POLÍTICAS PÚBLICAS DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO BRASIL E AS INFLUÊNCIAS DE ORGANISMOS INTERNACIONAIS

Autores

  • Franciela Mara Córdova Ransolin UNOESC

Resumo

A influência dos organismos internacionais na definição das políticas públicas no Brasil, de modo geral, é objeto de debate nos círculos acadêmicos há muitas décadas. Estudar as influências destes organismos, notadamente do Banco Mundial, na elaboração das políticas públicas de formação de docentes, a partir da redemocratização da República (1990), é o objeto desta análise, que buscará o entendimento permeado no documento intitulado “Prioridades y estratégias para la educación: examen del Banco Mundial”. Para estabelecimento de uma referência bibliográfica foram utilizados como autores Christian Laval, João Barroso, Dagmar Zibas e Christian Maroy, os quais, por intermédio de suas obras, definiram conceitos específicos acerca das políticas públicas educacionais, em especial, das inferências do modelo econômico adotado pelo Brasil, nos predicados estabelecidos pela legislação para instituição da formação inicial do docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Ransolin, F. M. C. (2011). POLÍTICAS PÚBLICAS DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO BRASIL E AS INFLUÊNCIAS DE ORGANISMOS INTERNACIONAIS. Colóquio Internacional De Educação, 1(1). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/1194

Edição

Seção

Eixo 1 - Estado e Políticas Públicas de Educação