdf>. Acesso em: 20 set. 2017.

HOFFMANN, R. L.; MITCHELL, A. M. Caregiver burden: historical development. Nursing Forum, v. 33, n. 4, p. 5-11, 1998.

KLUTHCOVSKY, Ana Cláudia. TAKAYANAGUI, Ângela Maria. Qualidade de vida: aspectos conceituais. Revista Salus, Paraná, v. 1, n. 1, p. 13-15, jan./jun.2007. Disponível em: <http://www.observatorionacionaldoidoso.fiocruz.br/biblioteca/_artigos/12.pdf>. Acesso em: 04 set. 2017.

MAKIYAMA, Tomas Yoshio et al. Estudo sobre a qualidade de vida de pacientes hemiplégicos por acidente vascular cerebral e de seus cuidadores. Acta Fisiatr., São Paulo, v. 11, n. 3, p. 106-109, 2004. Disponível em: <http://www.actafisiatrica.org.br/detalhe_artigo.asp?id=261>. Acesso em: 10 set. 2017.

MARTINS, Teresa. Acidente vascular cerebral: qualidade de vida e bem-estar dos doentes e familiares cuidadores. Coimbra: Formasau, 2006.

MARTINS, Teresa; RIBEIRO José; GARRET Carolina. Estudo de validação do questionário de avaliação da sobrecarga para cuidadores informais. Porto, 2003. Disponível em: <http://repositorio.ispa.pt/bitstream/10400.12/1050/1/PSD%202003%204%281%29%20131-148.pdf>. Acesso em: 10 out. 2017.

PERLINI, Nara Marilene, FARO, Ana Cristina. Cuidar de pessoa incapacitada por acidente vascular cerebral no domicílio: o fazer do cuidador familiar. São Paulo, 2005. Disponível em: <http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2010/01/cuidados-domiciliares-no-ave.pdf>. Acesso em: 16 out. 2017.

POLO, Larissa Helena Vitoriano; MORAIS, Marcia Wanderley de. Performance de Zubrod e Índice de Karnofsky na avaliação da qualidade de vida de crianças. Revista Einstein, São Paulo, v. 7, p. 314-321, 2009. Disponível em: <http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/1241-Einstein%20v7n3p314-21_port.pdf>. Acesso em: 05 out. 2017.

ROIG, Maria Vicenta. ABENGÓZAR, Maria Carmen; SERRA, Emilia. La sobrecarga en los cuidadores principales de enfermos de Alzheimer. Murcia, v. 14, n. 2, p. 215-227, 1998. Disponível em: <http://www.um.es/analesps/v14/v14_2/08-14-2.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2017.

SOUSA, Liliana; FIGUEIREDO, Daniela; CERQUEIRA, Margarida. Envelhecer em família: os cuidados familiares na velhice. 2. ed. Lisboa: Ambar, 2006.

SOUZA , Maria das Graças Gazel de; SANTO, Fátima Helena do Espírito. O olhar que olha o outro... um estudo com familiares de pessoas em quimioterapia antineoplásica. Revista Brasileira de Cancerologia, Minas Gerais, v. 54, n. 1, p. 31-41, 2008. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/rbc/n_54/v01/pdf/artigo_5_pag_31a42.pdf>. Acesso em: 16 out. 2017.

WITTMANN VIEIRA, Rosmari; GOLDIM, José Roberto. Bioética e cuidados paliativos: tomada de decisões e qualidade de vida. Acta Paul. Enferm., Rio Grande do Sul, v. 25, n. 3, p. 334-339, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ape/v25n3/v25n3a03.pdf>. Acesso em: 02 out. 2017.

Publicado
08-05-2018
Como Citar
Badia, G., Miotelli, C., Linden Junior, E., Kroth, A., Saretto, C., & Traverso, M. (2018). Sobrecarga dos cuidadores informais de pacientes oncológicos de trato respiratório. Fisioterapia Em Ação - Anais eletrônicos, 51-60. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/fisioterapiaemacao/article/view/16913
Edição
Seção
Artigos