DOENÇA DE ADDISON

  • Charlene Pompermaier Unoesc Campus Xanxerê
  • Juliana Tomazelli
  • Patricia Massolla

Resumo

Introdução: A Doença de Addison (DA) é uma doença crônica, inflamatória considerada rara, que ataca as glândulas adrenais causando alterações na sua produção hormonal e no nível de eletrólitos. O início silencioso torna o diagnóstico tardio, quando 90% do córtex adrenal já está comprometido. Dividida em 3 fases: potencial, latente ou subclínica e clínica, podendo ser de etiologia autoimune (52,6%), cancerosa (7,9%) ou infecciosa (34,2%). Objetivo: Realizar uma análise de como a doença manifesta-se, forma de tratamento e diagnóstico através de revisão de literatura. Resultado: A DA manifesta-se através de sinais e sintomas como fadiga, fraqueza, anorexia, perda de peso, vertigem, náusea, vômito, hiperpigmentação cutânea, desidratação, hipovolemia, hipotensão postural, hiponatremia e hipercalemia. As principais causas infecciosas referem-se a Paracoccidioidomicose e Tuberculose. Cerca de 40% dos pacientes com DA autoimune apresentam outras doenças autoimunes associadas como tireoidite de Hashimoto, diabetes mellitus tipo 1 e síndrome de Sjögren. É diagnosticada através de exames laboratoriais e estes específicos, como a dosagem de ACTH, atividade plasmática de renina e estímulo com ACTH1-24, dosagens de sódio e potássio, ressonância e tomografia e punções/biópsia. A terapia de reposição com corticoides é essencial para a manutenção da vida. Conclusão: A DA é de difícil diagnóstico pois seus sintomas assemelham-se a outras patologias, sendo diagnosticada em caráter eliminatório. O tratamento é contínuo e o paciente deve ser acompanhado por equipe multiprofissional.

Publicado
09-05-2020
Como Citar
Pompermaier, C., Tomazelli, J., & Massolla, P. (2020). DOENÇA DE ADDISON. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Xanxerê, 5, e24131. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeux/article/view/24131
Edição
Seção
Área das Ciências da Vida e Saúde – Resumos