https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/issue/feed Unoesc & Ciência - ACET 2018-12-20T10:52:59+00:00 Sidnei Grigolo sidnei.grigolo@unoesc.edu.br Open Journal Systems <p>E-ISSN 2178-342X</p> https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/20056 Folha de Rosto 2018-12-20T10:52:41+00:00 admin Caren Scalabrin editora@unoesc.edu.br Folha de Rosto 2018-12-20T10:52:41+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/20057 Editorial 2018-12-20T10:52:42+00:00 Sidnei Grígolo sidnei.grigolo@unoesc.edu.br Editorial 2018-12-20T10:52:42+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16740 Aminoácidos e micronutrientes no tratamento de sementes de soja 2018-12-20T10:52:42+00:00 Mauricio Vicente Alves mauriciovicente@gmail.com Cleidiane de Souza Valentini souza_cleidiane@hotmail.com Denian Heitor Valentini denian@gmail.com Caciara Gonzatto Maciel caciaragonzatto@gmail.com Gabriela Naibo gabrielanaibo@bol.com.br Cristiano Nunes Nesi cristiano.nesi@unoesc.edu.br <p>A soja (<em>Glycine max</em>) é a principal commodity agrícola mundial, representando nas últimas safras aumentos de até 49% em nível nacional. Inovações tecnológicas para o tratamento de sementes e incremento da produtividade vêm ganhando espaço no setor, como é o caso dos aminoácidos e micronutrientes. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do tratamento de sementes de soja com aminoácidos e micronutrientes, em conjunto ou separados, bem como se os índices de N, P e K aumentam. Os tratamentos utilizados foram: testemunha (sem o uso de micronutrientes e/ou aminoácidos), CoMo (micronutriente), OB (micronutrientes e aminoácidos), LE (micronutrientes) e BX (aminoácidos). O estudo foi realizado em casa de vegetação no Município de Xanxerê, onde foram utilizados vasos de 20 L, solo latossolo vermelho. As análises foliares foram realizadas no estádio R3/R4 estádio de florescimento pleno; foram colhidos dois trifólios de cada vaso da cultura e analisado o teor de N, P e K. Após a maturação da planta foi estimada a produção por hectare, número de vagens por planta e peso de mil grãos. Os valores nutricionais de P e K foram maiores nos tratamentos LE e BX, enquanto a produtividade LE obteve o melhor resultado em sacas ha<sup>-1</sup> e peso de mil grãos.</p><p>Palavras-chave: Nitrogênio. Potássio. <em>Glycine max</em>.</p> 2018-12-20T10:52:42+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/13046 Avaliação e classificação das patentes com uso de nanopartículas aplicadas a fertilizantes 2018-12-20T10:52:45+00:00 Regina Bellan Verona reginaverona@outlook.com Adriana Ferrazza adriferrazza@unochapeco.edu.br Liziane Carlesso liziane-cc@unochapeco.edu.br Joceli Roque Ferrazza ferrazza@unochapeco.edu.br Rosana da Silva rosanna@unochapeco.edu.br Claudio Alcides Jacoski claudio@unochapeco.edu.br Cristiano Reschke Lajús clajus@unochapeco.edu.br <p class="Normal1">O presente trabalho teve como objetivo identificar o número de propriedades industriais existentes mundialmente utilizando nanopartículas em fertilizantes e suas respectivas classificações. Para atingir os objetivos desta pesquisa foram consultadas as bases de propriedade intelectual via internet, no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), no escritório europeu European Patent Office (EPO) – Espacenet, no United States Patent and Trademark Office (USPTO), no World Intelletual Property Organization (WIPO) e Lens.org, base de patentes da China, Espanha, França e Inglaterra. A busca nos bancos de dados de patentes mundiais permitiu inferir que há 11 documentos distribuídos de acordo com os termos pesquisados, <em>nanoparticles fertilizer</em>. Entre elas são patentes ativas apenas cinco do total de patentes encontradas, as outras seis encontradas são patentes provisórias das ativas. Essas publicações são de três áreas distintas: área de física e materiais bioespecíficos; área de produtos que atendem às necessidades humanas, da agricultura, florestais e da pecuária, observando a preservação; e área destinada a produtos químicos e fertilizantes inorgânicos de liberação lenta.</p><p class="Normal1">Palavras-chave: Nanopartículas. Fertilizantes. Propriedade industrial.