POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DOCENTE NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: REFLEXOS NO ENSINO DA GEOGRAFIA

Autores

  • Lizete Camara Hubler
  • Geogete Ferronato

Resumo

Resumo:O presente artigo objetiva refletir sobre as ações das políticas educacionais para a formação docente e seus reflexos nas metodologias utilizadas pelos professores em sala de aula, utilizando o método qualitativo, a partir de revisão bibliográfica e coleta de dados nas escolas estaduais do município de Videira. A  partir da década de 1990,  as políticas de Estado da educação vão se delineando sob a influencia neoliberal, o que fará com que as próprias organizações de docentes, pensem a formação voltada para uma base comum nacional, de emancipação. Evidencia-se, portanto, uma reflexão sobre as leis de formação docente, que amparam e relatam essas mudanças no contexto educacional brasileiro, uma vez que as leis aprovadas mesmo descontentando os educadores renomados, irão servir de base para o sistema educacional no país. Sistema este que atende as demandas dos organismos internacionais, os quais lutam por maior desenvolvimento econômico e percebem na educação um dos meios para atingir seus objetivos. O documento que rege as leis educacionais no país, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, aprovada em 1996,  prevê várias modalidades para a formação docente, as quais na prática vão ocorrendo de forma superficial. Como poderemos analisar na pesquisa realizada como os professores da rede estadual de ensino do município de Videira-SC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-09-08

Como Citar

Camara Hubler, L., & Ferronato, G. (2014). POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DOCENTE NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: REFLEXOS NO ENSINO DA GEOGRAFIA. Colóquio Internacional De Educação, 2(1), 285–296. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/5196

Edição

Seção

Eixo 2. Organização e gestão da educação básica e superior