PARTO ANÔNIMO: UMA ANÁLISE DA COLISÃO ENTRE O DIREITO AO ANONIMATO E O DIREITO AO CONHECIMENTO DA ASCENDÊNCIA GENÉTICA

Autores

  • Maríndia Meller Dias UNOESC
  • Daniela Zilio

Resumo

O presente artigo teve como objetivo tratar
principalmente sobre o direito a dignidade humana e
o direito da liberdade, abordando assim, o direito da
gestante em relação a sua intimidade no parto
anônimo, em confronto com o direito da criança em
conhecer sua ascendência genética. A pesquisa
realizada aplicou o método de dedutivo que
primeiramente serão apresentados os argumentos
que se consideram verdadeiros para que depois possa
se chegar em conclusões formais. O método auxiliar
usado foi o histórico, com o fim de clarificar a
origem histórica do parto anônimo, apresentando
conceitos e informações sobre o surgimento e sobre
as mazelas sociais que rondam o referido, desde os
primórdios, até os dias de hoje. Ainda, foi dada
ênfase à pesquisa qualitativa, teórica, descritiva. E
por final, a crítica concentrada na questão relativa à
colisão entre o direito ao anonimato da mulher em
detrimento o direito ao conhecimento da origem
genética, pela criança/adolescente.

Downloads

Publicado

29-06-2021

Como Citar

Meller Dias, M., & Zilio, D. (2021). PARTO ANÔNIMO: UMA ANÁLISE DA COLISÃO ENTRE O DIREITO AO ANONIMATO E O DIREITO AO CONHECIMENTO DA ASCENDÊNCIA GENÉTICA. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 6, e27931. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/27931

Edição

Seção

Área das Ciências Exatas e Tecnológicas – Resumos