Atitudes de pais não vacinadores podem ser uma ameaça ao Brasil?

  • Eduardo Janir de Souza Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Vilma Beltrame Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Bruno Rodolfo Schlemper Junior
  • Luana Turra Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Introdução: A vacinação possui elevada relevância epidemiológica, sendo um dos principais mecanismos contra as doenças preveníveis. A não vacinação tem promovido em países desenvolvidos um aumento na transmissão dessas doenças (LARSON et al., 2016). Conhecer tendências e atitudes de pais sobre vacinas permite avançar em conhecimento da realidade favorecendo a avaliação das políticas públicas de imunização com olhar preventivo sobre os aspectos de recusa. Objetivos: Identificar e difundir a perspectiva de recusa de vacinação de crianças em países desenvolvidos e estimular a realização de estudos no Brasil para conhecimento da realidade atual, visando atuar preventivamente na política pública de imunização infantil. Método: Revisão da bibliografia internacional, no período de abril a julho de 2016, de países em desenvolvimento e do Brasil, em bases de dados SCielo e Pubmed utilizando os descritores recusa às vacinas e hesitação em vacinas. Resultados: Ao todo foram encontrados 43 artigos com os termos pesquisados. Após analise dos resumos foram excluídos 21 artigos por não se adequarem à temática pesquisada e aos critérios de inclusão. Fizeram parte do estudo 22 artigos. Nos países desenvolvidos existe farta bibliografia mostrando que os movimentos antivacinação são antigos e crescem de forma preocupante, induzindo os pais a não vacinarem seus filhos (Larson et al., 2016). A política do atual governo estadunidense de apoiar a recusa à vacina (THE NEW YORK TIMES, 2017) provocou forte manifestação de confiança na segurança das vacinas por mais de 350 instituições (AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS, 2017). Identifica-se, assim, que nos países desenvolvidos, há muitos anos, essa temática tem sido objeto de inúmeras investigações e com resultados preocupantes. Já em países em desenvolvimento a propaganda antivacinação comprometeu a decisão dos pais (LARSON, 2017). No Brasil, surpreendentemente, apesar da ocorrência de doenças infecciosas relevantes e da excelência do programa nacional de imunização que reduziu expressivamente a morbimortalidade infantil, a produção científica sobre a adesão e confiança nas vacinas é rara e muito recente (BARBIERI; COUTO, 2015) São oportunos um artigo (BARBIERI; COUTO, 2017) e o Editorial de Cadernos de Saúde Pública de recente publicação (IRIART, 2017)  que ressaltam  a necessidade de ampliar os debates com a população. Conclusões: Sugere-se que pesquisadores das ciências da saúde e sociais desenvolvam estudos para conhecer a tendência atual das atitudes dos pais no enfrentamento dessa ameaça à saúde das crianças brasileiras, identificar suas razões socioculturais e contribuir para o debate e as políticas públicas pertinentes.

Palavras-chave: Vacinas. Recusa. Hesitação.

Referências

AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. Group Vaccine Safety. Letter to president. Disponível em: <https://www.aap.org/en-us/advocacy-and-policy/federal-advocacy/Documents/Group%20Vaccine%20Safety%20Letter%20to%20President%20Trump.pdf>. Acesso em: 13 fev. 2017.

BARBIERI, C. L. A.; COUTO, M. T. Decision-making on childhood vaccination by highly educated parents. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 49, n. 18, p. 1-8, 2015.

BARBIERI, C. L. A.; COUTO, M. T.; AITH, F. M. A. A (não) vacinação infantil entre a cultura e a lei: os significados atribuídos por canais de camadas médias de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n .2, p. 1-11, 2017.

IRIART, J. A. B. Editor Associado. Autonomia individual vs. proteção coletiva: a não-vacinação infantil entre camadas de maior renda/escolaridade como desafio para a saúde pública. Cadernos de Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n. 2, 2017.

LARSON, H. J. et al. The State of Vaccine Confidence 2016: Global Insights Through a 67-Country Survey. EBioMedicine, v. 12, p. 295-301, out. 2016.

LARSON, H. J. The vaccine confidence Project. Missing the signals: India’s anti-vaccination social media campaign. 07 Mar. 2017. Disponível em: <http://www.vaccineconfidence.org/>. Acesso em: 13 fev. 2017.

THE NEW YORK TIMES. Editorial Boards. The AntiVaccine Movement Gains a Friend in the White House. United States, Feb. 23, 2017.

Publicado
21-03-2018
Como Citar
Souza, E. J. de, Beltrame, V., Schlemper Junior, B. R., & Turra, L. (2018). Atitudes de pais não vacinadores podem ser uma ameaça ao Brasil?. Anais De Medicina. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/anaisdemedicina/article/view/15747
Edição
Seção
Resumos