ESTRESSE OCUPACIONAL EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE VIDEIRA-SC

  • Ederlei Aparecida Zago Unoesc - Videira
  • Filipi

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar o nível de estresse ocupacional nos
professores do ensino fundamental das escolas municipais de Videira, SC,
utilizando a Escala de Estresse no Trabalho (EET) e questionário
sociodemográfico e ocupacional, com 75 professores. Resultados: 76%
possuem especialização, 53% de 1 a 10 anos de docência, 80% apenas um
emprego e 80% trabalham de 21 a 40 horas semanais, 59% recebem entre 1
a 3 salários mínimos, 45% não praticam nenhum tipo de exercício. Quanto ao
nível de estresse no trabalho e aspectos de trabalho 26% dos professores
apresentam entre 21 e 30 pontos e 32% apresentam entre 51 e 60 pontos.
Conclui-se que a profissão de professor é papel de grande responsabilidade,
além da carga horária excessiva, trabalhos em turnos diversos, quantidade
de atividades fora do período de trabalho, fazem com que aumente sua
exposição aos agentes estressores.

Biografia do Autor

Ederlei Aparecida Zago, Unoesc - Videira
Professora e Coordenadora do Curso de Educaçao Física da área de Ciencias da  Saúde
Publicado
18-07-2020
Como Citar
Zago, E. A., & Recco, F. (2020). ESTRESSE OCUPACIONAL EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE VIDEIRA-SC . Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 5, e24801. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/24801
Edição
Seção
Área das Ciências da Vida e Saúde – Artigos