[1]
S. Burgin e J. de Quadros da Silva, “Feminicídio: quem ama não mata.”, APEsmo, vol. 4, p. e21213, jun. 2019.