RESTRIÇÃO AO DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL: OBJEÇÕES ORÇAMENTÁRIAS NO ENTENDIMENTO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SANTA CATARINA DE 2001 A 2012 / RESTRICTION TO RIGHT OF CHILD EDUCATION: BUDGET RESTRICTIONS ACCORDING TO UNDERSTANDING OF THE COURT OF SANTA CATARI

Autores

  • Marilia Wesseler Jung Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Aristides Cimadon Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Jéssica Romeiro Mota Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

A pesquisa estabeleceu e analisou a evolução temporal do entendimento do Tribunal de Justiça de Santa Catarina quanto à efetivação do direito fundamental ao ensino infantil diante das restrições orçamentárias. O método consiste no levantamento de decisões relativas ao fornecimento de vagas em creches e pré-escolas exaradas pelo Tribunal por meio de pesquisa no website oficial, sem corte temporal e selecionadas as que direta ou indiretamente se referiam a objeções orçamentárias. Foram encontradas 154 decisões entre 2001 e 2012, organizadas por ano de julgamento e, em cada ano, pelo binômio efetivação/não efetivação do direito, fornecendo a análise quantitativa. A análise qualitativa consiste na extração da argumentação jurídica a favor ou contra a efetivação do direito à educação infantil, explicitando o entendimento do Tribunal no que se refere à esfera orçamentária e à sua arguição, a fim de obstar o direito em análise. Verificou-se que até 2006, o Tribunal posicionava-se pela prevalência das restrições, furtando-se a interferir nas políticas orçamentárias. A partir do referido ano, com poucas exceções, as decisões são no sentido de assegurar o direito ao ensino infantil como um direito absoluto. Concluiu-se que a melhor forma de o Poder Judiciário assegurar o direito à educação infantil é ordenando a inclusão de recursos necessários à ampliação da oferta de vagas nos programas orçamentários dos Entes Públicos, possibilitando um fornecimento homogêneo.

Palavras-chave: Direitos sociais. Ensino infantil. Restrições orçamentárias. Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Ativismo judicial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos fundamentais. Tradução de Virgílio Afonso da Silva. 2 ed. São Paulo: Malheiros, 2011.

AMARAL, Gustavo. Direito, escassez & escolha: em busca de critérios Jurídicos para lidar com a escassez de recursos e as decisões trágicas. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

ARAÚJO, Alessandra Matos de. Efetividade do direito à educação: análise de conteúdo da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. In: VIII Congresso Nacional do CONPEDI, 2009. São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: 2009. Disponível em: <http://www.conpedi.org.br/anais_saopaulo.html.>. Acesso em 15 out. 2012.

ARAÚJO, Alessandra Matos de. Legitimidade democrática do controle judicial do direito à educação. 2011. 146 f. Dissertação (Mestrado em Direito Público)-Instituto Brasiliense de Direito Público, Brasília, 2011.

BRASIL, Constituição: República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL, Ministério da Educação. Plano de Desenvolvimento da Educação. Brasília: MEC, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/livro/index.htm>. Acesso em 29 set. 2012.

CUNHA, Flávio; HECKMAN, James. A evidência sobre formação de capital humano ao longo da vida. Universidade de Pennsylvania e Universidade de Chicago, 2008. Disponível em: <http://www.alfaebeto.org.br/documentos/capital_humano.pdf>. Acesso em 10 out. 2012.

DUARTE, Clarice Seixas. A educação como um direito fundamental de natureza social. Revista Educação Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, 2007. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 30 set. 2012.

HECKMAN, J.J. Investir nos mais jovens. In: Tremblay RE, Barr RG, Peters RDeV, Boivin M, eds. Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância. Montreal, Quebec: Centre of Excellence for Early Childhood Development; 2010:1-2. Disponível em: <http://www.enciclopedia-crianca.com/documents/HeckmanPRTxp.pdf>. Acesso em 15 out. 2012.

LEIVAS, Paulo Gilberto Cogo. Teoria dos direitos fundamentais sociais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006.

MARINHO, Carolina Martins. Justiciabilidade dos direitos sociais: análise de julgados do direito à educação sob o enfoque da capacidade institucional. 2009. 26 f. Dissertação (Mestrado em teoria Geral e Filosofia do Direito)-Faculdade de Direito da USP, São Paulo, 2009.

NUNES, Maria Fernanda Rezende; CORSINO, Patrícia; DIDONET, Vital. Educação infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília: UNESCO, Ministério da Educação-Secretaria de Educação Básica, Fundação Orsa, 2011. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002144/214418por.pdf>. Acesso em 27 set. 2012.

ROSA, Rosangela Corrêa da. A garantia do direito humano à educação de qualidade: a oferta da educação infantil no Rio Grande do Sul como novo desafio do Ministério Público. 2011. Disponível em: < http://www.mp.rs.gov.br/areas/infancia/arquivos/a_garantia.pdf>. Acesso em 22 set. 2012.

ROYER, Hilário. Educação infantil: impacto econômico e social. Porto Alegre, 2011. 9 diapositivos, color.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais. 8. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

SILVA, Carlos Eduardo Moreira da. Direito à educação em face do princípio da reserva do possível: a importância dos instrumentos de controle social. Jornal de políticas educacionais, São Paulo, n. 9, 2011b. Disponível em: <http://www.jpe.ufpr.br/n9_5.pdf>. Acesso em: 12 set. 2012.

SILVA, Virgílio Afonso da. Direitos fundamentais: conteúdo essencial, restrições e eficácia. São Paulo: Malheiros Editores, 2011a.

SILVEIRA, Adriana A. Dragone. Exigibilidade do direito à educação infantil: uma análise da jurisprudência. In: XXIV Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação. 2009, Niterói; Vitória: Anais... Vitória: UFES/PPGR, 2009.

TIMM, Luciano Benetti. Qual a maneira mais eficiente de prover direitos fundamentais: uma perspectiva de direito e economia? In: Ingo Wolfgang Sarlet, Luciano Benetti Timm (Org.). Direitos fundamentais: orçamento e “reserva do possível”. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010. p. 51-62.

WANG, Daniel Wei Liang. Escassez de recursos, custos dos direitos e reserva do possível na jurisprudência do STF. Revista Direito GV, São Paulo, v. 4, n.2, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em: 13 ago. 2012.

Downloads

Publicado

2014-06-12

Como Citar

Jung, M. W., Cimadon, A., & Mota, J. R. (2014). RESTRIÇÃO AO DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL: OBJEÇÕES ORÇAMENTÁRIAS NO ENTENDIMENTO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SANTA CATARINA DE 2001 A 2012 / RESTRICTION TO RIGHT OF CHILD EDUCATION: BUDGET RESTRICTIONS ACCORDING TO UNDERSTANDING OF THE COURT OF SANTA CATARI. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], 15(2), 421–442. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/espacojuridico/article/view/2841

Edição

Seção

Direitos Fundamentais Sociais