SÍNDROME DE BURNOUT E QUALIDADE DE VIDA EM GESTORES EDUCACIONAIS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDEIRA, SC

  • Lindomar Palmera Unoesc
  • Natália dos Santos Gusatto

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar o nível da síndrome de burnout e qualidade de vida em gestores educacionais da rede municipal de educação de Videira SC. Participaram 23 gestores educacionais de ambos os sexos, ocupando a função na gestão escolar na Secretaria Municipal de Educação no municipío de Videira-SC. O método aplicado foi uso de três questionários contento perguntas pessoais e laborais e, para investigação da síndrome de burnout, o questionário MASLACH BURNOUT INVENTORY (MBI). Para qualidade de vida, o questionário de WHOLLBREEF. Os principais resultados foram a prevalência do sexo feminino na gestão (95,6%). Em relação à parte laboral, a maioria dos gestores trabalham até 10 horas na função(78,2%), atuando com mais prevalência nos CEMEIs (65,2%.) Em relação à síndrome de burnout, os resultados apresentaram nível elevado com média de 43,7%. Em relação à qualidade de vida individual, a média foi de 22,2%, considerando assim, a percepção como insatisfeitos em relação à qualidade de vida. Concluiu-se diante dos resultados, que os gestores educacionais investigados apresentam comprometimento laboral ao atuar em função ocupacional da gestão escolar.

Publicado
13-07-2020
Como Citar
Palmera, L., & dos Santos Gusatto, N. (2020). SÍNDROME DE BURNOUT E QUALIDADE DE VIDA EM GESTORES EDUCACIONAIS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDEIRA, SC. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 5, e24718. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/24718
Edição
Seção
Área das Ciências da Educação – Artigos