A CIRCULAÇÃO SOCIAL DO CONHECIMENTO HISTÓRICO: CONTROLE SOCIAL POR MEIO DA REVISTA O ITIBERÊ (1919-1930)

Autores

  • Bruna Scheifer Faculdade Santana

Resumo

Nossa  intenção é discutir,  a partir da revista O Itiberê,  publicada em Paranaguá entre 1919 e 2001, quase ininterruptamente, e denominada a revista mensal e ilustrada mais antiga do Paraná,  a construção de identidades (como constructo, artefato,  daí  o papel da imprensa na difusão destas imagens mentais), seja regional e nacional, percebendo de que forma a revista representa o Paraná e sua relação com a Nação brasileira. Além disso verificar essa relação nos primeiros anos da República no Brasil entre 1919 e 1930, contexto histórico em que Paranaguá está inserida. Nesse momento como os intelectuais  produziam um discurso que se pretendia hegemônico em relação à construção de uma intelectualidade considerada ideal e republicana, já que se buscava a legitimação do novo regime, “vendendo” as ideias da elite como a única possível. Através desses discursos os homens de letras procuravam “controlar” e “impor” a educação social que consideravam corretas naquele momento. A partir disso, construíram simbologias e discursos que acreditavam ser capazes de “educar” e “ensinar” o povo a melhor maneira de compreender a nação. Colaboravam com a revista, criada sob iniciativa do Club Literário de Paranaguá, diversos autores que tinham vínculos com o Instituto Histórico e Geográfico e o Movimento Paranista, como Rocha Pombo, Romário Martins, entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Scheifer, B. (2011). A CIRCULAÇÃO SOCIAL DO CONHECIMENTO HISTÓRICO: CONTROLE SOCIAL POR MEIO DA REVISTA O ITIBERÊ (1919-1930). Colóquio Internacional De Educação, 1(1). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/coloquiointernacional/article/view/1179

Edição

Seção

Eixo 1 - Estado e Políticas Públicas de Educação