FREQUÊNCIAS GÊNICAS E SISTEMA ABO ESTUDO DE CASO HIPOTÉTICO RELATIVO AO EQUILÍBRIO DE HARDY-WEINBERG COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA

  • Izadora Maria Surdi OZORIO Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
  • Maiara Renata da SILVA Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
  • Stefanie Manoela PAIN Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
  • Thainá Aparecida Fernandes Padilha MERGENER Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
  • Jane Lafayette Neves Gelinski Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

A genética de populações investiga a dinâmica dos genes em populações naturais e o efeito dos fatores evolutivos, tais como, mutação, seleção natural, deriva genética, fluxo gênico de populações em migração etc. As frequências alélicas que determinam os grupos sanguíneos ABO (polialelia) e o fator  Rh (herança simples),  auxiliam no esclarecimento sobre as interações e a determinação dos grupos sanguíneos. O objetivo desta pesquisa foi avaliar as frequências gênicas e genotípicas de uma população com base nos princípios do Hardy-Weinberg-HW, relativos aos grupos sanguíneos sistema ABO. Para tal, a partir de uma atividade prática pedagógica  em sala de aula, simulou-se a formação de uma população mendeliana (população hipotética). Foram analisadas as frequências fenotípicas e alélicas (gênicas e genotípicas) em estudo de caso simulado, a partir da identificação do sistema ABO de uma  turma do componente curricular  Genética II de um curso de Biotecnologia Industrial. Os resultados indicaram que após aplicação do teste qui-quadrado, a população hipotética não estava em equilíbrio de HW. Portanto,  pode-se concluir que na população houve deriva genética, ou seja flutuações ao acaso nas frequencias gênicas.

Palavras-chaves: Fatores evolutivos. Deriva. Sanguíneo.

Biografia do Autor

Izadora Maria Surdi OZORIO, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
Acadêmica Curso de Biotecnologia Industrial
Maiara Renata da SILVA, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
Acadêmica Curso de Biotecnologia Industrial
Stefanie Manoela PAIN, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
Acadêmica Curso de Biotecnologia Industrial
Thainá Aparecida Fernandes Padilha MERGENER, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial Unoesc Videira
Acadêmica Curso de Biotecnologia Industrial
Jane Lafayette Neves Gelinski, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Professora

Mestre em Genética -UFRGS

Doutora em Ciência dos Alimentos-USP

Referências

ALAVI, S. Distribution of ABO Blood groups in childhood acute leukaemia. Ped. Hematol. Oncol., 2006. p. 611-617.

BAIOCHI, E.; CAMANO, L.; SASS, N.; COLAS, O.R. Frequências dos grupos sangüíneos e incompatibilidades ABO e RhD em puérperas e seus recém-nascidos. Rev. Assoc. Méd. Bras., 2007. p. 611-617.

BATISSOCO, A.C.; NOVARETTI, M.C.Z. Aspectos moleculares do Sistema Sanguíneo ABO. Rev.Bras. Hematol. Hemot., 2003. p. 47-58

BEIGUELMAN, Bernardo Genética de populações humanas. Ribeirão Preto: SBG, 2008. 235p.

BEIGUELMAN B. Os Sistemas Sanguíneos Eritrocitários. 3 ed. Ribeirão Preto: FUNPEC, 2003.

BERNSTEIN, F.Ergebnisse einer biostatistichen zusammenfassenden Betrachtung uber die erblichen Blutstrukturen des Menschen. Klin. Wschr, 1924. p.1495-1497.

DANIELS, G. The molecular genetics of blood group polymorphism. Transplant Immunol., 2005. p. 143-153.

DANIELS, G.; FLETCHER, A.; GARRATTY, G.; HENRY, S.; JØRGENSEN, J.; JUDD, W.J.; LEVENE, C.; LOMAS-FRANCIS, C.; MOULDS, J.J.; MOULDS, J.M.; MOULDS, M.; OVERBEEKE, M.; REID, M.E.; ROUGER, P.; SCOTT, M.; SISTONEN, P.; SMART, E.; TANI, Y.; WENDEL, S.; ZELINSKI, T. Blood group terminology. ISBT Committee on Terminology for Red Cell Surface Antigens, 2004. p. 1-37.

NOVARETTI, M.C.Z; DORLHIAC-LLACER, P.E.; CHAMONE, D.A.F. Estudo de grupos sanguíneos em doadores de sangue caucasóides e negróides na cidade de São Paulo. Rev. Bras. Hematol. Hemot., 2000. p. 23-32.

SCHENBEL-BRUNNER, H. Human Blood Groups: Chemical and Biochemical Basis of Antigen Specificity. New York: Springer Wien, 2000.

SNUSTAD, D.P.; GARDNER E. J. Genética. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1986.

NUSSBAUN, R. l.; McINNES, R.R.; HUNTINGTON, F.W. 8ª. ed. Thompson & Thompson Genética Médica. São Paulo: Elsevier, 2016.

WIGGINS, K. L.; SMITH, N. L.; GLAZER, N. L.; ROSENDAAL, F. R.; HECKBERT,S. R.; PSATY, B. M.; RICE, K. M.; LUMLEY, T. ABO genotype andrisk of thrombotic events and hemorrhagic stroke. J. Thr. Haem., 2009. p. 263-269.

WU, O.; BAYOUMI, N.; VICKERS, M. A.; CLARK, P. ABO (H) blood groups and vascular disease: a systematic review and meta-analyses. J. Thr. Haem., 2008. p. 62-69.

Publicado
21-11-2018
Como Citar
OZORIO, I. M. S., SILVA, M. R. da, PAIN, S. M., MERGENER, T. A. F. P., & Gelinski, J. L. N. (2018). FREQUÊNCIAS GÊNICAS E SISTEMA ABO ESTUDO DE CASO HIPOTÉTICO RELATIVO AO EQUILÍBRIO DE HARDY-WEINBERG COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 3, e19811. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/19811
Edição
Seção
ACV Artigos