CONSIDERAÇÕES MARGINAIS ACERCA DA (I)RACIONALIDADE DA CRIMINALIZAÇÃO NA SOCIEDADE BRASILEIRA

  • Janaina de Souza Bujes, UFRGS, Brasil Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Resumo: No presente artigo pretendemos discutir alguns aspectos do tratamento diferenciado que ocorre na incidência da criminalização secundária e do poder punitivo impostos pelo Estado brasileiro. A partir das reflexões de Marcelo Neves e de Eugênio Zaffaroni levantamos algumas considerações sobre os reflexos destas relações na incidência da criminalização secundária. Temos como argumento central que a formação de duas parcelas sociais – uma delas denominada subintegrada e principal “cliente” do sistema penal e outra parcela considerada sobreintegrada, – colaboram para a criação de espaços em que temos a negação de direitos fundamentais, além de tratamentos penais diferenciados. Tomando como referência a realidade brasileira, verificamos a necessidade de superação das relações de sobreintegração e subintegração, fato que exige um enfrentamento do paradoxo formado pela presença simultânea do legalismo e da impunidade, perseguindo a generalização da cidadania a todos os segmentos sociais, a fim de construir um espaço público de legalidade e constitucionalidade.

Palavras-Chave: Cidadania. Exclusão social. Administração da justiça. Criminalização. Antropologia jurídica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-03-2012
Como Citar
de Souza Bujes, UFRGS, Brasil, J. (2012). CONSIDERAÇÕES MARGINAIS ACERCA DA (I)RACIONALIDADE DA CRIMINALIZAÇÃO NA SOCIEDADE BRASILEIRA. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], 12(1), 83-94. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/espacojuridico/article/view/1416
Seção
Direitos Fundamentais Civis