REFLEXÃO SOBRE A EXPERIÊNCIA CORPORAL NA PROSTITUIÇÃO

Pelo fim da discriminação

  • Fernanda Carina Preuss Univerdade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC Campus: São Miguel do Oeste

Resumo

O objetivo geral deste artigo é mostrar como as prostitutas experienciam e lidam com o seu próprio corpo. Já os objetivos específicos, advindos do objetivo geral, são desconstruir o paradigma que faz do trabalho da prostituta um trabalho fácil, caminhar para o fim da discriminação da profissão, que é um caminho longo a se percorrer, além da criação de um programa que atenda as demandas nessa profissão. Importante destacar que em nenhum momento o objetivo é colocar a prostituição como algo certo ou errado. Independente da opinião subjetiva de cada um, o respeito pela mulher que há por trás dessa profissão precisa fazer-se presente. Por isso, busca-se o fim da discriminação, do preconceito e da violência contra as garotas de programa. Espera-se que após a compreensão do objetivo geral, os objetivos específicos se tornem uma consequência. Ou seja, após o entendimento do corpo da prostituta, almeja-se que as pessoas fiquem cientes de que é um trabalho difícil e que prostitutas precisam de auxílio.

Biografia do Autor

Fernanda Carina Preuss, Univerdade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC Campus: São Miguel do Oeste

Acadêmica do curso de Psicologia e estagiária da Unidade Básica de Saúde de Princesa.

Publicado
01-05-2020
Como Citar
Preuss, F. C. (2020). REFLEXÃO SOBRE A EXPERIÊNCIA CORPORAL NA PROSTITUIÇÃO: Pelo fim da discriminação. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 5, e24064. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/24064
Edição
Seção
Área das Ciências da Vida e Saúde – Artigos