Controle estatístico de processo aplicado na etapa de embutimento de apresuntado de uma agroindústria do oeste catarinense

Autores

  • Dirceu Scaratti Unoesc
  • Rodrigo Spillari
  • Gidiane Scaratti Unochapecó

Resumo

O presente estudo teve como objetivo principal avaliar a eficiência do processo de embutimento de apresuntados (peso em gramas) em uma agroindústria processadora de alimentos de grande porte situada no oeste do Estado de Santa Catarina. Foram coletados dados de peso na etapa de embutimento nos três turnos de trabalho da agroindústria no mês de fevereiro de 2011, totalizando 60 amostras, cada qual com cinco observações (n = 300). Os dados coletados foram tratados com métodos de Controle Estatístico de Processo (CEP). Os resultados apontam que o processo em estudo é ineficiente, pois existem variabilidades significativas quanto aos padrões desejáveis de peso líquido do produto embalado, se comparado com um processo ideal com δ de 5g de variação por embalagem. Se considerados os limites atuais aceitos pela empresa, a capacidade de processo (Cp) situa-se em 1,045, classificada como razoavelmente capaz; entretanto, quando ajustados os limites de meta (delta 5g) a Cp fica em apenas 0,174, considerada incapaz e muito abaixo de uma Cp mínima de índice 1,0. O processo estudado aponta um desperdício de uma unidade de 3710g de apresuntado para cada 408 unidades produzidas, o que significa um prejuízo aroximado de R$ 10.000,00/mês.

Palavras-chave: Eficiência. Apresuntado. Variabilidade. Controle Estatístico do Processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dirceu Scaratti, Unoesc

Doutor em Engenharia de Produção, professor e pesquisador da Universidade do Oeste de Santa Catarina

Rodrigo Spillari

Especialista em Engenharia da Produção.

Gidiane Scaratti, Unochapecó

Acadêmica de Engenharia Química na Unochapecó.

Downloads

Publicado

27-04-2012

Como Citar

Scaratti, D., Spillari, R., & Scaratti, G. (2012). Controle estatístico de processo aplicado na etapa de embutimento de apresuntado de uma agroindústria do oeste catarinense. Evidência, 11(1), 7–18. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/evidencia/article/view/1150