MÉTODO INTERVENCIONISTA DE JOHN MAYNARD KEYNES

  • Celso Paulo Costa

Resumo

A analise do método intervencionista de John Maynard Keynes, torna possível compreender que ao estado caberia intervir na economia em um momento de crise, estimulando a politica privada por meio da produção de empregos, contrapondo assim, a teoria do liberalismo econômico clássico de Adam Smith. Nesse sentindo, questiona-se quais as possíveis causas e soluções propostas para o problema de desemprego apontado por Keynes? Para Keynes, o mercado de trabalho define-se pelo mercado de bens que é dependende da demanda efetiva, tendo como resultado o desemprego involuntário quando ocorria um encarecimento nos preços da mão-de-obra e da demanda. Assim, propõe que em uma situação de desequilibrio, ainda que os trabalhadores concordassem em ter seu salário nominal reduzido, existia a possibilidade de não haver postos de trabalho disponíveis para todos. Diante disso, Keynes demonstrou que a solução do desemprego depende do aumento da demanda efetiva, resultando no aumento do produto, do nível de preços e do emprego. Atribuiu ao Estado o direito e a obrigação de assegurar benefícios sociais que garatam à população um padrão mínimo de vida, originando assim, o salário-mínimo, o salário-desemprego, a redução da jornada de trabalho e a assistência médica gratuíta. Ao fazer uma comparação com a situação econômica que vivenciamos hoje, Keynes sugeria que a estabilidade da economia dependeria principalmente de políticas capazes de garantir o pleno emprego, que por consequência, garantiriam renda e acesso aos bens de consumo ofertados pela indústria e o consequente crescimento econômico.

Publicado
17-12-2018
Como Citar
Costa, C. P. (2018). MÉTODO INTERVENCIONISTA DE JOHN MAYNARD KEYNES. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc Chapecó, 4, e20032. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeucco/article/view/20032
Edição
Seção
Área da Ciência Jurídica – Resumos