</p> 2018-12-20T10:52:45+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16753 Calcário de conchas, calcário calcítico e gesso na linha de semeadura e seu efeito sobre o rendimento de grãos das culturas 2018-12-20T10:52:48+00:00 Cirio Parizotto cirio@epagri.sc.gov.br Carla Maria Pandolfo carla.pandolfo@unoesc.edu.br Milton da Veiga milton.veiga.br@gmail.com <p>Os calcários são utilizados para a correção da acidez do solo e o gesso agrícola como um condicionador do solo. O estudo objetivou comparar os efeitos de calcário de conchas marinhas, calcário calcítico de rocha finamente moído (<em>filler</em>) e gesso agrícola no rendimento e massa de grãos de trigo, feijão, milho e soja. O experimento foi conduzido por três safras agrícolas em um nitossolo vermelho manejado em sistema plantio direto em Campos Novos, SC. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com parcelas subdivididas e quatro repetições. Nas parcelas principais foram aplicados os tratamentos: testemunha, sem aplicação de calcário ou gesso; calcário de conchas na dose recomendada pelo fabricante na linha, calcário calcítico de rocha do tipo <em>filler</em> na dose correspondente em CaCO<sub>3</sub> ao calcário de conchas na linha; gesso na dose recomendada pelo fabricante na linha; aplicação superficial única de calcário calcítico com PRNT 75% em dose definida pelo ISMP para elevar o pH do solo a 5,5. Nas subparcelas foram implantadas as culturas de trigo ou adubo verde no inverno, e milho, feijão e soja em rotação no verão. O rendimento e a massa de 500 grãos não foram afetados pelos tratamentos de calcário e gesso na cultura do trigo. Os maiores rendimentos e massa de grãos das culturas de feijão, milho e soja foram observados com a aplicação de calcário calcítico na superfície no início do experimento.</p><p>Palavras-chave: Milho. Soja. Feijão.</p> 2018-12-20T10:52:48+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16818 Danos em sementes de soja por sistemas de trilha 2018-12-20T10:52:50+00:00 Gean Lopes da Luz geanluz@unochapeco.edu.br Itamar Cattapan itacattapan@hotmail.com Ana Luiza Meneghini analuiza_alm@hotmail.com Marina Junges marinajunges@unochapeco.edu.br Cristiano Reschke Lajús Clajus@unochapeco.edu.br <p>A colheita mecanizada de soja pode acarretar perdas qualitativas nas sementes. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade das sementes de soja colhidas mecanicamente por sistema de trilha em colhedoras axiais e tangenciais (convencionais) em diferentes horários do dia. Trabalhou-se com dois tipos de colhedoras automotrizes, uma Massey Ferguson MF 34, ano 2009, com plataforma de 25 pés (7,6m), com sistema de trilha tangencial (trilha com cilindro, côncavo e saca palha), e uma Massey Ferguson MF 9790, ano 2011, com plataforma 30 pés (9,12m), com sistema axial (rotor de 3.560 mm de comprimento). Durante a colheita foram coletadas amostras dos diferentes horários e medida a umidade. Para as amostras coletadas foram avaliadas as seguintes variáveis em laboratório: germinação, porcentagem de plântulas fortes, dano mecânico e sementes quebradas. Pode-se concluir que o sistema de trilha axial gerou menor porcentagem de sementes quebradas e sementes com danos latentes. A porcentagem de umidade foi influenciada pelo horário de colheita, sendo que as sementes colhidas com umidade inferior a 11% apresentaram menor percentual germinativo e maior propensão a sementes quebradas.</p><p>Palavras-chave:<strong> </strong><em>Glycine max.</em> Dano mecânico. Colheita mecanizada.</p> 2018-12-20T10:52:50+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16798 Distribuição de tempos de residência em reatores contínuos do tipo tanque agitado (CSTRS) 2018-12-20T10:52:51+00:00 Polyana Miguelão polyana.miguelao@outlook.com Júlia Parissenti juliaparissentti@hotmail.com Diogo Luiz de Oliveira diogo.oliveira@unoesc.edu.br <p class="Default">Um reator de mistura contínuo (CSTR) em escala piloto e três reatores CSTR em série foram utilizados para estudar o comportamento fluidodinâmico quando submetidos a variações de vazão e de agitação. O objetivo principal do presente trabalho foi determinar os tempos de residência dos reatores, comparando-os com os teóricos para diagnosticar possíveis desvios da idealidade. Por meio de uma perturbação “tipo pulso”, 10 mL do traçador azul de metileno, com concentração de 0,4 g/L, foi injetada, de uma só vez, em um curto período de tempo, na corrente de alimentação. Com tempos previamente estabelecidos, foram retiradas amostras na corrente de saída do primeiro reator (um único CSTR) e do terceiro reator (três reatores CSTR em série). Em seguida, com a ajuda de um espectrofotômetro realizou-se a leitura das concentrações dessas amostras. Com os valores obtidos, foi descoberto o tempo médio de residência e comparado com os valores teóricos. Foram utilizadas duas vazões: uma baixa de 4,23 mL/s e uma alta de 9,63 mL/s (um CSTR) e 11,00 mL/s (três CSTRs em série). Para cada caso, em um primeiro momento o sistema não tinha agitação e, na sequência, uma agitação moderada. Com os resultados obtidos, pode-se concluir que o reator CSTR e os três reatores em série apresentaram tempos médios de residência um pouco menores que o tempo espacial, indicando a presença de zonas mortas, mas, de modo geral, seus comportamentos fluidodinâmicos são muito próximos do ideal.