ESTUDO DA ATUAÇÃO DA TI VERDE NAS EMPRESAS DE CAÇADOR SC

  • Lilian Jeannette Meyer Riveros Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • João Paulo Stefanes Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Fabiano Wonzoski Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

A preocupação com o meio ambiente se torna cada vez mais necessária no meio tecnológico, é sabido que a tecnologia provê muitos recursos e contribuiu muito para a evolução da sociedade, mas também consome muitos recursos naturais e causa poluição com o lixo eletrônico. Diante desse cenário a sociedade se vê na necessidade de procurar métodos para reduzir os gastos de recursos, diminuir o consumo de materiais e produção de lixos. Os métodos de sustentabilidade se tornaram fortes aliados dos gestores de TI, que buscam prover melhorias tanto para a organização quanto para o meio ambiente, as organizações podem obter fortes vantagem com a implantação da TI Verde, como a economia financeira e uma melhoria da imagem institucional. Este trabalho vai apresentar o estudo quanto ao tema de sustentabilidade e a aplicação dentro do meio tecnológico, chamado de TI verde, além de uma pesquisa feita com quatro empresas de grande porte que atuam na cidade de Caçador, e mostrar se realmente os gestores da nossa região estão preocupados com esse assunto.

Palavra-chave:  Sustentabilidade, Ti Verde, Empresa.

Biografia do Autor

Lilian Jeannette Meyer Riveros, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Ciência Exatas e da Terra

Referências

BORGES, André. Lixo eletrônico vira montanha de problemas. Computerworld - Edição 421, Nov.2004. Disponível em: <http://computerworld.uol.com.br/> mercado/ 2004/11/ 29>. Acesso em: 15 jan. 2017.

BRESCANSIN, A. et al. Restrição ao uso de substâncias perigosas (RoHS) no segmento de computadores pessoais: análise da estratégia de adoção pelos fabricantes estabelecidos no Brasil. GEPROS. v. 10, n. 3 (2015). Disponível em: < http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros/article/view/1281>. Acesso em: 29 dez. 2016.

Website Para Divulgação e aplicação de boas práticas de TI Verde. 3º Fórum Internacional Ecoinovar. set. 2014. Disponível em: < http://ecoinovar.com.br/cd2014/arquivos/artigos/ECO272.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2016.

GRAVINA, Michele das Graças Pacheco Gravina. O processo de certificação ISO 14001. Estudo de Caso: A Usina Siderúrgica da Arcelormittal em Juiz de Fora – MG. Minas Gerais, 2008. 70 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Análise Ambiental)-Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2008. Disponível em: <http://www.ufjf.br/analiseambiental/files/2009/11/Michele-das-Gra%C3%A7as-Pacheco-Gravina.pdf>. Acesso em: 3 jan. 2017.

GREENPEACE BRASIL. Mudança do Clima, Mudança de Vidas: Como o aquecimento global já afeta o Brasil. São Paulo, 2006.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Banco de Dados, 2006. Disponível em: < http://www.cidades.ibge.gov.br/v3/cidades/municipio/4203006 >. Acesso em: 28 dez. 2016.

International Organization for Standardization. ISO 14000 family – Environmental management. 2015. Disponível em: https://www.iso.org/iso-14001-environmental-management.html. Acesso em: 5 jan. 2017.

JAYO, Martin. Por uma TI mais verde. GV-executivo, [S.l.], v. 9, n. 1, p. 52-57, jan. 2010. ISSN 1806-8979. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/gvexecutivo/article/view/23563>. Acesso em: 05 jan. 2017.

LUNARDI, Guilherme Lerch; FRIO, Ricardo Saraiva; BRUM, Marilia de Marco. Tecnologia da informação e sustentabilidade: levantamento das principais práticas verdes aplicadas à área de tecnologia. Gerais, Rev. Interinst. Psicol., Juiz de fora, v.4, n. spe, p. 159-172, dez. 2011. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202011000300006&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 03 jan. 2017.

LUNARDI, Guilherme Lerch; SIMOES, Renata; FRIO, Ricardo Saraiva. TI Verde: uma análise dos principais benefícios e práticas utilizadas pelas organizações. Read. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre), Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 1-30, abr. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112014000100001&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 3 jan. 2017.

MARCOVITCH, Jacques. Certificação e sustentabilidade ambiental: uma análise crítica. São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.usp.br/mudarfuturo/cms>. Acesso em: 2 jan. 2017.

MELVILLE, N. P. IS Innovation for Environmental Sustainability. MIS Quarterly, v. 34, n.1, p. 1-21, 2010.

POMBO, Felipe Ramalho; MAGRINI, Alessandra. Panorama de aplicação da norma ISO 14001 no Brasil. Gest. Prod., São Carlos, v. 15, n. 1, p. 1-10, abr. 2008. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2008000100002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 27 dez. 2016.

RECH, Juliane; SOARES, Silviane Lawall, LENGERT, Norberto. Website para divulgação.

REVISTA AMANHÃ. Grandes & Líderes 500 Maiores do Sul. n. 324. ano. 30, 2015.

RICHTER, Renato Mauro; TI Verde: Sustentabilidade por meio da Computação em Nuvem. CEETPS. 2012.

SALLES, A. C. et al. Tecnologia da Informação Verde: Um Estudo sobre sua Adoção nas Organizações. Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 20, n. 1, p. 41-63, fev. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552016000100004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 03 jan. 2017.

SIBAUD, Philippe. Opening Pandora’s box: the New Wave of Land Grabbing by the Extractive Industries and the Devastating Impact on Earth. London: The Gaia Foundation, 2012.

VASCONCELOS, Yuri; CORREA, Elisa; ALVES, Liane; SANTOS, Priscilla. Quais são os principais selos ecológicos no mercado. Vida Simples. São Paulo, No. 70, p.19, set. 2008.

WIDMER, R. et al. Global perspective on e-waste, Environmental Impact Assessment Review. vol. 25, n. 5, p. 436-458, 2005.

Publicado
08-08-2017
Como Citar
Meyer Riveros, L. J., Stefanes, J. P., & Wonzoski, F. (2017). ESTUDO DA ATUAÇÃO DA TI VERDE NAS EMPRESAS DE CAÇADOR SC. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 2, e15088. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/15088
Edição
Seção
ACET Artigos