Fenologia reprodutiva de Cereus hildmannianus K. Schum. (Cactaceae)

  • Katiane Paula Bagatini Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Daniele Klabunde Unoesc
Palavras-chave: Botão Floral. Antese. Frutificação. Tuna. Produção Vegetal.

Resumo

Cereus hildmannianus K. Schum é uma Cactaceae nativa da região Sul do Brasil que ocorre em afloramentos rochosos e com potencial de utilização comercial de seu fruto. No entanto, um dos entraves para sua utilização comercial é a falta de conhecimento acerca da fenologia da espécie. Assim, objetivou-se conhecer aspectos preliminares sobre a transição das fases fenológicos vegetativa para reprodutiva de Cereus hildmannianus. Foram demarcados 10 indivíduos de Cereus hildmannianus em Zortéa, SC, Brasil, os quais foram acompanhados com relação à fenologia de junho de 2018 a fevereiro de 2019. A coleta dos dados foi realizada de forma mensal, avaliando a fenofase de cada indivíduo em cada mês. Os indivíduos de Cereus hildmannianus apresentaram botão floral e antese de novembro a fevereiro, frutos imaturos não crescidos em janeiro e fevereiro, frutos imaturos crescidos em fevereiro e foi verificada a presença de um fruto caído no chão no mês de junho. Até o momento do acompanhamento (fevereiro de 2019) nenhum fruto maduro foi verificado. Os eventos fenológicos tiveram alta concentração em torno de uma data, demonstrando baixa dispersão em relação a sua ocorrência. A sincronia alta ocorreu apenas para frutos imaturos não crescidos nos meses de janeiro e fevereiro. Com relação às variáveis ambientais a temperatura se relacionou com as fenofases vegetativa, botão floral, antese e frutos imaturos não crescidos. Desta forma pode-se indicar que os frutos podem ser colhidos a partir de março ou abril, apesar de ter demonstrado baixa produtividade de estruturas reprodutivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katiane Paula Bagatini, Universidade do Oeste de Santa Catarina
ACBS

Referências

ALMEIDA, M. M. de. et al. Caracterização física e físico-química de frutos do Mandacaru. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 11, n. 1, p. 15-20, 2009.

BAUER, D. et al. Fenologia de Ocotea pulchella, Myrcia brasiliensis e Psidium cattleyanum, em Floresta Semidecídua do Sul do Brasil. Floresta, v. 44, n. 4, p. 657-668, 2014.

BAUER, D. et al. Fenologia de três espécies de Myrsine L. em floresta secundária semidecídua no Sul do Brasil. Revista Árvore, Viçosa, v. 36, n. 5, p. 859-868, 2012.

BENCKE, C. S. C.; MORELLATO, L. P. C. Estudo comparativo da fenologia de nove espécies arbóreas em três tipos de floresta atlântica no sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, v. 25, n. 2, p. 237-248, 2002.

BIANCHINI, E. et al. Diversidade e estrutura de espécies arbóreas em área alagável no município de Londrina, sul do Brasil. Acta Botânica Brasílica, Brasília, DF, v. 17, n. 3, p. 405-419, 2006.

BRUXEL, J.; JASPER, A. A família Cactaceae na Bacia Hidrográfica do Rio Taquari, RS. Acta Botânica Brasílica, Belo Horizonte, v. 19, n. 1, p. 71-79, 2005.

BÜNDCHEN, M. et al. Caracterização biométrica e produção de sementes em frutos de Cereus hildmannianus K. Schum. (Cactaceae). In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 58., 2007, São Paulo. Anais [...]. São Paulo, 2007. CD-ROM.

BÜNDCHEN, M. et al. Caracterização biométrica e química dos frutos da tuna – Cereus hildmannianus K. Schum. (Cactaceae) – visando seu aproveitamento econômico sustentável. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE FRUTICULTURA DE CLIMA TEMPERADO, 11., 2009, Fraiburgo. Anais [...]. Fraiburgo: ArtGraf, 2009.

