Salmonella no Rio Agua Doce

Resumo

Neste trabalho objetivou-se avaliar a incidência da bactéria Salmonella nas águas do Rio Água Doce. Este curso d'água nasce na região dos campos de altitude do município de Água Doce em Santa Catarina, e seu percurso atravessa propriedades rurais até alcançar a área urbana e depois desaguar no Rio Estreito, afluente do Rio do Peixe. Foram realizadas seis seções de coletas, com seis amostras cada. As amostras foram coletadas pelo método de arraste por um período de 24 horas e a metodologia de análise empregada foi a ISO 6579:2017. Foram coletadas trinta e seis amostras em seis pontos diferentes. Os pontos elencados para coleta foram escolhidos de acordo com seu nível potencial de contaminação. Três pontos na área rural (P1; P2 e P3), dois pontos dentro da área urbana (P4 e P5) e um ponto no final da área urbana (P6). O ponto P1 não apresentou Salmonella spp e os pontos P2 e P3 apresentaram 16% e 33% das amostras positivas respectivamente. Na área urbana os pontos P4 e P5 33% e 66.6% das amostras positivas. O ponto P6 apresentou todas as amostras negativas para Salmonella spp. Os resultados evidenciam maior incidência de Salmonella na área urbana.

Palavras-chave: Microbiologia Ambiental. Saúde Ambiental. Contaminação Ambiental. Ambiente Fluvial.

Publicado
21-12-2020
Como Citar
Johann Simão, C., Savariz, A., & Degenhardt, R. (2020). Salmonella no Rio Agua Doce. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Joaçaba, 5, e27141. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeuj/article/view/27141
Edição
Seção
Área das Ciências Sociais – Artigos