ANESTESIA EPIDURAL EM GATOS

  • Franciele Sonaglio
  • Juliana Petronilha da Silva
  • Odinei Ferranti

Resumo

A utilização de técnicas de anestesia local está cada vez mais difundida na prática veterinária, em decorrência das suas vantagens, como o baixo custo e efeitos colaterais mínimos. A anestesia epidural é um segmento da anestesia regional, a qual é utilizada em procedimentos que envolvam os membros posteriores, região caudal, períneo e abdominais. Os fármacos utilizados são principalmente os anestésicos locais isolados ou associados aos opioides e α2- agonistas. Com a anestesia epidural se consegue promover, além do bloqueio motor e sensitivo, analgesia de curta e longa duração, quando anestésicos locais são associados a outros fármacos já citados. Para a realização da anestesia epidural podem ser utilizadas punções dos espaços lombossacro e sacrococcígeo e por estes ter acesso ao espaço epidural localizado entre o canal medular e a dura-máter, onde são depositados os fármacos. Esta ainda não é utilizada com frequência como é nos cães, por isso mais estudos devem ser realizados a fim de se testar fármacos que promovam anestesia segura e analgesia de longa duração. Nesta espécie relata-se que o a medula espinhal termina além do espaço lombossacro, sendo então indicado o espaço sacrococcígeo para a realização da anestesia epidural, diminuindo os riscos de lesões medulares ou deposição dos fármacos no espaço aracnoide. O objetivo deste trabalho é apresentar uma revisão de literatura sobre o uso da técnica de anestesia epidural em felinos, fármacos utilizados, bem como suas vantagens e limitações.

Palavras-chave: Anestesia epidural. Gatos. Espaço lombossacro. Espaço sacroccígeo.

Publicado
27-05-2014