CEREZAL, P.; DUARTE, G. Algunas características de tunas (Opuntia ficus-índica (L.) Miller) cosechadas en el altiplano andino de la 2 da Región de Chile. Journal of the Professional Association for Cactus Development, [S. l.], Jan. 2005.

DURLI, M. et al. Estudo da biologia da cactácea Cereus hildmannianus K. Schum. visando a exploração comercial do fruto. In: SEMINÁRIO INTEGRADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNOESC, 1., 2008, Xanxerê. Anais [...]. Joaçaba: Editora Unoesc, 2008.

DURU, B.; TURKER, N. Changes in physical properties and chemical composition of cactus pear (Opuntia ficus-indica) during maturation. Journal of the Professional Association for Cactus Development, [S. l.], v. 7, p. 22-33, 2005.

EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE SANTA CATARINA; CENTRO DE INFORMAÇÕES DE RECURSOS AMBIENTAIS E DE HIDROMETEOROLOGIA DE SANTA CATARINA. Disponível em http://ciram.epagri.sc.gov.br/. Acesso em: 9 maio 2019.

FERRAZ, D. K. et al. Fenologia de árvores em fragmento de mata em São Paulo, SP. Revista Brasileira Biológica, São Paulo, v. 59, n. 2, p. 305-317, 1999.

FLORA DIGITAL DO RIO GRANDE DO SUL. Disponível em: http://www.ufrgs.br/fitoecologia/florars/index.php. Acesso em: 1 abr. 2018.

FLORA DO BRASIL 2020 EM CONSTRUÇÃO. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB1444. Acesso em: 1 abr. 2018.

FOURNIER, L. A. Un metodo cuantitativo para la medición de características fenológicas en arboles. Turrialba, Turrialba, v. 24, n. 4, p. 422-424, 1974.

KLACEWICZ, M. M. et al. Parâmetros Físico-químicos e Histológicos dos frutos de CEREUS HILDMANNIANUS K.SHUM (CACTACEAE). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 4., 2016, Curitiba. Anais [...]. Curitiba, 2016.

LANGER, D. F.; MERGENER, R. A. Cultivo in vitro de Cereus hildmaniannus. Joaçaba: Editora Unoesc, 2013.

MARCHETTI, L. et al. Avaliação da germinação de sementes de Cereus hildmannianus K. Schum. (Cactaceae) armazenadas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SEMENTES, 18., 2013, Florianópolis. Anais [...]. Londrina: Editora de Informativos Abrates, 2013.

MARQUES; M. C. M; OLIVEIRA, P. E. A. M. Fenologia de espécies do dossel e do sub-bosque de duas Florestas de Restinga na Ilha do Mel, sul do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 713-723, 2004.

PANDOLFO, C. et al. Atlas climatológico digital do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 2002. CD-ROM.

PEREIRA, J. L. et al. Estrutura demográfica e fenologia reprodutiva de Cereus Hildmannianus K. Schum. (Cactaceae), em uma restinga arbustiva do município de Jaguaruna, Santa Catarina. 61 p. 2009. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2009.

PILETTI, R. Extração da mucilagem da tuna (Cereus hildmaniannus K. Schum) para aproveitamento industrial. 2011. 96 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

PORTO, M. R. A. et al. Caracterização físico-química da polpa mucilaginosa de tuna (Cereus hildmannianus K.Schum.). In: JORNADA INTERNACIONAL DE PROTEÍNA E COLÓIDES ALIMENTARES JIPCA, 5., 2008, Campinas. Anais [...]. Campinas, 2008.

REITZ, R. et al. Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí: Herbário "Barbosa Rodrigues", 1979.

SANTOS, B. L. F. T. et al. Avaliação físico-química da polpa do fruto de Cereus hildmannianus K. Schum. In: MOSTRA DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO DO IFRS, 16., 2015, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre, 2015.

ZAR, J. H. Biostatistical analysis. 4. ed. New Jersey: Prentice Hall, 1999.

Publicado
29-06-2020
Como Citar
Bagatini, K. P., & Klabunde, D. (2020). Fenologia reprodutiva de Cereus hildmannianus K. Schum. (Cactaceae). Unoesc & Ciência - ACBS, 10(2), 145-154. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acbs/article/view/21492