JOHN MAYNARD KEYNES E O ESTADO INTERVENCIONISTA

  • Celso Paulo Costa

Resumo

John Maynard Keynes, foi um destacado economista inglês do séc. XX que ficou conhecido pela Teoria Geral do emprego, juro e moeda, publicada em 1936, como resposta a crise de 1929. Keynes contrariava a ideia de alguns clássicos da economia que diziam que em um livre mercado sem a intervenção do estado todo mundo conseguiria emprego, trabalho, renda e chegar ao bem-estar. Em 1924, a Inglaterra tinha um milhão de desempregados e os EUA tinha um trabalhador desempregado para cada 3 trabalhadores. A resposta que os economistas davam para essa crise de desemprego era que deveriam ser reduzidos os salários para que as empresas pudessem contratar mais. Contrariamente, Keynes defendia que o emprego estava diretamente relacinado a soma do consumo e o investimento. Para os economistas clássicos todos deveriam poupar, mas Keynes defendia que a diminuição do consumo manteria a indústria parada, diminuindo os investimentos e ocasionando o desemprego. A solução de Keynes seria aumentar os investimentos, gerando mais consumo. Uma grande duvida surgiu entre os economistas: se todos estavam “quebrados”, como iriam investir? Foi ai que Keynes defendeu o investimento por parte do Estado na construção de estradas, barragens, usinas, atuando na infraestrutura. Keynes também defendia a intervenção do Estado nos ganhos de lucros das empresas, afirmando que se diminuírem os lucros das empresas, seria diminuída a concentração de renda e automaticamente as desigualdades sociais.

Publicado
05-07-2019
Como Citar
Costa, C. (2019). JOHN MAYNARD KEYNES E O ESTADO INTERVENCIONISTA. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Chapecó, 4, e21245. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeucco/article/view/21245
Edição
Seção
Área da Ciência Jurídica – Resumos