</p><p class="Default">Palavras-chave: Reator CSTR. Reator real. Reator ideal. Distribuição de tempo de residência.</p> 2018-12-20T10:52:51+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16743 Eficiência da inoculação com Azospirillum brasilense na cultura do milho e adubação nitrogenada 2018-12-20T10:52:52+00:00 Alexandre Aosani xandre-2@hotmail.com Eduardo Degasperi eduardo_degasperi@hotmail.com Michel Markus michel_markus@hotmail.com Claudia Klein klein811@hotmail.com Alexandre Léo Berwanger alexandreagro@yahoo.com.br <p>Com o aumento do rendimento das culturas agrícolas, a nutrição vegetal busca otimizar a eficiência dos fertilizantes e seu aproveitamento, visando ao aumento do rendimento e à diminuição de custos. O nutriente requisitado em maior quantidade pelos vegetais é o nitrogênio, que também sofre diversas perdas no sistema de produção. O trabalho teve por objetivo avaliar a eficiência da utilização de bactérias promotoras de crescimento de plantas, usando inoculante à base da espécie <em>Azospirillum brasilense </em>e adubação nitrogenada de cobertura, no Município de São José do Cedro, SC, em cambissolo háplico eutrófico, de média à alta fertilidade. O experimento foi conduzido em arranjo fatorial 2x2, em delineamento de blocos casualizados (DBC) e utilizado um híbrido de milho comercial. Foram testadas a ausência e a presença dos fatores inoculação e adubação nitrogenada em cobertura, simultaneamente, avaliando o diâmetro basal do colmo, estatura de plantas, massa seca da parte aérea, rendimento de grãos e análise econômica. A cultura do milho submetida à inoculação não apresentou resultados significativos para diâmetro basal do colmo, estatura de plantas e rendimento de grãos, porém, apresentou resultados significativos para massa seca da parte aérea. Para o fator adubação nitrogenada em cobertura, todas as variáveis obtiveram resultados significativos. O máximo rendimento e o retorno econômico foram observados com o uso combinado de <em>A. brasilense </em>e adubação nitrogenada em cobertura.</p><p>Palavras-chave: Fixação biológica de nitrogênio. Bactérias promotoras de crescimento. Rendimento de grãos.</p><p><br /><strong></strong></p> 2018-12-20T10:52:52+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16790 Influência de diferentes velocidades de semeadura no estabelecimento da cultura do milho (Zea mays L.) 2018-12-20T10:52:53+00:00 Leocemar Andrade Bellé belle.leocemar@unochapeco.edu.br Hedina Lurdes Desordi hedina@unochapeco.edu.br Cristiano Reschke Lajús clajus@unochapeco.edu.br Eduardo Ansolin eduardo@unochapeco.edu.br Valdir Maldaner valdir.maldaner@brf-br.com Gean Lopes da Luz geanluz@unochapeco.edu.br <p>Velocidades acima do recomendado podem aumentar o número de falhas e de sementes duplas na lavoura, o que acaba prejudicando a uniformidade na distribuição das sementes, bem como velocidades muito abaixo acabam reduzindo o aproveitamento do tempo de realização da semeadura da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar o estabelecimento da cultura do milho em função de diferentes velocidades de semeadura. O experimento foi conduzido no Município de Nova Itaberaba, SC. Os tratamentos do experimento foram T1: 3 Km/h; T2: 6 Km/h (testemunha); T3: 9 Km/h e T4: 12 Km/h. O experimento foi realizado em um delineamento experimental em blocos casualizados com quatro repetições, arranjados em faixas. Para a determinação da velocidade de emergência da cultura foi realizada a observação do estádio germinação e emergência. Após a semeadura foi realizada a contagem das plântulas germinada na área útil de cada parcela. Para a distribuição longitudinal das sementes foi realizada a medição de todas as distâncias entre as sementes da área útil de cada parcela. Os dados coletados serão submetidos à análise de variância pelo teste F, pelo software Sisvar e análise de regressão. Nas condições estabelecidas pelo experimento foram obtidos resultados que comprovam a variabilidade da semeadura em função da velocidade de plantio sobre o sulco. O experimento determinou resultados que permitem concluir que as velocidades de semeaduras influenciam 82,2% na distribuição longitudinal das sementes, com destaque para as velocidades 3 e 6 Km/h, que apresentaram 18,63% de emergência.  </p><p>Palavras-chave: Milho. Velocidades de semeadura. Estabelecimento cultural.</p> 2018-12-20T10:52:53+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/12773 Mensuração de pegadas de mamíferos em levantamentos faunísticos por meio de smartphone 2018-12-20T10:52:55+00:00 Roberson Junior Fernandes Alves roberson.alves@unoesc.edu.br Paulo Henrique Ferreira p.h.ferreirah@gmail.com <p>Este artigo teve por objetivo apresentar o estudo e o desenvolvimento de uma aplicação para auxiliar a mensuração de pegadas de animais em levantamentos faunísticos; foi desenvolvido a fim de promover uma forma mais eficaz, prática e fácil para a mensuração das pegadas dos animais. Tendo em vista a forma de análise das pegadas em levantamentos faunísticos, há uma grande necessidade de obter velocidade na identificação destas, sendo que para cada pegada identificada utilizam-se métodos bastantes antigos, e o excesso de bagagem e peso se torna um fator a se levar em conta, sendo que os locais das amostragens geralmente são de difícil acesso. O <em>app</em> foi projetado para a plataforma Android utilizando a biblioteca OpenCV para o tratamento digital das imagens obtidas. Com base nos experimentos realizados, os resultados mostram que ainda existem melhorias e testes a serem feitos, contudo o sistema se mostra promissor.</p><p>Palavras-chave: Levantamentos faunísticos. OpenCV. Pegadas. Frintter.</p> 2018-12-20T10:52:55+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/15153 Percepção ambiental e atividades socioeconômicas no entorno do Parque Estadual das Araucárias, São Domingos e Galvão, SC 2018-12-20T10:52:56+00:00 Silvia Mara Zanela Almeida smzanela@yahoo.com.br Luciano Pessoa de Almeida agronomolucianoalmeida@gmail.com Manuela Gazzoni dos Passos biologamanu@gmail.com Geisa Percio do Prado biologageisa@gmail.com Diego Miguel Walendorff diegowalendorff@hotmail.com <p>O uso e a ocupação das terras no entorno do Parque Estadual das Araucárias (PEA) é inerente a sua conservação. Dessa forma há uma legislação pertinente a qual regulariza as suas ações. Sabe-se que as atividades agropecuárias e a exploração de recursos naturais resultam em processos de perda e fragmentação de habitats, alterando diversos processos biológicos e fragilizando ecossistemas, com consequências que implicam perdas na diversidade biológica. O estudo tem como objetivo principal o levantamento das atividades econômicas e possibilidades de recuperação na zona de amortecimento do Parque Estadual das Araucárias. A pesquisa baseou-se em visitas nas propriedades localizadas no entorno do Parque, sendo realizada uma entrevista composta por um questionário com perguntas semiestruturadas, onde os entrevistados abordados puderam expressar suas opiniões, rotinas do dia a dia e representatividade do PEA. O presente levantamento demonstrou que a visão dos moradores em relação ao PEA é distinta, evidenciando que há uma necessidade de conscientizá-los, mostrando as mais diversas formas de manejo sustentáveis, de forma que possam ter uma visão holística do Parque e se tornem participantes interinos na gestão ambiental, buscando com isso a conservação da biodiversidade e o equilíbrio ecológico.</p><p>Palavras-chave: Zona de amortecimento. Conscientização. Preservação.</p> 2018-12-20T10:52:56+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16777 Projeto de uma turbina pulso jato para utilização em Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) de asa fixa 2018-12-20T10:52:57+00:00 Douglas Roberto Zaions douglas.zaions@unoesc.edu.br Matheus Záttera Chemin matheus.chemin@hotmail.com <p>Este trabalho foi desenvolvido por meio de um estudo realizado na Universidade do Oeste de Santa Catarina, para aprofundar os conhecimentos sobre o funcionamento e desenvolvimento de Turbinas Pulso Jato para aplicação em Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs). O desenvolvimento de VANTs possui uma grande participação no cenário da aeronáutico atual, e o projeto da Turbina Pulso Jato focou na elaboração de uma revisão bibliográfica ampla e completa que envolve todo o funcionamento desse tipo de propulsão, evidenciando todas as fases do projeto, características de construção e cálculos para dimensionamento para garantir melhor funcionamento e eficiência. O projeto foi realizado a partir de metodologia de projeto amplamente utilizada na área de engenharia mecânica que possibilitou a adequada aquisição e o tratamento de informações de projeto. Como resultado obteve-se a construção do protótipo do sistema o qual foi preliminarmente testado, evidenciando o funcionamento e os resultados do projeto.