Avaliação da quantificação em orçamentos de obras através do método de modelagem BIM em oposição ao método convencional com desenhos 2D – Estudo de caso em um empreendimento de Capinzal/SC

Autores

  • Brian Bortili
  • Willian Boesing Unoesc

DOI:

https://doi.org/10.18593/cc.v9.30069

Palavras-chave:

BIM, quantitativos, modelagem

Resumo

O Building Information Modeling (BIM) tem a proposta de entregar a quem o utiliza, modelos virtuais do que será executado, diferentemente do que se propõe a plataforma CAD, sendo essa uma modalidade geralmente utilizada para modelagem de desenhos 2D. Tendo essa capacidade de se atribuir aos elementos que estão sendo modelados informações tais como as várias camadas de revestimentos utilizados em uma parede, cada qual com sua espessura, ou até mesmo o tipo e dimensões do madeiramento utilizado em uma estrutura de cobertura, o BIM pode nos entregar quantitativos muito mais assertivos em relação ao método 2D utilizado atualmente, além de proporcionar maior agilidade caso algum projeto precise ser alterado, pois quando o mesmo é modificado dentro da plataforma, as tabelas de quantificação são atualizadas instantaneamente. No presente trabalho, utilizou-se o software Revit 2020 versão estudante como software de modelagem do projeto em BIM extraindo do mesmo todas as informações referentes aos serviços com possibilidade de quantificação. A obra modelada foi um empreendimento residencial com dois blocos de apartamentos com quatro pavimentos cada, abrigando dois modelos de apartamentos do programa “Minha Casa Minha Vida”, sendo o primeiro com sala e cozinha integrada, 3 quartos, 1 banheiro e sacada, e o segundo com sala e cozinha integrada, 2 quartos, banheiro e sacada. Notou-se ao longo do projeto de pesquisa que houveram diferenças consideráveis em alguns itens, como a quantidade de alvenaria informada no orçamento da empresa a qual representava 280m² na quantificação CAD contra 3227m² do BIM, correspondendo a uma diferença quantitativa de 1052,50%. Essa diferença pode ser associada a falhas humanas na etapa de quantificação por meio do processo manual, com o auxílio dos desenhos em 2D feitos no software AutoCad, ou também falha no momento de digitação na planilha orçamentária. Foi possível constatar discrepâncias consideráveis também na parte dos revestimentos como cerâmica e reboco, estando associado à modelagem fidedigna no modelo BIM, o qual considera as alturas e áreas reais de revestimentos. Ao final podemos concluir que o BIM nos oferece uma maior assertividade no momento de extração dos quantitativos, porém é necessário salientar que a obtenção dos mesmos advém de uma correta modelagem por parte do projetista, buscando atentar-se a cada detalhe na alimentação das informações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMERICAN INSTITUTE OF ARCHITECTS. Guide, instructions and commentary to the 2013 AIA digital practice documents. Washington, DC, 2013.

ANDRADE, L. S. A contribuição dos sistemas BIM para o planejamento orçamentário das obras públicas: estudo de caso do auditório e da biblioteca de Planaltina. 2012. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2012.

ASSUNÇÃO, L. M. Análise da aplicação da metodologia BIM no processo de orçamentação da construção civil. 2017. Monografia (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Tecnologia, Fortaleza, 2017.

BERTIN, I. et al. A BIM-Based Framework and Databank for Reusing Load-Bearing Structural Elements. Paris, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.3390/su12083147. Acesso em: 10 maio 2021.

BIRX, G. W. Getting started with Building Information Modeling. The American Institute of Architect – Best Practices, 2006. Disponível em: http://www.aia.org/bestpractices_index. Acesso em: 10 maio 2021.

BRADA, P. A. L. Guia prático de orçamento de obras do escalímetro ao BIM. 1. ed., São Paulo: Pini, 2012.

BRITO, A. N. Avaliação da modelagem BIM 5D no orçamento de obras públicas. 2017. Monografia (Graduação em Engenharia Civil) - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade Federal de Brasília, Brasília, DF, 2017.

EASTMAN, C. et al. Manual de BIM: Um guia de modelagem da informação da construção. Tradução: Cervantes Gonçalves Ayres Filho et al. Porto Alegre: Bookman, 2014. 483 p.

MATTOS, A. D. Como preparar orçamentos de obras: dicas para orçamentistas, estudos de caso e exemplos. São Paulo: Pini, 2006.

MENDONÇA, K. R. M.; SOUSA, P. G.; GUEDES, E. S. R. Orçamentação de obra: Análise comparativa entre metodologia tradicional e BIM. Curitiba: Brazilian Journal of Development, 2020.

SERTREX. Residencial Tocata. Folder de divulgação. Capinzal, 2017.

WINTER, L. M. Método para o planejamento da modelagem bim para fins de elaboração do orçamento analítico. 2017. Monografia (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

Downloads

Publicado

2022-06-06

Como Citar

Bortili, B., & Boesing, W. (2022). Avaliação da quantificação em orçamentos de obras através do método de modelagem BIM em oposição ao método convencional com desenhos 2D – Estudo de caso em um empreendimento de Capinzal/SC. Conhecimento Em Construção, 9, 33–52. https://doi.org/10.18593/cc.v9.30069