AVALIAÇÃO DO MILHO PROVENIENTE DA REGIÃO CENTRO OESTE E SUL DO BRASIL

  • Joziane Battiston Unoesc
  • Wylliam Matheus Arend Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Bastião Osvino Wideck Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Alceu Cericato Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Neste trabalho objetivou-se classificar e avaliar a densidade, o teor de umidade, o percentual de grãos ardidos, a energia metabolizável e a concentração de fumonisinas e aflatoxinas do milho proveniente do Centro-Oeste e Sul do Brasil. Foram amostradas 24 cargas de milho destinadas a uma fábrica de rações do estado de Santa Catarina. Foram avaliadas 12 amostras de milho proveniente da região Centro-Oeste e 12 amostras da região Sul, totalizando 24 amostras. Após a correta amostragem analisou-se o peso do hectolitro, o teor de energia metabolizável, umidade, grãos ardidos e o nível de contaminação por aflatoxina e fumonisina através de kits apropriados para o leitor Elisa. As amostras da região Centro-Oeste apresentaram valores significativamente superiores aos da região Sul para as variáveis densidade, energia metabolizável, grãos quebrados, umidade e concentração de fumonisina. Já para as amostras provenientes da região Sul, obteve-se um maior percentual de grãos ardidos. As concentrações de aflatoxinas e de impurezas não diferiram entre as regiões. O milho proveniente da região Centro-Oeste apresenta maior teor energético que o da região Sul. Os maiores valores de fumonisinas obtidos para as amostras da região Centro-Oeste não impedem o emprego do cereal na alimentação animal.

Publicado
06-04-2020
Como Citar
Battiston, J., Arend, W. M. ., Wideck, B. O. ., & Cericato, A. (2020). AVALIAÇÃO DO MILHO PROVENIENTE DA REGIÃO CENTRO OESTE E SUL DO BRASIL. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 5, e23941. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/23941
Edição
Seção
Área das Ciências Agrárias – Artigos