Panorama do recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil e no Sul do Brasil

  • Maria Fernanda Oliveira da Silva UNIPLAC, Lages, SC.
  • Larissa Morello UNIPLAC, Lages, SC
  • Ana Emília Siegloch UNIPLAC, Lages, SC.
  • Lenita Agostinetto Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC)
Palavras-chave: InPEV, Logística reversa, Pesticidas, Resíduos

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar o panorama atual do recolhimento das embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil e na região Sul do País a partir da fundação do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias de agrotóxicos (inPEV). Esta foi uma pesquisa quantitativa, descritiva e documental a partir da análise dos relatórios de sustentabilidade do inPEV publicados e disponíveis no site do Instituto. Foram analisados os relatórios publicados durante o período de 2002 a 2016. Analisou-se a evolução do recolhimento de embalagens vazias, do número de centrais e do número de postos de recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil e na região Sul do País. Os dados obtidos foram analisados pela estatística descritiva e posteriormente correlacionados. Os resultados obtidos demonstraram que de 2002 a 2016 foram recolhidas mais de 400 mil toneladas de embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil, havendo uma evolução de recolhimento nesse período de 91,5%. A região também apresentou evolução no recolhimento de embalagens vazias desde 2002, quando surgiu o inPEV, e representa 27% do total das embalagens vazias recolhidas no País. Observou-se correlação significativa e positiva entre a evolução do número de postos (r=0,61) e as centrais (r=0,80) de recolhimento das embalagens vazias de agrotóxicos no País e o volume recolhido. Assim, para que o Brasil possa continuar sendo referência mundial na coleta e processamento dessas embalagens, é necessário que o processo de logística reversa continue atuando de forma efetiva em todos os setores da cadeia de uso e produção dos agrotóxicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 2, p. 361-363, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v40n2/28547.pdf. Acesso em: 2 jul. 2018.

ALENCAR, J. A. et al. Descarte de embalagens de agrotóxicos. Revista Ecotoxicologia e Meio Ambiente, Curitiba, v. 8, p. 9-26, 1998. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/pes.v8i0.39502. Acesso em: 26 fev. 2018.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL. Manual de uso correto e seguro de produtos fitossanitários/agrotóxicos. São Paulo: Linea Creativa, 2002.

BARREIRA, L. P.; PHILIPPI, A. J. A problemática dos resíduos de embalagens de agrotóxicos no Brasil. In: CONGRESSO INTERAMERICANO DE INGENIERÍA SANITARIA Y AMBIENTAL, 23., 2002, Cancún. Anais [...]. São Paulo: Ed. USP, 2002.

BRASIL. Lei n. 7.802, de 12 de julho de 1989. Lei federal dos agrotóxicos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 jul. 1989.

BRASIL. Lei n. 9.974, de 06 de junho de 2000. Altera a Lei nº 7.802/89 (lei federal dos agrotóxicos). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 jun. 2000.

CAMPOS, L. F.; LAGO, S. M. S.; OLIVEIRA, H. F. A logística reversa das embalagens vazias de agrotóxicos no Paraná. Publicações da UEPG Ciências Sociais Aplicadas, v. 21, n. 1, p. 227-244, 2013.

CANTOS, C.; MIRANDA, Z. A. I.; LICCO, E. A. Contribuições para a gestão das embalagens vazias de agrotóxicos. Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente, v. 3, n. 1, p. 1-36, 2008. Disponível em: http://www3.sp.senac.br/hotsites/blogs/InterfacEHS/wp-content/uploads/2013/07/inter-1-2008-2.pdf. Acesso em: 3 jul. 2018.

CARVALHO, M. M. X.; NODARI, E. S.; NODARI, R. O. “Defensivos” ou “agrotóxicos”? História do uso e da percepção dos agrotóxicos no estado de Santa Catarina, Brasil, 1950-2002. História, ciência, saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 75-91, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702017000100075&lng=en&nrm=iso. Acesso: 3 jul. 2018.

COMETTI, J. L. S.; ALVES, I. T. G. Responsabilização pós-consumo e logística reversa: o caso das embalagens de agrotóxicos no Brasil. Revista Sustentabilidade em Debate, p. 13-24, 2010.

