Multiculturalismo liberal e imigração: os limites da política da diferença

  • Raquel Fabiana Lopes Sparemberger Universidade Federal do Rio Grande- FURG
  • Bruno Heringer Junior Fundação Escola Superior do Ministério Público-RS

Resumo

Resumo: Os Estados contemporâneos caracterizam-se por um acentuado pluralismo étnico, racial e religioso, o que vem se acentuando nos últimos anos, em razão do fenômeno da migração e do refúgio humanitário. Essa situação tem levado grupos de migrantes, refugiados e nacionais marginalizados a encaminhar demandas por reconhecimento, respeito e promoção de sua singularidade cultural, impondo aos governos o incontornável desafio de delimitar o espaço legítimo das manifestações divergentes, bem como da extensão da representação política e do autogoverno desses grupos populacionais. Apesar de a política da diferença contrapor-se, até certo ponto, aos postulados liberais que orientam os Estados contemporâneos, as demandas por reconhecimento provavelmente continuarão a ocorrer. Nesse processo, o Direito Internacional dos Direitos Humanos constitui um limite infranqueável às expressões culturais divergentes, principalmente no que se refere às migrações, imigrações e refúgios. Neste estudo, o método de abordagem é o dialético, e a técnica de pesquisa é a bibliográfica. A título de considerações finais, o reconhecimento parcial, mas progressivo, vem sendo, mundo afora, a criação de inúmeros programas de valorização das minorias culturais, a instituição de ações afirmativas compensatórias, a atribuição de autonomia, o autogoverno a certos grupos, a consideração de seus costumes e tradições no momento de aplicação de leis gerais, entre tantas outras medidas Estatais. Palavras-chave: Multiculturalismo. Liberalismo político. Política da diferença. Direitos humanos. Imigração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Fabiana Lopes Sparemberger, Universidade Federal do Rio Grande- FURG

Pós-doutora em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Doutora em Direito pela Universidade Federal do Paraná - UFPR. Mestre em Direito pela UFPR. Possui graduação em Direito pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1995). Professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande - FURG, professora do Programa de Mestrado em Direito da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Teoria Geral do Direito, Direito Constitucional, Direito Ambiental e Direitos Humanos, América latina e questões decoloniais. Professora pesquisadora do CNPq e FAPERGS. Professora participante do Grupo de Pesquisa em Antropologia Jurídica - GPAJU da UFSC e Pesquisadora dos Grupos de Pesquisa em Direito e Justiça social e Hermenêutica e Ciências Criminais do Programa de Mestrado em Direito da FURG. Coordena o Grupo de Estudos sobre o Constitucionalismo Latino-Americano-GDCONST. Membro da Comissão de avaliação da pós-graduação em Direito da CAPES -2014-2015. Advogada.

Bruno Heringer Junior, Fundação Escola Superior do Ministério Público-RS

Doutor e Mestre em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), RS.

Professor do Mestrado em Direito da Fundação Escola Superior do Ministério Público-FMP. Professor de Direito Penal e Coordenador do Curso de Especialização em Direito Penal e Processual Penal da Faculdade de Direito da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP), RS.Promotor de Justiça, RS

Referências

ABDALA JUNIOR, Benjamin.Fronteiras múltiplas e identidades plurais. São Paulo: Senac, 2002.

ACNUR CARTILHA DO TRABALHADOR REFUGIADO E SOLICITANTE DE REFÚGIO, 2016.

ALARCON. Pietro de Jesús Lora . Direitos dos refugiados: uma leitura com fundamento nos princípios constitucionais. Disponível em: https://www.flickr.com/photos/trocaire/9365116234

APPIAH, Kwame Anthony. Cultura, comunidades e cidadania. In. HELLER, Agnest. Et.al. A crise dos paradigmas em ciências sociais e os desafios para o século XXI. RJ: Contraponto: 1999.

BRASIL. Anteprojeto de Lei. Dispõe sobe o ingresso, permanência e saída dos estrangeiros do território nacional, a concessão da naturalização, cria o Conselho Nacional de Migração, define crimes e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-200 6/2005/Consulta/consulta_estrangeiro. htm>. Acesso em: 26 out. 2009.

BRASIL. Câmara. Audiência Pública n° 1606/08 de 25 de novembro 2008. Debate sobre questões sociais, econômicas e políticas relacionadas com a imigração e com o trabalho estrangeiro no Brasil. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/internet/sitaqweb/TextoHTML. Acesso em: 26 out. 2009.

BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 2000.

CAVARZERE, Thelma Thais. Direito Internacional da Pessoa Humana: a circulação internacional de pessoas. Rio de Janeiro: Renovar, 1995.

CASTLES, Stephen; DE HAAS, Hein; MILLER, Mark J. The Age ofMigration: Internationalpopulationmovements in theModern World. 5. ed. New York/London: The Guilford Press, 2014.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

CRETELLA NETO, José. Curso de Direito Internacional Penal. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

FREEDEN, Michael. Liberalism: A very short introduction. Oxford: Oxford University Press, 2015, kindleedition.

GAUS, Gerald F.; KUKATHAS, Chandran (Eds.). HandbookofPoliticalTheory. London/Thousand Oaks/New Delhi: Sage, 2004.

HALL, Stuart. Identidades culturais. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. RJ: DP&A, 2003.

GIDDENS, Anthony. O Estado-nação e a violência. São Paulo: EDUSP, 2001.

GLOVER, Jonathan et al. Naciones, identidad y conflito: Una reflexión sobre losimaginarios de los nacionalismos. Barcelona: Gedisa, 2014, kindleedition.

GOMES, Luiz Flávio; MAZZUOLI, Valerio de Oliveira. Comentários à Convenção Americana sobre Direitos Humanos – Pacto de San José da Costa Rica. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.

HAYWARD, Clarissa Rile; WATSON, Ron. Identityandpoliticaltheory. Disponível em: <http://openscholarship.wustl.edu>. Acesso em: 14/03/2016.

HELLY, Denise.Primacía de losderechos o cohesión social: Los limites del multiculturalismo canadiense. Disponível em: <http://dialnet.unirioja.es>. Acesso em: 19/03/2016.

JOPPKE, Christian. The retreatofmulticuturalism in the liberal State. Disponível em: <http://www.humanityinaction.org>. Acesso em: 31/03/2016.

LOEWE, Daniel. La utopia multicultural. Disponível em: <http://www.scielo.com>. Acesso em: 14/07/2015.

KYMLICKA, Will. Ciudadanía multicultural. Barcelona/Buenos Aires/México: Paidós, 2015.

LOPES, Ana Maria D’Ávila. Multiculturalismo: Conciliando diversidade cultural e identidade nacional no Canadá. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br>. Acesso em: 18/11/2015.

MARTUCELLI, Danilo. As contradições políticas do multiculturalismo. Disponível em: <http://anped.org.br>. Acesso em: 17/09/2015.

MELLO, Celso de Albuquerque. Curso de Direito Internacional Público. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

NOVAES, Adauto. A crise do Estado-nação. Organizador: Adauto Novaes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

PAVIANI, Jayme. O humanismo latino no Brasil de hoje. Belo Horizonte: PUC Minas, 2004.

PINILLA, JulioSeoane. Comunitarismo, multiculturalismo: Uncomentario. Disponível em: <http://rua.ua.es>. Acesso em: 25/11/2015.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e o Direito Constitucional Internacional. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

RAMOS, André de Carvalho. Curso de direitos humanos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SEMPRINI, Andrea. Multiculturalismo.Tradução de Laureano Pelegrin. Bauru.SP:EDUSC, 1999.

TAYLOR, Charles. A política de reconhecimento. In. TAYLOR, Charles. Multiculturalismo. Examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Piaget, 1997.

TAYLOR, Charles. El multiculturalismo y “la política delreconocimiento”. 2. ed. México: Fondo de Cultura Económica, 2009.

TUMA JUNIOR, Romeu. Brasil defende Direitos Humanos ao anistiar imigrante. 07 fev. 2009. Disponível em: <http://www.conjur.com.br/2009-fev-07/anistia-concedida-estrangeiros-medida-humanitaria> Acesso em 09 nov. 2009.

TENÓRIO, Oscar. Direito Internacional Privado. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1976.

Publicado
20-12-2016
Como Citar
Lopes Sparemberger, R. F., & Junior, B. H. (2016). Multiculturalismo liberal e imigração: os limites da política da diferença. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], 17(3), 821-842. https://doi.org/10.18593/ejjl.v17i3.10715
Seção
Direitos humanos e cenário internacional