Produtividade e qualidade de caqui na colheita e após armazenamento refrigerado com aplicação de diferentes doses de nitrogênio no solo

Autores

  • Edson Luiz de Souza Unoesc
  • Luiz Carlos Argenta Epagri
  • André Luiz Külkamp de Souza UFPel
  • João Peterson Pereira Gardin Gardin Unoesc
  • Cesar Valmor Rombaldi UFPel

Resumo

Com o objetivo de avaliar as respostas de caquizeiros “Fuyu” submetidos a diferentes doses de nitrogênio (N), relacionados a aspectos produtivos e de qualidade pós-colheita, durante as safras 2007, 2008 e 2009 em um pomar comercial adulto, localizado no município de Rio das Antas, SC, foi aplicado 0 – 30 – 60 – 120 – 180 kg.ha-1 de N. Na pré-colheita determinou-se o número de frutos por planta, o índice de queda prematura de frutos, a produtividade e a porcentagem de frutos moles por ocasião da colheita. Os frutos foram colhidos quando se encontravam no ponto de maturação comercial e as amostras a serem armazenadas foram expostas ao 1-MCP, embaladas em bolsa de polietileno e armazenadas 45 dias a 0±0,8 ºC e umidade relativa de 77±7%. As análises foram feitas logo após a colheita e sete dias depois do período de armazenagem refrigerada, em que se mensurou a coloração da casca, a firmeza de polpa, o teor de sólidos solúveis totais, a firmeza subjetiva, a incidência de estrias, translucidez, podridões, pintas pretas grandes  e pintas pretas pequenas. Adicionalmente foi realizada a análise mineral da polpa e da folha. A aplicação de N proporcionou aumento do número de frutos recém-formados e da produtividade e também influenciou na qualidade destes.

Palavras-chave: Escurecimento. Distúrbios fisiológicos. Nitrogênio. Firmeza. Adubação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Luiz de Souza, Unoesc

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrado (2003) e doutorado (2010) em Ciência e Tecnologia Agroindustrial pela Universidade Federal de Pelotas. Atualmente é professor e pesquisador da Universidade do Oeste de Santa Catarina e pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. Tem experiência na área de Fruteiras de Clima Temperado, Ciência e Tecnologia de Alimentos e Biotecnologia (bebidas).

Luiz Carlos Argenta, Epagri

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Pelotas (1986) , mestrado em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa (1989) , doutorado em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa e United States Department Of Agriculture (1998) , pós-doutorado pela United States Department Of Agriculture Agricultural Research Service (2000) e curso-tecnico-profissionalizante em Técnico Agrícola pelo Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (1981) . Atualmente é Pesquisador III da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina e Revisor de periódico da Agropecuária Catarinense. Tem experiência na área de Botânica , com ênfase em Fisiologia Vegetal. Atuando principalmente nos seguintes temas: maturação, armazenamento, atmosfera controlada, perdas pós-colheita, distúrbio por CO2 e compostos aromáticos. 02/08/11.

André Luiz Külkamp de Souza, UFPel

Possui graduação em Agronomia pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (UFPel), foi bolsista da CAPES, em nível de mestrado, no Programa de Pós-Graduação em Agronomia, Universidade Federal de Pelotas (PPGA/UFPEL), na área de concentração em Fruticultura de Clima Temperado. Atualmente Bolsista CNPq de doutorado na mesma instituição. Auditor Técnico do Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras. Experiência na área de Fruticultura de Clima Temperado, Ciência e Tecnologia de Alimentos e Armazenamento e Conservação de Grãos.

João Peterson Pereira Gardin Gardin, Unoesc

Atualmente é pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri e professor de Fisiologia Vegetal da Unoesc, trabalha na linha de "Fisiologia de Fruteiras de Clima Temperado". Tem formação de doutorado em Fisiologia Vegetal, com área de concentração em Ecofisiologia, pela Universidade Federal de Lavras. Mestre em Fisiologia Vegetal e Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência como docente de ensino superior nas disciplinas Fisiologia Vegetal, Ecofisiologia, Ecologia Vegetal e Metodologia de Pesquisa e como pesquisador visitante no Projeto Xisto Agrícola, convênio Embrapa/Iapar/Petrobras. Atualmente trabalha com Fisiologia de Plantas Frutíferas de Clima Temperado, estudando as respostas fisiológicas das plantas frutíferas a reguladores de crescimento, adubações alternativas e fatores climáticos.

Cesar Valmor Rombaldi, UFPel

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1984), mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial pela Universidade Federal de Pelotas (1987), mestrado em Technologie Végétale - Ecole Nationale Superieure Agronomique de Toulouse (1991), e doutorado em Biologie Moléculaire Végétale - Ecole Nationale Superieure Agronomique de Toulouse (1994). Em 2008 realizou estágio pós-doutoral no LGBF do ENSAT-INP. Atualmente é professor Titular da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Fisiologia Pós-Colheita de Frutas e Hortaliças, atuando principalmente nos seguintes temas: estudo de mecanismos bioquímico-moleculares da maturação de frutas, propriedades funcionais em frutas e hortaliças, qualidade e conservação, sistemas de produção segura de alimentos.

Downloads

Publicado

04-04-2012

Como Citar

Souza, E. L. de, Argenta, L. C., Souza, A. L. K. de, Gardin, J. P. P. G., & Rombaldi, C. V. (2012). Produtividade e qualidade de caqui na colheita e após armazenamento refrigerado com aplicação de diferentes doses de nitrogênio no solo. Evidência, 11(1), 19–32. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/evidencia/article/view/1443