Paradigmas e relevância da espiritualidade em saúde mental na atualidade

  • Marcelo Luan Guaragni UNOESC
  • Bruna Letícia da Silva Universidade Federal de Santa Catarina
  • Ana Bohn Acadêmico de medicina, Unoesc
  • Eloisa Ensfeld Acadêmico de medicina, Unoesc
  • Eduardo Gonzatto Acadêmico de medicina, Unoesc
  • Vinicius Rigoni Acadêmico de medicina, Unoesc
  • Tadiane Luiza Facagna Docente da Universidade do Oeste de Santa Catarina. (UNOESC)

Resumo

Introdução: A história ao longo do desenvolvimento da humanidade mostra como a relação entre Ciência e Religião mudam conforme o tempo e a cultura. Diante disso, cabe relembrar que, inicialmente, para a Psiquiatria, a Religiosidade era referida para sustentar o lugar daquilo que era visto como patológico, compreendida como a causa de variados transtornos mentais (LEITE; SEMINOTTI, 2007). Atualmente, com a Reforma Psiquiátrica, o fenômeno da desinstitucionalização proporcionou à Psiquiatria um caráter mais humanizado, integralizado e amplo do sujeito, levando em conta as diferentes esferas, perpassando o social e também cultural, para além do fisiológico, que compõem a psique humana. (MOREIRA-ALMEIDA; LUCHETTI, 2015). Para os religiosos, as visões acerca da natureza da ciência desacreditam o que a religião buscava, por vezes, postular. Entretanto, é notório na atualidade como a comunidade religiosa passou a ver a ciência para além do confronto, alcançando a harmonia ao deixar um pouco de lado a busca pela verdade, alcançada por meio da crença fundamentada (REINALD; SANTOS, 2016). Objetivo: Revisar e discutir o que há de mais atual sobre Saúde Mental e Religiosidade/Espiritualidade (R/E), considerando a crescente influência que um tema exerce sobre o outro. A relevância, tanto social quanto científica, surge diante da necessidade de pesquisas mais atuais e amplas sobre o tema, discutindo dados e instrumentos de avaliação capazes de corroborar ou refutar os benefícios propostos pela R/E, sobretudo no âmbito da psiquiatria. Metodologia: Trata-se de uma revisão literária, a escolha do assunto surgiu a partir da leitura de alguns artigos de revisão (essencialmente cinco artigos, mencionados nas referências) sistemáticos que abordam a temática em questão. As bases de dados utilizadas foram PubMed e PsycINFO, e a pesquisa durou três semanas. Resultados: Ao longo do estudo, foi observado que esse novo panorama do estado atual do diálogo entre as duas áreas é resultado de uma série de estudos que afirmam que pacientes psiquiátricos que possuem algum tipo de R/E apresentam melhor resposta terapêutica e significativa melhora no bem-estar geral, quando comparados randomicamente com aqueles que não possuem nenhum tipo de crença (HAROLD, 2007). Além disso, a espiritualidade é um dos alicerces que compõem não apenas a psique dos indivíduos, mas também as diferentes formas de manifestação cultural. Seja qual for a crença, ela possui um importante papel na integralização e nas manifestações sociais naquele meio em que se encontra inserido (MOREIRA-ALMEIDA, 2010). Conclusão: O conhecimento do impacto que as crenças religiosas podem ter na etiologia, diagnóstico e evolução dos transtornos psiquiátricos ajudará os psiquiatras a compreender melhor seus pacientes, avaliar quando as crenças religiosas ou espirituais são utilizadas para lidar melhor com a doença mental e quando podem estar exacerbando essa doença. A vasta maioria das pesquisas em populações saudáveis sugere que as crenças e práticas religiosas estão associadas com maior bem-estar, melhor saúde mental e um enfrentamento mais exitoso de situações estressantes.

Palavras-chave: Saúde mental. Espiritualidade. Religiosidade.

Biografia do Autor

Marcelo Luan Guaragni, UNOESC
Acadêmico de medicina, Unoesc
Bruna Letícia da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina
acadêmica de psicologia,  UFSC

Referências

KOENIG H. G. Religião, espiritualidade e psiquiatria: uma nova era na atenção à saúde mental / Religion, spirituality and psychiatry: a new era in mental health care. Rev. Psiq. Clín., v. 34, supl 1; p. 5-7, 2007.

LEITE, I. S.; SEMINOTTI, E. P. A Influência da Espiritualidade na Prática Clínica em Saúde Mental: Uma Revisão Sistemática. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 17, p. 189-196, 2013.

MOREIRA-ALMEIDA, A.; LUCCHETTI, G. Panorama das pesquisas em ciência, saúde e espiritualidade. Rev Artigos e Ensaios, p. 54-56, 2015.

MOREIRA-ALMEIDA, A. O crescente impacto das publicações em espiritualidade e saúde e o papel da Revista de Psiquiatria Clínica. Rev Psiq Clín., v. 37, n. 2, p. 41-42, 2010.

REINALDO, A. M. dos S.; SANTOS, R. L. F. dos. Religião e transtornos mentais na perspectiva de profissionais de saúde, pacientes psiquiátricos e seus familiares. Rev. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 40, n. 110, p. 162-171, jul./set. 2016.

Publicado
02-10-2018
Como Citar
Guaragni, M. L., Silva, B. L. da, Bohn, A., Ensfeld, E., Gonzatto, E., Rigoni, V., & Facagna, T. L. (2018). Paradigmas e relevância da espiritualidade em saúde mental na atualidade. Anais De Medicina, (1), 75-76. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/anaisdemedicina/article/view/19040
Edição
Seção
Resumos