GUERRAS, INSTINTOS E CENÁRIO ATUAL BRASILEIRO: FREUD EXPLICA?

  • Fernanda Carina Preuss Univerdade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC Campus: São Miguel do Oeste

Resumo

O presente artigo tem por objetivo dialogar sobre uma visão psicanalítica da guerra, relacionando os impulsos primitivos as causas da mesma. Além disso, também, ao longo do artigo, se fez uma relação com o cenário político brasileiro atual. No final da primeira mundial, a Liga das Nações Unidas, a partir do então presidente dos Estados Unidos, estabeleceu um jogo de cartas entre vários intelectuais, para dialogar sobre aquele terrível acontecimento, que foi a guerra de 1914 a 1918. Einstein questionava se havia alguma forma de livrar a humanidade da ameaça da guerra e chegou a declarar que Freud, que por ser o criador da teoria, um estudioso do psiquismo humano e conhecedor da vida instintiva do homem, poderia elucidar e sugerir métodos educacionais que demarcassem caminhos e ações que resolveriam o problema, a ponto de tornar impossível qualquer conflito armado. Ele desejava saber como seria possível, a ausência da guerra, a paz mundial à luz da Psicanálise

Biografia do Autor

Fernanda Carina Preuss, Univerdade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC Campus: São Miguel do Oeste

Acadêmica do curso de Psicologia e estagiária da Unidade Básica de Saúde de Princesa.

Publicado
18-07-2020
Como Citar
Preuss, F. C. (2020). GUERRAS, INSTINTOS E CENÁRIO ATUAL BRASILEIRO: FREUD EXPLICA? . Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 5, e24787. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/24787
Edição
Seção
Área das Ciências da Vida e Saúde – Artigos