Perfil clínico e microbiológico da infecção no pé diabético por bactérias carbapenêmico-resistentes em um hospital do sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/eba.27178

Palavras-chave:

resistência bacteriana, carbapenêmicos, pé diabético

Resumo

As bactérias carbapenêmico-resistentes são uma causa importante de infecção no pé diabético (PD). Elas são resistentes à maioria dos agentes antimicrobianos disponíveis e estão associadas com aumento dos custos hospitalares. O perfil clínico e microbiológico da infecção no PD por esses microorganismos e a associação do PD com desfechos como mortalidade e amputação não são bem estabelecidos. Foi realizado um estudo de coorte retrospectiva envolvendo 60 pacientes internados na cirugia vascular do Hospital Nossa Senhora da Conceição devido a infecção do PD por bactérias carbapenêmico-resistentes e que foram submetidos a amputação ou desbridamento e um grupo controle de 60 pacientes randomicamente selecionados. Foram analisados o perfil epidemiológico e microbiológico desses pacientes bem como as taxas de mortalidade e amputação. Observou-se uma associação significante entre resistência bacteriana e amputação prévia, hospitalização prévia e classificação do PD em isquêmico e neuro-isquêmico. No entanto, não houve diferença nas taxas de mortalidade e de amputação entre os grupos, mesmo com o uso do escore de comorbidades de Charlson. Apesar das infecções no PD por bactérias carbapenêmico-resistentes não serem associadas estatisticamente com piores desfechos, seu estudo é importante em função das poucas opções terapêuticas disponíveis para tratar essas infecções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Caiafa JS, Castro AA, Fidelis C, Santos VP, Silva ES, Sitrangulo CJ. Atenção integral ao portador de pé diabético. J Vasc Bras. 2011;10: 1-32.

Quilici MTV. Uso prévio de antimicrobianos em pacientes hospitalizados com pé diabético [dissertação]. Sorocaba: Universidade de Sorocaba; 2011.

Brasileiro JL, Oliveira WTP, Monteiro LB, Chen J, Pinho EL, Molkenthin S, et al. Pé diabético: aspectos clínicos. J Vasc Bras. 2005;4: 11-21.

Vinodkumar CS, Hiresave S, Giriyapal BK, Bandekar N. Metallo beta lactamase producing Pseudomonas aeruginosa and its association with diabetic foot. Indian J Surg. 2011;73: 291-4.

Zubair M, Malik A, Ahmad J. Prevalence of metallo-beta-lactamase-producing Pseudomonas aeruginosa isolated from diabetic foot ulcer patients. Diabetes Metab Syndr: Clinical Research & Reviews. 2011;5: 90-2.

Echeverri-Toro LM, Rueda ZV, Maya W, Agudelo Y, Ospina S. Klebsiella pneumoniae multi-resistente, factores predisponentes y mortalidad asociada en un hospital universitário en Colombia. Rev Chil Infectol. 2012;29: 175-82.

Correa L, Martino MDV, Siqueira I, Pasternak J, Gales AC, Silva CV, et al. A hospital-based matched case-control study to identify clinical outcome and risk factors associated with carbapenem-resistant Klebsiella pneumoniae infection. BMC Infect Dis. 2013;13: 1-8.

Queiroz GM, Da Silva LM, Pietro RCLR, Salgado HRN. Multirresistência microbiana e opções terapêuticas disponíveis. Rev Soc Bras Clin Med. 2012;10: 132-8.

Lemos EV, De La Hoz FP, Einarson TR, McGhan WF, Quevedo E, Castañeda C, et al. Carbapenem resistance and mortality in patients with Acinetobacter baumanni iinfection: systematic review and meta-analysis. Clin Microbiol Infect. 2014;20: 416-23.

Hartemann-Heurtier A, Robert J, Jacqueminet S, Ha Van G, Golmard JL, Jarlier V. Diabetic foot ulcer and multidrug-resistant organisms: risk factors and impact. Diabet Med. 2004;21: 710-5.

Ji X, Jin P, Chu Y, Feng S, Wang P. Clinical characteristics and risk factors of diabetic foot ulcer with multidrug-resistant organism infection. Int J Lower Extrem Wounds. 2014;13: 64-71.

Kandemir Ö, Akbay E, Sahin E, Milcan A, Gen R. Risk factors for infection of the diabetic foot with multi-antibiotic resistant microorganisms. J Infect. 2007;54: 439-45.

Priyadarshini S, Jeya M, Linda SS. The bacteriology of diabetic foot ulcers, with a special reference to multidrug resistant strains. J Clin Diagn Res. 2013;7: 441-5.

Uçkay I, Gariani K, Pataky Z, Lipsky BA. Diabetic foot infections: state-of-the-art. Diabetes Obes Metab. 2014;16: 305-16.

Neto RM, De Carvalho CBM, Mota MO, Saldanha GB, Abreu CVMP. Pé diabético: etiologia e resistência a antimicrobianos de cepas isoladas em moradores do estado do Ceará. NewsLab. 2004;65: 118-30.

Aragão ML, Fernandes VO, Quidute ARP, Sales APAM, Dantas FCM, Porto LB. Perfil microbiológico e desfechos clínicos de úlceras graves em pés. Rev Bras Promoç Saúde. 2010;23: 231-6.

Saseedhran S, Sahu M, Chaddha R, Pathrose E, Bal A, Bhalekar P, et al. Epidemiology of diabetic foot infection in a reference tertiary hospital in India. Braz J Microbiol. 2018;49: 401-6.

Ben-David D, Kordevani R, Keller N, Tal I, Marzel A, Gal-Mor O, et al. Outcome of carbapenem resistant Klebsiella pneumoniae bloodstream infections. Clin Microbiol Infect. 2012;18: 54-60.

Martin A, Fahback K, Zhaq Q, Lodise T. Association between carbapenem resistance and mortality among adult, hospitalized patients with serious infections due to Enterobacteriaceae: results of a systematic literature review and meta-analysis. Open Forum Infect Dis. 2018;5: 1-9.

Publicado

17-06-2021

Como Citar

Braun, S., & Silva, M. (2021). Perfil clínico e microbiológico da infecção no pé diabético por bactérias carbapenêmico-resistentes em um hospital do sul do Brasil . Evidência, 21(1), 29–38. https://doi.org/10.18593/eba.27178

Edição

Seção

Saúde