AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DA CASCA E GEMA DE OVOS IN NATURA

  • Cristian Antunes de Almeida UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Darlei Friebel UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Rafael Brizola Da Rosa UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
  • Jane Mary Lafayette Neves Gelinski UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA

Resumo

O Brasil hoje é o 3º maior produtor de ovos da América. A produção brasileira de ovos totalizou no ano passado 39,5 bilhões de unidades. Assim, umas das maiores preocupações relacionados a produtos de origem animal comercializados in natura é a ocorrência de contaminação alimentar causada por Salmonella sp. Nesta pesquisa avaliou-se as condições higiênico-sanitárias de ovos de galinha in natura. A pesquisa incluiu ovos que estavam disponíveis para o consumidor em supermercado em Videira, SC, e de uma granja produtora em Monte Carlo, SC. Realizou-se a análise da superfície da casca de ovos para verificar as condições higiêncio-sanitárias, com base na presença de enterobactéias totais (UFC/g) e da análise da gema do ovo para a pesquisa de Salmonella sp. Todas as análises foram realizadas em laboratório de microbiologia da Unoesc. Foi possível observar que os ovos analisados apresentavam condições satisfatórias em relação à presença de enterobactérias na superfície da casca. Com relação às análises das gemas, uma das amostras da granja produtora acusou Salmonella sp. em 25g, enquanto todas nas demais amostras, o patógeno esteve ausente. Os dados obtidos reforçam que o consumo de ovos crus não é recomendado para humanos.

Biografia do Autor

Cristian Antunes de Almeida, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
Acadêmico Curso Bacharelado em Biotecnologia Industrial
Darlei Friebel, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
Acadêmico do Curso de Bacharelado em Biotecnologia Industrial - Unoesc
Rafael Brizola Da Rosa, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA
Acadêmico do Curso de Bacharelado em Biotecnologia Industrial - Unoesc.
Jane Mary Lafayette Neves Gelinski, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA

Professora

Mestre em Genética -UFRGS

Doutora em Ciência dos Alimentos-USP

Referências

AGROLINK. As 10 maiores empresas do mundo: produção de ovo. 2016.

Disponível em: <http://www.agrolink.com.br/noticias/as-10-maioresempresas-do-mundo--producao-de-ovo_366541.html>.

Acesso em: 23 mar.

ABPA. Produção de ovos do Brasil cresce 6,1% e chega a 39,5 bilhões de unidades. Disponível em: <http://abpa-br.com.br/noticia/producao-de-ovosdo-brasil-cresce-61-e-chega-a-395-bilhoes-de-unidades-1550>.Acesso em: 23

mar. 2017.

BARANCELLI, Giovana Verginia; MARTIN, José Guilherme Prado; PORTO,Ernani. Salmonella em ovos: relação entre produção e consumo seguro.

Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, v. 19, n. 2, p. 73-82, jan. 2012.

Disponível em: <http://dx.doi.org/10.20396/san.v19i2.8634612>. Acesso em: 23 mar. 2017.

BRASIL. ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº

de 02 de janeiro de 2001. Oficializa os Métodos Analíticos Oficiais para Análises Microbiológicas para Controle de Produtos de Origem Animal e Água. Diário Oficial da União Poder Executivo, de 02 de janeiro de 2001.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA.

Instrução normativa n° 62 de 26 de agosto de 2003. Oficializa os métodos analíticos oficiais para análises microbiológicas para controle de produtos de origem animal e água. Diário Oficial da União Poder Executivo, de 26 de agosto de 2003.

CARDOSO, A. et al. Pesquisa de coliformes totais e coliformes fecais

analisados em ovos comerciais no laboratório de patologia avícola de

descalvado. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 68, n. 1, p. 19-22, jan./jun. 2001. Disponível em: <http://revistas.bvsvet.org.br/arqib/article/view/25845>.

Acesso em: 23 mar. 2017.

DUARTE, Sabrina Castilho; RAUECKER, Ursula Nunes; REZENDE, Cíntia Silva Minafra E. Mecanismos de invasão do ovo por Salmonella sp. Avicultura Industrial, [S.L], n. 2, p. 16-19, fev./mar. 2017.

FLÔRES, M. L. et al. Análise da contaminação por Salmonella em ovos do tipo colonial através da reação em cadeia da polimerase. Ciência Rural, Santa Maria v.33, n.3, p.553-557, 2003.

FRANCO, Bernadette D. Gombossy De Melo; LANDGRAF, Mariza.

Microbiologia dos alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, p. 50-60, 2005.

MAROSO, Michele Tainá Derks. Efeito da redução de temperatura de carcaças de frango na multiplicação de microrganismos. Dissertação de Mestrado, UFRGS, Porto Alegre, p. 22-28, fev. 2008. Disponível em:

<http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/14066/000659024.pdf?sequence=1>. Acesso em: 23 mar. 2017.

JONES D.R.; MUSGROVE M.T. Identification of Enterobacteriaceae on Vacuum Loaders in Shell Egg Processing. Poultry Science, v.87 p.1678–1681, 2008.

PINTO, Andrea Troller. Análise de perigos e pontos críticos de controle em ovos in natura. Higiene Alimentar, Porto Alegre, v. 22, n. 162, p. 23-26, jun.2008.

SIQUEIRA, A.A. et al. Identificação de enterobactérias em ovos de codornizes japonesas (Coturnix japonica) na Região Metropolitana de Fortaleza – CE, Brasil. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, v.103, p.78-82, 2008.

Publicado
06-06-2017
Como Citar
Almeida, C. A. de, Friebel, D., Da Rosa, R. B., & Gelinski, J. M. L. N. (2017). AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DA CASCA E GEMA DE OVOS IN NATURA. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Videira, 2, e13684. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuv/article/view/13684
Edição
Seção
ACV Artigos