IDENTIFICAÇÃO PRELIMINAR DE LINHAGEM BACTERIANA E SEU USO EM ESTUDO DE SOBREVIVÊNCIA DURANTE PROCESSO DE COCÇÃO DE FRANGO

  • Géssica Simon Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial
  • Henrique Heckler Comunello Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial
  • Lisiane Aparecida Zuconelli Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial
  • Lucas Novello Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial
  • Jane Lafayette Neves Gelinski Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

O objetivo deste estudo deu-se a partir de desafio aos estudantes para a identificação de uma cultura bacteriana e utilização em experimento a ser planejado posteriormente. Foi recebida uma linhagem pura e liofilizada não identificada para que, a partir de seu cultivo em ágares e testes bioquímicos fosse possível chegar a uma definição ao menos do gênero bacteriano. A cultura recebida tratava-se de uma linhagem de referência ATCC, mas foi fornecida sem identificação. Foram realizadas análises de identificação morfofisiológica e de cultivo bacteriano em meios de cultura em caldo e em ágares. A segunda etapa foi a realização de experimento usando a cultura identificada. Amostras de frango cru foram utilizadas para avaliar a sobrevivência do microrganismo em diferentes temperaturas durante processo de cocção. Uma das amostras foi inoculada com Pseudomonas e a outra sem inóculo, como grupo controle. Verificou-se que a fase de declínio (morte) do microrganismo ocorreu entre 75°C e 90°C de cocção do frango. Portanto, há necessidade de procedimentos de controle que visem à redução dos índices de contaminação de qualquer tipo de microrganismo patogênico em alimentos, porque isso reduz riscos à saúde do consumidor.
Palavras-chave: Pseudomonas. Frango. Cocção. Bioquímica. Patógeno.

Biografia do Autor

Géssica Simon, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial

Acadêmica do Curso de Biotecnologia Industrial

Universidade do Oeste de Santa Catarina

Henrique Heckler Comunello, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial

Acadêmico do Curso de Biotecnologia Industrial

Universidade do Oeste de Santa Catarina

Lisiane Aparecida Zuconelli, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial

Acadêmica do Curso de Biotecnologia Industrial

Universidade do Oeste de Santa Catarina

Lucas Novello, Universidade do Oeste de Santa Catarina Curso de Biotecnologia Industrial

Acadêmico do Curso de Biotecnologia Industrial

Universidade do Oeste de Santa Catarina

Jane Lafayette Neves Gelinski, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Professora

Mestre em Genética -UFRGS

Doutora em Ciência dos Alimentos-USP

Referências

BRASIL - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Decreto nº 3029, de 20 de dezembro de 2000. Resolução-rdc Nº 12, de 02 de Janeiro de 2001. Brasilia, 02 jan. 2001. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/RDC_12_2001.pdf/15ffddf6-3767-4527-bfac-740a0400829b>. Acesso em: 15 jun. 2018.

BRASIL - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Detecção e Identificação de Bactérias de Importância Médica. 2014. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/microbiologia/mod_5_2004.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2018.

BROOKS, Geo F. Microbiologia médica de Jawetz, Melnick e Adelberg. 26. ed. Porto Alegre: AMGH, 2014, 864 p.

BRZEZINSKI, L,S et al. Incidência de bacilos Gram-negativos não fermentadores de glicose isolados de .hemoculturas de pacientes oncológicos. Caderno da Escola de Saúde. Curitiba. v.17. n.1, 2017.

FRAZIER, W. C.; WESTHOFF, D. C. Microbiologia de los alimentos. 4. ed. Zaragoza: Editora Acribia, 1993.

GARCIA, L. P. Liofilização aplicada a alimentos. 2009. 45f. Trabalho Acadêmico (Graduação Bacharelado em Química de Alimentos) - Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS, 2009.

em Engenharia Química) - Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, SP, 2008.

PELCZAR, Michael Joseph,; CHAN, Eddie Chin Sun,; KRIEG, Noel R. Microbiologia: conceitos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 1997.

RALTERTHUN, Trabulsi. Microbiologia. 6. ed. São Paulo: Atheneu, 2017. 888 p.

SILVA JÚNIOR, S, de A. Perfil de resistência de Pseudomonas aeruginosa provenientes de água superficial e efluente hospitalar: teste de sensibilidade a antimicrobianos e detecção de metalo-β-lactamase. Revista Brasileira de Pesquisa e Saúde. Vitória. p. 97-104. Out/Dez. 2014.

SIQUEIRA, Fernanda Sant’Ana de. Mecanismos de resistência a β-Lactâmicos em Pseudomonas aeruginosa. Revista do Biomédico. Julho/Agosto 2002. Disponível em: <http://www.crbm1.gov.br/bio48/rev24.asp> . Acesso em: 15 jun. 2018.

SOUZA, Gustavo Henrique Bianco de et al. Pseudomonas aeruginosa em hospital da microrregião de Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil . Infarma – Ciências Farmacêuticas, v. 28. p 234-240. 2016.

Publicado
16-11-2018
Como Citar
Simon, G., Comunello, H. H., Zuconelli, L. A., Novello, L., & Gelinski, J. L. N. (2018). IDENTIFICAÇÃO PRELIMINAR DE LINHAGEM BACTERIANA E SEU USO EM ESTUDO DE SOBREVIVÊNCIA DURANTE PROCESSO DE COCÇÃO DE FRANGO. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 3, e19746. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/19746
Edição
Seção
ACV Artigos