PRÁTICAS NA CULTURA DA SOJA

  • Rúbia de Souza Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Andrei Emanuel Nardi

Resumo

A produtividade está diretamente vinculada com fatores genéticos e ambientais, e com a interação genótipo*ambiente, ou seja, depende do local, escolha do cultivar, espaçamento entre linhas, densidade de plantas, precipitação, luz, disponibilidade de nutrientes, compactação do solo, teor de MO, pH, manejo de pragas, doenças e plantas daninhas, entre outros. O aumento da produtividade está associado aos avanços tecnológicos, ao manejo da cultura e a eficiência dos produtores. A rotação de culturas consiste em alternar, anualmente, espécies vegetais numa mesma área agrícola. A rotação de culturas proporciona a produção diversificada de alimentos e outros produtos agrícolas, se adotada e conduzida de modo adequado e por um período suficientemente longo, essa prática melhora as características físicas, químicas e biológicas do solo, auxilia no controle de plantas daninhas, doenças e pragas, repõe a matéria orgânica e protege o solo da ação dos agentes climáticos e ajuda a viabilização do SSD. O controle cultural é outra opção, e dependente de um manejo na cultura anterior e de que o solo ofereça a possibilidade de as plantas de soja ter o ambiente mais favorável em relação as plantas daninhas. Para o sistema de plantio direto o esquema de rotação de culturas deve acontecer, promovendo, na superfície do solo, a manutenção permanente de uma quantidade mínima de palhada, que nunca deverá ser inferior a 2 T/ha de MS.

Publicado
25-06-2019
Como Citar
de Souza, R., & Nardi, A. E. (2019). PRÁTICAS NA CULTURA DA SOJA. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 4, e21204. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/21204
Edição
Seção
Área das Ciências Agrárias – Resumos