O PLASMAR LINGUÍSTICO DA SALA DE AULA: QUALIDADE EDUCACIONAL E ENRIQUECIMENTO CULTURAL NA AÇÃO DOCENTE

Autores

  • Mauricio João Farinon UPF

Resumo

Este ensaio objetiva, a partir do problema de como pensar a questão da qualidade educacional sob o enfoque da construção da linguagem, analisar a interconexão entre qualidade educacional e enriquecimento cultural, compreendendo o agir pedagógico em sua possibilidade de gerar compreensão, autocompreensão e modo de vida. O que se defende é a impossibilidade de discutir a qualidade na educação sem se perguntar sobre a finalidade da educação. Esta última é definida, neste ensaio, na perspectiva do plasmar linguístico. Seguindo as linhas teóricas de Gadamer e sua noção de linguagem; apoiado por  Adorno e seu conceito de construção, indicar-se-ão aspectos acerca do sentido de uma ação pedagógica capaz de constituir-se em um meio linguístico comum ao professor e ao aluno, gerando, assim, experiências formativas a partir da abertura à novidade do outro. Nesse sentido, a diversidade se constitui em condição para a emancipação e para a própria constituição democrática do Estado. A ampliação do sentido da qualidade contemplando a construção de sentido para o mundo e diante do mundo; a própria noção de construção, autoconstrução, juntamente com o conceito de hermenêutica e linguagem, formam as referências centrais das discussões propostas. O método de investigação foi de análise conceitual, com base teórica e dialética entre os autores em questão, propondo um confronto e enriquecimento das teorias analisadas, bem como da prática docente, principalmente na educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Farinon, M. J. (2011). O PLASMAR LINGUÍSTICO DA SALA DE AULA: QUALIDADE EDUCACIONAL E ENRIQUECIMENTO CULTURAL NA AÇÃO DOCENTE. Colóquio Internacional De Educação, 1(1). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/1254

Edição

Seção

Eixo 5. Educação, Diversidade e Justiça Social