CATETERISMO VENOSO CENTRAL

  • Elenir Salete Frozza Salvi Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Charlene Pompermaier
  • Vanderleia Correa de Oliveira

Resumo

Os cateteres intravasculares são dispositivos invasivos utilizados para tratamentos em pacientes enfermos, de quimioterapia, hemodiálise, etc. O registro de seu primeiro uso é 1952. Exceto em pacientes inconscientes, é exigência legal haver consentimento do paciente sobre sua inserção, bem como a orientação e esclarecimento sobre prós e contras do seu uso, cabendo ao enfermeiro checar se essa obrigação foi cumprida. Podem ser inseridos pelo médico emergencista ou cirurgião geral nas veias jugular interna, subclávia ou femural . O uso prolongado pode provocar infecções. O cateterismo venoso central é realizado com o máximo de cuidado para não oferecer riscos ao paciente e a equipe e aconselha-se realizar uma radiografia para analisar se a localização da ponta está de forma adequada.

Biografia do Autor

Elenir Salete Frozza Salvi, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (2000) e graduação em Enfermagem pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2006). Tem experiência na área de Gerência no Serviço de Enfermagem e Enfermagem Administrativa, MBA em Ciências da Saúde - Área de Concentração em Urgências. Atualmente é coordenadora e professora titular no Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do oeste de Santa Catarina, (Campus de Xanxerê/SC).
Publicado
07-10-2020
Como Citar
Frozza Salvi, E. S., Pompermaier, C., & Correa de Oliveira, V. (2020). CATETERISMO VENOSO CENTRAL. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Xanxerê, 5, e26535. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeux/article/view/26535
Edição
Seção
Área das Ciências da Vida e Saúde – Relatos de caso