Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia: fundamentos e aplicação

  • Thaysa Prado Ricardo dos Santos

Resumo

No presente artigo visa-se apresentar a proposta fornecida pela Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia, bem como sua necessidade de observância e aplicação efetiva. Para isso, será feito breve histórico do desenvolvimento do Estado moderno para o Estado contemporâneo, inclusive explicando quais foram os principais fundamentos para a diminuição da soberania estatal no seu modelo absoluto. Isso mostra-se essencial para entender a necessidade da Europa em estabelecer união entre seus países como modo necessário de sobrevivência na ordem global. Especialmente sobre a Europa, será apresentada uma análise do contexto que levou a elaboração da Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia, mostrando-se suas funções, âmbito de aplicação, direitos relacionados em seus capítulos, bem como o desenvolvimento de sua natureza jurídica. Após essa análise, expõe-se os atos realizados após a primeira promulgação dessa Carta, inclusive visando demonstrar sua necessidade de aplicação e conhecimento pelos cidadãos, principalmente após sua importância e efetividade jurídica ter sido reconhecida no final de 2007 para defender que, apenas com a cooperação entre os Estados-membros europeus, será possível a persecução de seus objetivos, a fim de garantir efetiva proteção aos direitos dos cidadãos e prevenir, cada vez mais, abusos e arbítrios por autoridades mal-intencionadas.

Palavras-chave: Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia. Soberania. Normas compartilhadas. Legitimidade democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Prado Ricardo dos Santos, T. (2012). Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia: fundamentos e aplicação. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], 9(2), 93-112. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/espacojuridico/article/view/1910
Seção
Artigos