DIAGNÓSTICO ESCOLAR: IMPLICAÇÕES POLÍTICO-PEDAGÓGICAS E QUESTÕES METODOLÓGICAS

Autores

  • Noeli Gemelli Reali UFFS

Resumo

A realização de diagnósticos escolares sistemáticos, enquanto uma postura investigativa do/a docente ainda é uma experiência pouco vivenciada no sistema educacional brasileiro. Existe uma prática solitária e amadora diante dos graves problemas de desempenho escolar. Quando tais problemas são identificados, de modo geral, não passam pelo crivo de aportes teóricos explicativos e indicativos de soluções. Este estudo tem como objetivos: a) refletir sobre a necessidade de fomentar uma postura investigativa nos/as docente; b) apresentar, de modo especial, aos jovens docentes, uma reflexão acerca das implicações políticas e pedagógicas da ausência do diagnóstico escolar; e c) apresentar uma proposta metodológica para a realização de diagnósticos escolares enquanto uma tarefa central do planejamento profissional com vistas à melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem. Este estudo tem sido utilizado por vários docentes especialmente nas disciplinas de Didática e de Prática de Ensino de várias Licenciaturas da Pedagogia e História da Unochapecó e na elaboração do plano de ações do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência do Curso de Pedagogia (PIBID) da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus de Chapecó, SC. As estudantes demonstram compreensão ampliada dos problemas escolares bem como de situações particulares de aprendizagem dos seus alunos/as, possibilitando decisões relevantes em torno de seu planejamento na direção da melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Reali, N. G. (2011). DIAGNÓSTICO ESCOLAR: IMPLICAÇÕES POLÍTICO-PEDAGÓGICAS E QUESTÕES METODOLÓGICAS. Colóquio Internacional De Educação, 1(1). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/1267

Edição

Seção

Eixo 6. Processos do Ensino e da Aprendizagem