Entre Chronos e Têmis: passado e presente na luta pela democracia na OAB

  • Maria Cristina Cardoso Pereira Universidade Federal de Goiás

Resumo

Resumo: Neste artigo relacionamos as lutas empreendidas pela OAB pela democracia e liberdades políticas com as iniciativas de ruptura ao Regime Militar. Para esse processo, não apenas a resistência levada a cabo pelos advogados e os jurisdicionados foi fundamental, mas a reflexão ativa realizada por Raymundo Faoro sobre as prioridades a serem assumidas pela Ordem representou um divisor de águas na luta pela implantação de um verdadeiro Estado democrático de direito.

Palavras-chave: Ordem dos Advogados do Brasil. Ditadura Civil-Militar. Raymundo Faoro. Democratização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Cardoso Pereira, Universidade Federal de Goiás

Pós-doutora em sociologia (Unicamp), Doutora em Ciências Sociais (Unicamp), Doutoranda em Direito, Estado e Constituição (UnB)

Referências

ELIAS, N. Du temps. Paris: Favard, 1996.

GASPARI, Elio. A ditadura envergonhada. São Paulo, Cia das Letras. 2002.

________________. A ditadura encurralada. Rio de Janeiro. Ed. Intrínseca. 2003.

________________. A ditadura escancarada. Rio de Janeiro. Ed. Intrínseca. 2002.

A OAB NA VOZ DE SEUS PRESIDENTES. RJ, OAB, 2003. Vol 7 da coleção História da Ordem dos Advogados.

Benevides, Maria Victoria. A UDN e o udenismo. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981.

BOBBIO, O futuro da democracia. Lisboa: publicações Dom Quixote. 1988.

CONSELHO FEDERAL DA OAB. Ata da sessão do Conselho Federal de 11/08/1962.

CURI, Isadora Volpato. Juristas e o regime militar (1964-1985): atuação de Victor Nunes Leal no STF e de Raymundo Faoro na OAB. Dissertação de mestrado. Universidade de São Paulo, 2008.

DISCURSO DE CASTELLO BRANCO. Revista internacional direito e cidadania. http://www.reidespecial.org.br/?CONT=00000356. Acesso em 01/05/2014 às 11:10.

FAORO, R. A democracia que teremos. Lua Nova, Revista de política e cultura. Junho de 1985. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/ln/v2n1/a02v2n1.pdf. Acesso em 08/05/2014.

FAORO, R. Entrevista a Marcelo Neves. FOLHA DE SÃO PAULO, 14 de maio de 2000. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs1405200003.htm. Acesso em 07/04/2014.

MATTOS, Marco A. V. L. Os cruzados da ordem jurídica. A atuação da OAB (1945-1964). São Paulo, USP, Tese de Doutorado em história. 2011.

_______________. Contra as reformas e o comunismo: a atuação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no governo Goulart. Estudos históricos. Rio de Janeiro, vol. 25, no. 49. P. 149-168. Jan. Junho de 2012.

MOTTA, Marly. “Dentro da névoa autoritária acendemos a fogueira”... - a OAB na redemocratização (1974080). Revista Culturas jurídicas, v. 3, no. 1, jan/jun. Disponível em: 2008. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/6806/1726.pdf?sequence=1 . Acesso em 08/04/2014.

MEZZAROBA, Orides. Introdução ao Direito Partidário Brasileiro. 2a. Ed. Rev. Rio de Janeiro, Lumen Juris. 2004.

OST, François. O tempo do direito. Lisboa, Piaget. 1999.

ROLLEMBERG, Denise. Memória, opinião e cultura política. A Ordem dos Advogados do Brasil sob a ditadura (1964-1974). In: reis, DANIEL AARÃO E rolland, DENIS (ORGS). Modernidades alternativas. Rio de Janeiro, Editora FGV. 2008.

OAB E ENTIDADES SE MOBILIZAM POR ELEIÇÕES LIMPAS. Disponível em http://www.oab.org.br/noticia/25153/oab-e-entidades-se-mobilizam-por-eleicoes-limpas. Acesso em 08/05/2014.

PEREIRA, M. Cristina C. Gramsci e a resistência dos conselhos operarios na itália no limiar do taylorismo (1918-1920). Dissertação de Mestrado. IFCH, Unicamp. 2001.

PROJETO DE LEI ELEIÇÕES LIMPAS. Disponível em:

O projeto de Lei encontra-se em https://eleicoeslimpas.org.br/assets/files/projeto_de_lei_eleicoes_limpas.pdf?1371963119. Acesso em 08/05/2014.

SANTOS, Boventura. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. Porto. Ed. Afrontamento. 1994.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor das batatas. São Paulo. Livraria Duas Cidades. 1981.

SOUZA, Jessé. A ética protestante e a ideologia do atraso brasileiro. In: Revista brasileira de ciências sociais. V. 13, no. 38, p. 97-116, out. 1988.

SCHUMPETER, J. A teoria do desenvolvimento econômico. Coleção Os Economistas. São Paulo, Abril. 1982.

TRUBEK, David, Max Weber sobre direito e ascensão do capitalismo, de 1972. In: DIREITO GV, v.3, n. 1, p. 151-186.

VERMEULE, Adrian. Judging under uncertainty: an institutional theory of legal interpretation. Harvard University, 2006.

WEBER, M. Ciência e política: duas vocações. São Paulo, Cultrix. 1988.

________, M. Études critiques pour server à la logique des sciences de la cultura (1906). In: Essais sur la théorie de la science. Paris, Plon, 1964. P. 294.

ZIZEK, S. Bem vindo ao deserto do real. Boitempo, 2003.

Publicado
28-04-2017
Como Citar
Pereira, M. C. C. (2017). Entre Chronos e Têmis: passado e presente na luta pela democracia na OAB. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], 18(1), 83-98. https://doi.org/10.18593/ejjl.v18i1.6301