Metodologia de quantificação e análise da geração de resíduos provenientes da construção civil em residências unifamiliares na cidade de Joaçaba – SC

Autores

  • Amanda Zilio Caron
  • Scheila Lockstein Unoesc

Palavras-chave:

Resíduos da construção, Quantificação, Gestão

Resumo

Apesar dos benefícios do desenvolvimento da indústria da construção civil esse setor causa impactos ambientais negativos, devido a geração de resíduo da construção civil (RCC).  Em 2002 foi publicada a Resolução nº 307 do CONAMA, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Por isso, o objetivo deste trabalho foi desenvolver uma metodologia de quantificação a fim de obter uma taxa de geração de RCC em construções unifamiliares na cidade de Joaçaba-SC, além de realizar uma análise dos fatores que interferem nessa geração. A metodologia adotada consistiu na realização de visitas periódicas aos canteiros de obra onde os resíduos gerados em cada serviço foram quantificados por amostragem e posteriormente extrapolados para a quantidade total de cada serviço e relacionados com a área construída.  O resultado obtido para a taxa de geração de RCC foi de 43,24 kg/m², onde verificou-se que a realização de cursos para a capacitação dos profissionais, a elaboração de projetos padronizados, uso de novas tecnologias e o respeito às metodologias executivas abordadas em bibliografias, podem reduzir significativamente a geração desses resíduos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Artemária Coêlho et al. Estimativa da qualidade de entulho produzido em obras de construção de edifícios. In: SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Anais [...]. São Paulo: IBRACON, 2001.

ÂNGULO, Sérgio Cirelli; JOHN, Vanderley Moacyr. Requisitos para a execução de aterros de resíduos de construção e demolição. Boletim Técnico, Escola Politécnica da USP, São Paulo, 2006. Disponível em: http://www.pcc.usp.br/files/text/publications/BT_00436.pdf. Acesso em: 29 mar. 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS. Panorama dos Resíduos no Brasil. São Paulo, 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120 - Cargas para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro, 2000.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190 - Projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, 1997.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 307, de 5 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, nº 136, 17 jun. 2002. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307. Acesso em: 21 jun. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 348, de 16 de agosto de 2004. Altera a Resolução CONAMA no 307, de 5 de julho de 2002, incluindo o amianto na classe de resíduos perigosos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, nº 158, 17 ago. 2004. Disponível em:http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=449. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 431, de 24 de maio de 2011. Altera o art. 3o da Resolução no 307, de 5 de julho de 2002, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, estabelecendo nova classificação para o gesso. Diário Oficial da União, Brasília, DF, nº 99, 25 maio 2011. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=649. Acesso em: 29 mar. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 469, de 29 de julho de 2015. Altera art. 3º da Resolução CONAMA nº 307/2002. Diário Oficial da União, Brasília, DF, nº 144, 30 jul. 2015. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=714. Acesso em: 3 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 ago. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 21 jun. 2019.

CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. CMA/CBIC participa de audiência pública sobre gestão de resíduos da construção civil. Brasília, DF: Agência CBIC, 2018. Disponível em: https://cbic.org.br/cma-cbic-participa-de-audiencia-publica-sobre-gestao-de-residuos-da-construcao-civil/. Acesso em: 17 jun. 2019.

CARELI, Elcio (colaborador), AECweb/e-Construmarket. Resíduos da Construção Civil devem ter destinação e gestão adequada, 2014. Disponível em: http://www.obralimpa.com.br/index.php/residuos-da-construcao-civil-devem-ter-destinacao-e-gestao-adequada/. Acesso em: 2 mar. 2019.

COSTA, Ricardo Vasconcelos Gomes da; ATHAYDE JUNIOR, Gilson Barbosa; OLIVEIRA, Mariana Moreira de. Taxa de geração de resíduos da construção civil em edificações na cidade de João Pessoa. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 127-137, jan./mar. 2014. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/5463. Acesso em: 14 mar. 2019.

GERDAU. Vergalhão. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www2.gerdau.com.br/produtos/vergalhao-gerdau. Acesso em: 08 de abr. de 2019.

IBGE. Panorama das cidades. Rio de janeiro, 2018.

MARQUES NETO, José da Costa; SCHALCH, Valdir. Gestão dos Resíduos de Construção e Demolição: Estudo da Situação no Município de São Carlos-SP. Universidade Federal de São Carlos, n. 36, 2010. Disponível em: http://www.civil.uminho.pt/revista/artigos/n36/Pag.41-50.pdf. Acesso em: 26 abr. 2019.

NOTARO, Krystal de Ancantara; SILVA, Rodrigo Cordeio da. RCC – Resíduos da Construção Civil: Caracterização de sua Gestão Integrada. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, São Paulo, v. 03, n. 16, p. 157-171, 2015. Disponível em: https://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/gerenciamento_de_cidades/article/viewFile/1162/1185. Acesso em: 30 mar. 2019.

OLIVEIRA, Daniele Meneghetti. Desenvolvimento de Ferramenta Para Apoio à Gestão de Resíduos de Construção e Demolição Com Uso de Geoprocessamento: caso Bauru, SP. 2008. 121 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana) –

Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2008.

PINTO, Tarcísio de Paula. Metodologia para a Gestão Diferenciada de Resíduos Sólidos da Construção Urbana. 1999. Tese (Doutorado em Engenharia – Área de Concentração: Engenharia de Construção Civil e Urbana ) – Escola Politécnica, USP, São Paulo, 1999.

PRODETEC. Pesos específicos de materiais. São Paulo, 20--?. Disponível em: http://www.prodetec.com.br/downloads.php. Acesso em: 5 maio 2019.

SOUZA, Viviane Borges de. Avaliação da Geração de Entulho em Conjunto Habitacional Popular – Estudo de Caso. 2005. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, 2005.

Downloads

Publicado

25-05-2021

Como Citar

Zilio Caron , A. ., & Lockstein, S. (2021). Metodologia de quantificação e análise da geração de resíduos provenientes da construção civil em residências unifamiliares na cidade de Joaçaba – SC. Conhecimento Em Construção, 8, 209–236. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/conhecconstr/article/view/27241