A INSERÇÃO DA LÍNGUA ITALIANA COMO SEGUNDA LÍNGUA: UM RESGATE CULTURAL NAS CIDADES DESCENDENTES

Autores

  • Paulino Eidt UNOESC
  • Jussara Maria de Farias Bom UNOESC

Resumo

A Região Sul do Brasil, do ponto de vista da diversidade linguística, caracteriza-se, entre diversos outros aspectos, pelo contato do português com as línguas dos imigrantes europeus que colonizaram a região desde o século XIX. Os italianos assumem posição de destaque, não somente pelo número de falantes, mas também pelas áreas ocupadas e pela influência no contexto linguístico, sociocultural e econômico do sul do país. O presente estudo investiga a importância da língua materna no processo de aprendizagem. Enfoca, sobretudo, a questão da tradição, identidade cultural e referências no processo do ensino e aprendizagem na língua materna. Em um segundo momento, ainda em fase de levantamentos de dados, será feita uma pesquisa de campo sobre a língua italiana, especificamente no município de Celso Ramos (SC). Serão abordadas questões de pesquisa, como: a globalização e a extinção das singularidades regionais, o peso da tradição e da cultura na escolha de uma segunda língua e o peso da mídia na desestruturação das diversidades regionais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, através de entrevistas com alunos, professores, dirigentes e pessoas da comunidade. A investigação bibliográfica contempla autores que debatem a identidade cultural e aprendizagem, a diversidade linguística e cultural, além do processo de massificação cultural e suas implicações nas regiões de migração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Eidt, P., & Bom, J. M. de F. (2011). A INSERÇÃO DA LÍNGUA ITALIANA COMO SEGUNDA LÍNGUA: UM RESGATE CULTURAL NAS CIDADES DESCENDENTES. Colóquio Internacional De Educação, 1(1). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/1259

Edição

Seção

Eixo 6. Processos do Ensino e da Aprendizagem