A musicalidade dos sons no processo de aprendizagem: o despertar da sensibilidade

  • Rose Laura Gross Zimmermann Unoesc
  • Matilene Cenci Unoesc

Resumo

Percebe-se que a instituição escolar se sente afastada dos acontecimentos, em razão de uma grave crise caracterizada por mudanças muito rápidas, as quais trazem novas concepções de vida. Nesse sentido, faz-se necessário um novo olhar para a educação e para a formação humana, em que se perceba a formação do ser humano de forma sensível, possibilitando uma vivência que vise ao olhar ampliado ao outro e às diferenças. Este artigo apresenta as análises das vivências do processo de estágio, desenvolvidas durante o Curso de Pedagogia, buscando compreender todos esses processos a partir da interação com os sujeitos envolvidos, nos pequenos gestos, sons, percepções, falas que demonstram um despertar belíssimo da sensibilidade humana. É desafiador colocar-se como agente desse despertar, proporcionando oportunidades para que esse processo seja, realmente, a cada dia, mais intenso, percebendo que a educação e o ato de educar não podem ser descolados da vida, pois “educar é viver”, “viver é aprender”, “viver é conviver”. Nesse sentido, a vida é movimento, é musicalidade, não se pode perceber o processo de aprendizagem descolado da vida, da sensibilidade, da musicalidade humana, dos movimentos desse ser.

Palavras-chave: Sensibilidade. Musicalidade. Diversidade. Vida. Movimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-07-2010
Como Citar
Zimmermann, R. L. G., & Cenci, M. (2010). A musicalidade dos sons no processo de aprendizagem: o despertar da sensibilidade. Unoesc & Ciência - ACHS, 1(1), 13-20. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/achs/article/view/162