</p><p>Palavras-chave: Pulso Jato. VANT. Turbina.</p> 2018-12-20T10:52:57+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/13031 Propriedades físicas do solo em diferentes sistemas de uso e manejo 2018-12-20T10:52:58+00:00 Astor Mario Konzen astorkonzen@gmail.com Junior de Bortoli jjuniordebortoli@gmail.com Paulo Roberto Gomes paulorg70@yahoo.com.br André Sordi andresordi@yahoo.com.br Alceu Cericato acericato@gmail.com <p>O estudo da qualidade física do solo tem se tornado cada vez mais importante, com o propósito de encontrar parâmetros que possam identificar o melhor tipo de manejo. O objetivo do presente trabalho foi analisar as características físicas do solo – textura, densidade, porosidade total e resistência à penetração – em diferentes sistemas de uso e manejo. As amostras foram coletadas em três diferentes áreas: compota de pastagem perene, plantio direto e silagem. Para as análises de densidade do solo e porosidade total, foram abertas sete trincheiras de 40 cm de profundidade, totalizando 21 trincheiras. Para determinar a resistência do solo à penetração foi utilizado um penetrômetro com haste de 60 cm. Os dados de densidade do solo, porosidade total e resistência à penetração foram submetidos à análise de variância e teste de significância Tukey, considerando a probabilidade de erro (p≤0,05). Observa-se que em todos os sistemas de manejo o aumento da profundidade não ocasionou variação significativa da densidade e porosidade total do solo. O sistema de pastagem perene implantado foi o que apresentou a maior densidade e a menor porosidade total na camada superficial. As camadas de 10 a 15 cm de profundidade foram as que apresentaram maior resistência à penetração em sistema de pastagem perene, ocorrendo em razão do efeito acumulativo da pressão que é exercida na camada mais superficial do solo.</p><p>Palavras-chave: Física do solo. Textura. Densidade. Porosidade. Resistência à penetração.<strong></strong></p> 2018-12-20T10:52:58+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/16810 Propriedades qualitativas e quantitativas da cevada submetida ao tratamento de sementes com nanopartículas de óxido de zinco 2018-12-20T10:52:59+00:00 Regina Bellan Verona marinajunges@unochapeco.edu.br Luciano Luiz Silva lucianols@unochapeco.edu.br Cristiano Reschke Lajús clajus@unochapeco.edu.br Márcio Antônio Fiori fiori@unochapeco.edu.br Geraldo Tremea geraldotremea@unochapeco.edu.br Marina Junges marinajunges@unochapeco.edu.br Gean Lopes da Luz geanluz@unochapeco.edu.br <p>A cevada apresenta potencial produtivo para diversas regiões do País, porém seu cultivo ainda é limitado em razão de problemas quanto à incidência de moléstias e à elevada exigência nutricional que restringe a produção, como a deficiência de zinco.<strong> </strong>O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do tratamento de sementes de cevada com nanopartículas de óxido de zinco (ZnO). O delineamento experimental foi de blocos completos ao acaso em esquema de parcela subdividida (2 x 4 x 6), com três repetições, em que foram alocados os cultivares ANAG 01 e BRS BRAU, o tempo de exposição às nanopartículas foi de 90, 180, 270 e 360 minutos e as concentrações foram de 0 mg/L, 75 mg/L, 150 mg/L, 225 mg/L, 300 mg/L e 375 mg/L. Foram realizadas avaliações da cultura: teor de clorofila, número de grãos por espiga, número de afilhos por linha, número de espigas por linha, área foliar dos afilhose rendimento. Para as variáveis teor de clorofila, área foliare rendimento somente os cultivares diferiram significativamente. O número de grãos por espiga apresentou interação cultivar versus tempo de aplicação. As variáveis número de afilhos e de espigas por linha apresentam interação dos fatores tempo e concentração. Em face dos resultados obtidos há necessidade de maior aprofundamento no estudo para padronizar tempo e concentração em relação aos cultivares utilizados, para, assim, averiguar possíveis efeitos de sua utilização em tratamentos para sementes de cevada.</p><p>Palavras-chave: <em>Hordeum vulgare</em> L. Nanotecnologia. Nutrição. Óxido de zinco.</p> 2018-12-20T10:52:59+00:00 ##submission.copyrightStatement##