COMETTI, J. L. S. Logística Reversa das embalagens de agrotóxicos no Brasil: um caminho sustentável? Brasília, DF, 2009.

IBGE. Censo agropecuário do Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasília, DF, 2006. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 28 maio 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Relatórios de Comercialização de Agrotóxicos. Disponível em: http://www.ibama.gov.br/relatorios/quimicos-e-biologicos/relatorios-de-comercializacao-de-agrotoxicos#. Acesso em: 2 jul. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS. Histórico, contexto de atuação e representatividade do Sistema Campo Limpo. Disponível em: http://www.inpev.org.br/sistema-campo-limpo/sobre-sistema/. Acesso em: 28 maio 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS. Histórico. Disponível em: http://www.inpev.org.br/inpev/quem-somos/historico.html. Acesso em: 28 maio 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS. Relatório de Sustentabilidade 2016. 2016. Disponível em: http://inpev.org.br/relatorio-sustentabilidade/2016/pt/logistica-reversa.html. Acesso em: 26 fev. 2018.

LAZZARI, F. M.; SOUZA, A. S. Revolução verde: impactos sobre os conhecimentos atuais. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO E CONTEMPORANEIDADE, 4., 2017, Santa Maria. Anais [...]. Santa Maria: UFSM, 2017. Disponível em: http://coral.ufsm.br/congressodireito/anais/2017/4-3.pdf. Acesso em: 20 jun. 2018.

LONDRES, F. Agrotóxicos no Brasil. Um guia para ação em defesa da vida. Rio de Janeiro: AS-PTA. Assessoria e Serviços a Projeto em Agricultura Alternativa, 2011.

MOREIRA, J. C. et al. Avaliação integrada do impacto do uso de agrotóxico sobre a saúde humana em uma comunidade agrícola de Nova Friburgo, RJ. Ciência e Saúde Coletiva, v. 7, p. 299-311, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v7n2/10249.pdf. Acesso em: 15 abr. 2018.

OLIVEIRA, A. L. R.; CAMARGO, S. G. C. Logística reversa de embalagens vazias de agroquímicos: identificação dos determinantes de sucesso. Interciencia, v. 39, n. 11, p. 780-787, 2014.

OLIVEIRA, E. S. A importância da destinação final das embalagens vazias de agrotóxicos. Revista Uniabeu, v. 5, n. 11, p. 123-135, 2012.

PERES, F.; MOREIRA, J. C. Saúde e Ambiente em sua relação com o consumo de agrotóxicos em um polo agrícola do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, Supl. 4, p. S612-S621, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v23s4/13.pdf. Acesso em: 30 maio 2018.

RIBAS, P. P.; MATSUMARA, A. T. S. A química dos agrotóxicos: impactos sobre a saúde e o meio ambiente. Revista Liberato, v. 10, n. 14, p. 149-158, 2009. Disponível em: http://www.liberato.com.br/sites/default/files/arquivos/Revista_SIER/v.%2010%2C%20n.%2014%20%282009%29/3.%20A%20qu%EDmica%20dos%20agrot%F3xicos.pdf. Acesso em: 28 jun. 2018.

SANTOS, A. R. Metodologia Científica: a construção do conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

SHIBAO, F. Y.; MOORI, R. G.; SANTOS, M. R. A logística reversa e as embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: GESTÃO DE PROJETOS E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 18., 2010, Bauru. Anais [...] Bauru, 2010.

ZANATTA, L. C.; ANDRADE, C. A. V.; COITINHO, J. B. L. Qualidade das águas do Aquífero Guarani para abastecimento público no Estado de Santa Catarina. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, 15., 2008, Natal. Anais [...]. Natal, 2008. Disponível em: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/23818/0. Acesso em: 28 maio 2018.

ZERBATH, B. J. Improved manure, fertilizer and pesticide management for reduced surface and groudzater. Canadá: The Pacific Agri- Food Research Center, 1999. Disponível em: http://res.agr.ca/agassiz/studies/zebasdb.htm. Acesso em: 28 jun. 2018.

Publicado
29-06-2020
Como Citar
Silva, M. F. O. da, Morello, L., Siegloch, A. E., & Agostinetto, L. (2020). Panorama do recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil e no Sul do Brasil . Unoesc & Ciência - ACET, 10(2), 115-124. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acet/article/view/17936